Text page

As substâncias químicas em têxteis de vestuário

Quais são as abreviaturas usadas nessa norma? Quais os ensaios a serem realizados em produtos têxteis? Como seria um modelo de declaração do fornecedor? Quais os exemplos de corantes azoicos? Essas questões estão sendo mostradas no texto sobre as substâncias químicas em têxteis de vestuário.

31/07/2019 - Equipe Target

NBR 16787 de 07/2019: os requisitos para utilização de substâncias químicas em têxteis de vestuário

A NBR 16787 de 07/2019 - Materiais têxteis — Segurança química em têxteis — Requisitos e métodos de ensaio estabelece os requisitos para utilização de substâncias químicas em têxteis de vestuário e para o lar, assim como os métodos de ensaio para detecção e quantificação destas.

Acesse algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Quais são as abreviaturas usadas nessa norma?

Quais os ensaios a serem realizados em produtos têxteis?

Como seria um modelo de declaração do fornecedor?

Quais os exemplos de corantes azoicos?

Esta norma foi desenvolvida com o intuito de difundir as boas práticas para empresas do setor têxtil brasileiro, alinhando com as práticas internacionais. Foi criada para ser adotada de forma voluntária pelas empresas e associações do setor a fim de difundir uma cadeia têxtil com consciência ecológica e também definir um padrão de segurança química em tecidos fabricados no Brasil para consumo interno, assim como resguardar os consumidores em relação aos produtos importados para atenderem a esta norma.

A fim de não criar uma extensa e custosa cadeia de análises em tecidos para homologação, usamos nesta norma o princípio da declaração de fornecedor (Anexo A). As partes interessadas definem como querem regular sua homologação, conforme detalhado no Anexo A. Estas podem dispensar o uso de análises químicas de confirmação ou fazer validações periódicas conforme definido na declaração de fornecedor.

Estas definições entre as partes valem tanto para produtos têxteis comprados no mercado nacional como para comprados no mercado internacional. Os produtos têxteis devem ser apresentados nas seguintes classes conforme a utilização: classe A – Roupas para bebês de 0 a 36 meses; classe B – Roupas com prolongado contato com a pele; classe C – Tecidos sem contato com a pele e tecidos para material de decoração e forrações.

Os requisitos gerais são ensaios básicos e simples para verificar se o produto tem qualidade de uso quanto ao suor, fricção, água e pH, se nesses ensaios o material não for aprovado, não prosseguir a avalição de presença e quantificação de substâncias que implicam na segurança química e reprovar a continuidade de avaliação do produto (ver tabelas abaixo).

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

 

As análises descritas na Seção 5 não são aplicáveis para qualquer produto têxtil, devido a muitas das substâncias não terem possibilidades de estar presentes conforme o tipo de produto têxtil que estiver sendo homologando. A coleta de amostras para ensaios deve ser efetuada de acordo com a NBR 5426, com NQA = 2,5, ou pode-se estabelecer outras formas de amostragem.

Quanto aos relatórios de ensaios, recomenda-se ao comprador requerer do fornecedor relatórios de ensaios que comprovem o atendimento aos ensaios descritos nas tabelas acima, conforme a aplicação do produto têxtil, considerando alterações de matérias primas e processos. Recomenda-se que a data de elaboração dos relatórios de ensaio ou validações da declaração de fornecedor não seja superior a um ano.

O fornecedor é o responsável pelo produto têxtil e suas matérias-primas, de acordo com as características estabelecidas nesta norma, bem como requerer os certificados correspondentes a todas as matérias primas, insumos e serviços. A colaboração e parceria entre a cadeia produtiva do setor têxtil é primordial assim como a revisão de processos empregados e também dos insumos utilizados.

A proposta de responsabilidade compartilhada entre cada uma das partes é apresentada conforme a seguir:

fornecedores de insumos químicos:

—— fornecer lista de insumos químicos opcionais aos citados nesta norma;

—— oferecer e divulgar a prática do uso de “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados;

indústrias e empresas consumidoras diretas de insumos químicos:

—— escolher fornecedores de insumos químicos que apresentem produtos, desenvolvimento e adequação de processos, visando ao atendimento desta norma;

—— solicitar de seus fornecedores a “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados;

—— fornecer a seus clientes a “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados;

—— adotar práticas que permitam a rastreabilidade de seus produtos quanto aos insumos utilizados;

indústrias consumidoras indiretas de insumos químicos:

—— adquirir matérias-primas têxteis que atendam aos limites estabelecidos nesta norma;

—— solicitar a seus fornecedores a “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados; fornecer a seus clientes a “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados;

—— adotar práticas que permitam a rastreabilidade de seus produtos;

comércio de confeccionados e tecidos (atacado e varejista):

—— adquirir e oferecer a seus clientes artigos têxteis que atendam aos limites estabelecidos nesta norma;

—— adotar práticas que permitam a rastreabilidade de seus produtos;

—— solicitar de seus fornecedores a “Declaração do Fornecedor” para que os limites estabelecidos nesta norma sejam assegurados;

associações industriais e de apoio a empresas envolvidas:

—— promover a divulgação e treinamento a respeito da norma a seus associados e demais empresas do setor pelo qual são responsáveis;

—— oferecer suporte para a integração e entendimento entre os diversos elos da cadeia têxtil, dentro de seu nicho de atuação;

—— informar critérios estabelecidos nesta norma aos seus clientes;

—— oferecer suporte a clientes na redefinição e implementação de processos;

—— compartilhar os critérios estabelecidos nesta norma junto a seus fornecedores de matérias primas.

A realização de ensaios para identificação de substâncias que implicam na segurança química é opcional e ocorre conforme acordo entre partes interessadas. Recomenda-se o uso da “Declaração do Fornecedor” (ver Anexo A) a fim de assegurar os critérios estabelecidos na ISO 19600.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Materiais Têxteis — Determinação de certas aminas aromáticas derivadas de corantes azoicos acessíveis a agentes redutores
NBR16551 de 12/2016

Materiais Têxteis — Determinação de certas aminas aromáticas derivadas de corantes azoicos acessíveis a agentes redutores

Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos
NBR5426 de 01/1985

Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos

Têxteis — Determinação de formaldeído - Parte 1: Formaldeído livre e hidrolisado (método de extração em água)
NBRISO14184-1 de 08/2014

Têxteis — Determinação de formaldeído - Parte 1: Formaldeído livre e hidrolisado (método de extração em água)

Materiais Têxteis - Método de ensaio para determinação de ftalatos
NBR16525 de 09/2016

Materiais Têxteis - Método de ensaio para determinação de ftalatos

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E07: Solidez da cor ao manchamento: Água
NBRISO105-E07 de 03/2011

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E07: Solidez da cor ao manchamento: Água

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E03: Solidez da cor à água colorada (água de piscina)
NBRISO105-E03 de 04/2011

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E03: Solidez da cor à água colorada (água de piscina)

Calçados - Substâncias críticas presentes no calçado e nos componentes dos calçados - Determinação de compostos organoestânicos em materiais de calçados
ABNT ISO/TS16179 de 02/2017

Calçados - Substâncias críticas presentes no calçado e nos componentes dos calçados - Determinação de compostos organoestânicos em materiais de calçados

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E02: Solidez da cor à água do mar
NBRISO105-E02 de 02/2014

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E02: Solidez da cor à água do mar

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E01: Solidez da cor à água
NBRISO105-E01 de 02/2014

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E01: Solidez da cor à água

Materiais têxteis — Determinação de metais pesados por digestão ácida assistida por micro-ondas
NBR16498 de 09/2018

Materiais têxteis — Determinação de metais pesados por digestão ácida assistida por micro-ondas

Têxteis - Ensaios de solidez da cor Parte E09: Solidez da cor ao tratamento a úmido
NBRISO105-E09 de 03/2009

Têxteis - Ensaios de solidez da cor Parte E09: Solidez da cor ao tratamento a úmido

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E06: Solidez da cor ao manchamento: Álcali
NBRISO105-E06 de 03/2009

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E06: Solidez da cor ao manchamento: Álcali

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E10: Solidez da cor à decatizagem
NBRISO105-E10 de 03/2009

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E10: Solidez da cor à decatizagem

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E04: Solidez da cor ao suor
NBRISO105-E04 de 05/2014

Têxteis — Ensaios de solidez da cor - Parte E04: Solidez da cor ao suor

Têxteis — Método para a detecção e determinação de alquilfenóis etoxilados (APEO) - Parte 1: Método usando HPLC-MS
NBRISO18254-1 de 11/2016

Têxteis — Método para a detecção e determinação de alquilfenóis etoxilados (APEO) - Parte 1: Método usando HPLC-MS

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E05: Solidez da cor ao manchamento: Ácido
NBRISO105-E05 de 03/2011

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E05: Solidez da cor ao manchamento: Ácido

Têxteis - Determinação de pH de extratos aquosos
NBRISO3071 de 04/2018

Têxteis - Determinação de pH de extratos aquosos

Materiais têxteis — Segurança química em têxteis — Requisitos e métodos de ensaio
NBR16787 de 07/2019

Materiais têxteis — Segurança química em têxteis — Requisitos e métodos de ensaio

Materiais têxteis — Determinação do ácido perfluoroctano sulfônico (PFOS) e seus derivados em artigos têxteis revestidos e impregnados — Método para amostragem, extração e análise por LC-qMS ou LC-MS/MS
NBR16712 de 11/2018

Materiais têxteis — Determinação do ácido perfluoroctano sulfônico (PFOS) e seus derivados em artigos têxteis revestidos e impregnados — Método para amostragem, extração e análise por LC-qMS ou LC-MS/MS

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E08: Solidez da cor à água quente
NBRISO105-E08 de 03/2009

Têxteis - Ensaios de solidez da cor - Parte E08: Solidez da cor à água quente

Materiais têxteis - Determinação da presença de corantes dispersos alergênicos e cancerígenos
NBR16503 de 01/2018

Materiais têxteis - Determinação da presença de corantes dispersos alergênicos e cancerígenos