Text page

As diretrizes de melhores práticas para o transporte

Quais são os subsídios ao negócio operacional de transporte? Quais são os serviços nas interfaces entre o transporte público e o privado? Como fazer a otimização de serviços de transporte para comunidades atuais e futuras? Qual o desempenho potencial ou esperado do transporte inteligente ou características para o transporte privado correspondente aos seis propósitos indicados na NBR ISO 37101:2017? Qual um exemplo de relação entre dois parâmetros usados para escolher os modos de transporte nas cidades? Essas dúvidas estão sendo dirimidas no texto sobre as diretrizes de melhores práticas para o transporte.

17/04/2019 - Equipe Target

NBR ISO 37154 de 03/2019: a melhoria de sistemas e infraestruturas de transporte inteligente

A NBR ISO 37154 de 03/2019 - Infraestruturas inteligentes da comunidade — Diretrizes de melhores práticas para o transporte fornece uma orientação geral sobre o processo de planejamento, projeto, desenvolvimento, organização, monitoramento, manutenção e melhoria de sistemas e infraestruturas de transporte inteligente, que pode ajudar a promover soluções para questões intra e intercidades, ou seja, para questões dentro e fora da cidade que afetam a qualidade de vida, o meio ambiente ou qualquer outra área de desempenho da cidade. Este documento aplica-se às infraestruturas de transporte utilizadas para a circulação de pessoas, mercadorias ou outros bens, incluindo itens transportados para entrega.

Este documento destina-se ao uso por planejadores urbanos e outros tomadores de decisão das comunidades, funcionários públicos, provedores de seguros, organizações de investimento e financiamento, operadoras de transporte, prestadores de serviços e fabricantes de equipamentos de transporte. Em especial, este documento destina-se a ser usado por aqueles envolvidos na tomada de decisões sobre modos de transporte para cumprir os objetivos relacionados à acessibilidade econômica, conveniência, baixo impacto ambiental e confiabilidade, ao mesmo tempo em que satisfaz às necessidades de um grupo diversificado de partes interessadas, incluindo os moradores da cidade, visitantes, autoridades governamentais e operadoras de transporte.

Este documento aborda o transporte inteligente considerando os fatores que moldam as comunidades, como população, dados demográficos, locais, cultura local e história. Aborda o escopo dos serviços, características e objetivos a serem atendidos por meio de soluções de transporte inteligente. Este documento não contém especificações técnicas para a construção de instalações de transporte.

Acesse algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Quais são os subsídios ao negócio operacional de transporte?

Quais são os serviços nas interfaces entre o transporte público e o privado?

Como fazer a otimização de serviços de transporte para comunidades atuais e futuras?

Qual o desempenho potencial ou esperado do transporte inteligente ou características para o transporte privado correspondente aos seis propósitos indicados na NBR ISO 37101:2017?

Qual um exemplo de relação entre dois parâmetros usados para escolher os modos de transporte nas cidades?

É fundamental para a qualidade de vida e a produtividade econômica de qualquer cidade ou comunidade a existência de uma infraestrutura que funcione bem. São elementos essenciais dessa infraestrutura o provimento de água e energia, o tratamento de águas residuais, a disposição de resíduos sólidos, a tecnologia da informação, as comunicações e o transporte. O transporte desempenha uma função altamente visível na vida dos moradores, garantindo que as pessoas possam trabalhar, participar de atividades sociais, participar do comércio e acessar instituições culturais e qualquer outra comodidade que a cidade ofereça.

Além disso, são necessárias redes de transporte para a distribuição de mercadorias em toda a cidade ou região. Os sistemas de transporte inadequados ou mal projetados podem criar custos econômicos significativos decorrentes da perda de produtividade, impactos ambientais e problemas de saúde.

As características e os serviços prestados por estas infraestruturas destinam-se a auxiliar as pessoas nas comunidades com seus negócios e vidas e a ajudar a estimular atividades para promover seus negócios e melhorar suas vidas, proporcionando oportunidades para entrar, permanecer e se deslocar dentro e fora das comunidades. As pessoas não querem passar o tempo todo em casa ou em um escritório, mesmo que as melhores tecnologias de informação e comunicação lhes ofereçam possibilidades de fazer negócios ou tomar uma decisão em qualquer lugar que desejam e a qualquer momento sem se deslocar.

A vida é muito mais do que apenas negócios auxiliados por uma comunicação eletrônica. As pessoas querem poder se movimentar de forma independente e ver, ouvir, tocar, provar e sentir diretamente o que elas têm interesse. As redes de transporte podem ser muito complexas, entrelaçando vários modos diferentes: veículos aéreos, navios, balsas, trens, caminhões e veículos de passageiros, e por modos não motorizados, como andar de bicicleta ou a pé.

Em especial, o transporte para a conexão intra/interurbano por meio de trens intermunicipais, trens interurbanos, trens de alta velocidade, metrôs, bondes, monotrilhos, veículos leves sobre trilhos, sistemas de transporte automatizados fortemente guiados, ônibus, caminhões, balsas e veículos aéreos são populares e convenientes para as pessoas, incluindo pessoas com deficiência, idosos e aqueles cujo desempenho físico está comprometido, que trabalham ou vivem em comunidades e que chegam ou saem a partir dali. Isso ocorre porque esses modos de transporte transportam com êxito, passageiros, itens de entrega e frete em grande escala, pontualmente e a baixo custo, auxiliados por tecnologias básicas estabelecidas que se desenvolveram por um longo período e que ainda estão sendo aprimoradas nos dias de hoje.

As cidades precisam ter sistemas de transporte que atendam às necessidades de um grupo diversificado de usuários, incluindo passageiros de dentro e de fora da cidade, pessoas com deficiência e idosos, e aqueles que transportam mercadorias e encomendas. Este documento descreve como o transporte é planejado, projetado, implementado, operado, mantido e melhorado para levar em consideração os pontos de vista de diferentes partes interessadas, incluindo os residentes e as autoridades governamentais das comunidades, bem como as necessidades do meio ambiente.

Este documento também descreve as condições mínimas a serem respeitadas no desempenho dos sistemas de transporte, mesmo depois de terem sido instalados, de modo a atingir os objetivos de uma infraestrutura de transporte inteligente, ou seja, sistemas de transporte economicamente eficientes que atendam ou excedam as necessidades dos usuários, minimizando o impacto ambiental. As decisões que vão desde o planejamento e investimentos em larga escala até escolhas individuais podem moldar o impacto dos sistemas de transporte em uma cidade. Os tomadores de decisão precisam pensar criteriosamente sobre os modos de transporte, bem como sobre as características e serviços desses meios, para garantir que os impactos positivos das infraestruturas de transporte superem os potenciais impactos negativos.

Além disso, dado que as populações e as tecnologias mudam, os tomadores de decisão precisam monitorar os sistemas de transporte para garantir que continuem atingindo os objetivos do transporte. Este documento descreve os objetivos do transporte inteligente e oferece suporte para o desenvolvimento de planos integrados de mobilidade urbana, incluindo a seleção e aplicação de serviços de transporte.

A adequação ou aplicabilidade de qualquer tecnologia ou serviços específicos a uma solução de transporte inteligente depende do modo de transporte e suas características técnicas e/ou comerciais. As soluções de transporte inteligentes auxiliam o desenvolvimento sustentável da comunidade e se alinham com as normas e as estruturas existentes que também suportam esse objetivo.

Por exemplo, a NBR ISO 37101:2017 identifica seis áreas essenciais para o desenvolvimento de comunidades inteligentes e sustentáveis: atratividade; preservação e melhoria do meio ambiente; resiliência; uso responsável de recursos; coesão social; bem-estar. Os objetivos listados a seguir , que requerem soluções de transporte inteligentes, apoiam os objetivos gerais da NBR ISO 37101:2017, Tabela A.1.

Além disso, as 14 necessidades da comunidade identificadas na ISO/TS 37151:2015 contra as quais é conveniente que o desempenho da infraestrutura seja confrontado (disponibilidade, acessibilidade, acessibilidade econômica, segurança pública e operacional, qualidade dos serviços, eficiência operacional, eficiência econômica, disponibilidade de informações sobre o desempenho, manutenibilidade, resiliência, uso eficaz de recursos, mitigação de mudanças climáticas, prevenção de poluição e conservação de ecossistemas) alinham com um ou mais dos objetivos listados a seguir (ver Tabela A.2 na norma).

Os objetivos a serem considerados ao avaliar o desempenho do transporte no contexto da obtenção de transportes inteligentes são os seguintes: proporcionar a todas as pessoas, incluindo crianças, pessoas com deficiência, idosos e aqueles cujo desempenho físico está comprometido e aos agentes econômicos os meios para uma vida e atividade econômica prática e produtiva; promover estilos de vida que não dependam de automóveis particulares; promover o desenvolvimento apoiado pelo transporte; assegurar um acesso prático aos mercados, recursos e comodidades da cidade; estimular a atividade econômica nas áreas centrais ou áreas economicamente depreciadas da cidade; aumentar a competitividade e o status da cidade em comparação com outras cidades regionalmente, nacionalmente ou globalmente; diminuir o impacto das atividades humanas sobre o meio ambiente; planejar e desenvolver instalações e serviços de transporte com base em planos bem fundamentados, orientados para as partes interessadas, e que considerem recursos orçamentários e tempo de retorno do investimento, segurança pública e operacional, capacidade das instalações versus necessidades estimadas e impactos ambientais; preservar e melhorar os recursos paisagísticos, estéticos, históricos, culturais e ambientais da comunidade.

É conveniente que as características e os serviços de transporte sejam selecionados e aplicados para obter soluções de transporte inteligentes, quer dentro de uma única comunidade, ou entre diferentes comunidades dentro de uma região maior.

Convém que os investimentos em transporte sejam priorizados para atingir um ou mais dos objetivos listados, quando o transporte é subsidiado. Para ajudar no processo de priorização dos temas das cidades que são convenientes de serem consideradas pelas infraestruturas de transporte, convém que os tomadores de decisão desenvolvam um plano integrado de mobilidade urbana que identifique os fatores que moldam as necessidades e escolhas de transporte e comparar esses fatores com aqueles que moldam os objetivos inteligentes da comunidade.

EXEMPLO 1 Karlsruhe, na Alemanha, é a primeira cidade a integrar com sucesso por meio da operação do material rodante do VLT as linhas VLT no centro da cidade e as ferrovias da Deutsche Bahn. Ao iniciar os serviços de passageiros em 1992, a rede VLT operava em uma área mais ampla, incluindo o centro da cidade e os subúrbios, resultando em fácil transferência para as pessoas que vivem e trabalham na área coberta pelos serviços.

EXEMPLO 2 Nagoya, Japão, instalou um sistema de ônibus específico ou transporte de ônibus guiado. Basicamente, a cidade de Nagoya e as áreas circundantes têm serviços de ônibus como transporte interno para cada cidade ou área. No entanto, o número de passageiros aumentou entre aqueles que viajam entre Nagoya e as áreas circundantes. Para fornecer uma capacidade maior para a transferência, mas sem mudar o meio de transporte ou ônibus ao qual os cidadãos já estão acostumados, a cidade de Nagoya instalou um sistema de transporte de ônibus que circula dentro da cidade e nas áreas vizinhas como um ônibus normal e entre a cidade de Nagoya e as áreas como um ônibus rápido circulando em um sistema de transporte guiado exclusivo.

Uma cidade compacta é uma espécie de cidade intencionalmente desenvolvida para atrair pessoas ou trazer de volta para uma pequena área, cidadãos que se mudaram do centro da cidade para os subúrbios. Para manter as pessoas no centro da cidade, as facilidades necessárias para uma vida da cidade, por exemplo, lojas, hospitais e escritórios, são colocadas em uma pequena área e conectadas com transporte fornecido em alta frequência e distâncias de parada pequenas.

O transporte tem funções importantes para manter as pessoas nesta área. Então, o transporte para cidades compactas é o transporte inteligente realmente implantado em muitas cidades em todo o mundo como uma ferramenta, com o objetivo de resolver o esvaziamento do centro da cidade causado pela saída de pessoas para os subúrbios, o que é um dos temas da cidade. A tabela abaixo mostra os fatores do transporte inteligente para desenvolver cidades compactas que são cidades intencionalmente desenvolvidas para atrair ou trazer de volta para uma pequena área, cidadãos que se mudaram do centro da cidade para os subúrbios.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Fatores de elementos do transporte inteligente para desenvolver cidades

As infraestruturas de transporte para soluções de transporte inteligentes podem ser instaladas nos seguintes locais: dentro de uma região ou uma comunidade; em rotas que conectam regiões; nas interfaces entre sistemas de transporte dentro/fora das comunidades; como melhorias nas infraestruturas de transporte existentes.

Convém que um plano integrado de mobilidade urbana, no limite do praticável, identifique para os usuários os fatores que determinam as necessidades de localização das infraestruturas de transporte, como: tamanho, localização e dados demográficos dos núcleos residenciais dentro e ao redor da cidade ou comunidade; locais de famílias de baixa e média renda e a distância a um transporte público economicamente acessível, bem como os potenciais impactos positivos que as infraestruturas de transporte poderiam ter sobre a modicidade de custos da habitação; tamanho e localização de áreas de atividade comercial e emprego dentro e fora da comunidade; fluxo de frete e/ou mercadorias pela da comunidade; inventário de instalações e ativos de transporte existentes; padrões de transporte atuais, incluindo o uso de modo e os níveis de tráfego; custos atuais do sistema de transporte; impactos ambientais da atividade de transporte atual.

Ao tomar decisões sobre infraestruturas de transporte, convém que os planejadores identifiquem as opções para: transportar pessoas, frete e mercadorias de forma segura, confiável, conveniente, eficiente e econômica; fornecer serviços de transporte que satisfaçam à demanda; reduzir o impacto ambiental sem reduzir a qualidade dos serviços de transporte; melhorar a eficiência das conexões entre diferentes modos de transporte; reduzir o uso total de energia da infraestrutura de transporte; tornar a operação de transporte economicamente sustentável, garantindo que seja viável e economicamente acessível a todos os usuários; melhorar a comunicação com o público sobre todos os aspectos dos serviços de transporte.

Os objetivos mencionados anteriormente podem ser alcançados garantindo que os sistemas de transporte sejam instalados para: transportar passageiros, itens de entrega e frete com segurança; transportar passageiros, itens de entrega e frete, especialmente quando em grande escala; transportar passageiros, itens de entrega e frete em um determinado tempo; transportar passageiros, itens de entrega e frete no prazo; transportar passageiros, itens de entrega e frete conforme planejado; transportar passageiros, itens de entrega e frete a preços baixos; fornecer redes compactas para o transporte; fornecer serviços frequentes para o transporte; fornecer uma conexão bem-sucedida e fácil para o transporte entre diferentes sistemas ou modos de transporte; se conectar onde nenhum transporte público estiver disponível; se conectar em qualquer momento, especialmente sem se preocupar com horários de transporte público; se conectar com a conveniência de passageiros e remetentes/destinatários de itens de entrega e frete; se comunicar pessoalmente, mas assegurando a privacidade; controlar a economia/consumo total de energia para o transporte; reduzir os impactos ambientais sem degradação na qualidade do serviço de transporte.

Com o planejamento do transporte urbano integrado, é conveniente que o plano permita: o transporte de pessoas e mercadorias de forma segura, confiável, eficiente e econômica; a provisão de redes adequadas às necessidades de transporte, especialmente investindo e melhorando as infraestruturas existentes; a criação de serviços frequentes para o transporte; o fornecimento de conexões eficientes para o transporte entre diferentes sistemas ou modos de transporte; a redução do total de economia/consumo de energia para o transporte; a redução do impacto ambiental sem degradação na qualidade do serviço de operação de transporte; a operação economicamente estável do transporte com tarifas razoáveis ou suportáveis pelos cidadãos locais.

Convém que a seleção de características e serviços de transporte se encaixe no planejamento urbano ou municipal e planejar cobrir áreas de fronteiras nacionais para fornecer soluções de transporte inteligentes em comunidades, incluindo essas áreas. Esse planejamento inclui os planos listados a seguir: planos diretores para uma cidade e uma região (por exemplo, estruturas urbanas, uso de terras); planos gerais de transporte em uma cidade e uma região; planos diretores para uma cidade e uma região, incluindo áreas de fronteira nacional (por exemplo, estruturas urbanas, uso da terra, turismo e indução de troca, bem-estar, economia local, habitação e ambiente residencial, preservação do meio ambiente natural, prevenção de desastres); planos gerais para uma área com cidades; desenvolvimento de planos usando serviços de transporte para uma área enorme, usualmente chamada megalópole; planos gerais para redes de transporte interurbanas; planos de desenvolvimento econômico para áreas específicas que possuam cidades conectadas por uma comunicação de alta velocidade; e planos cooperativos de desenvolvimento para fronteiras nacionais.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Transporte de pessoas por cabo - Construção e operação de teleférico monocabo com funcionamento contínuo do tipo pinça fixa
NBR16333 de 08/2019

Transporte de pessoas por cabo - Construção e operação de teleférico monocabo com funcionamento contínuo do tipo pinça fixa

Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos — Requisitos
NBR16484 de 12/2020

Segurança contra incêndio para sistemas de transporte sobre trilhos — Requisitos

Proteção contra incêndio em túneis rodoviários e urbanos - Operação de emergência em túneis rodoviários e urbanos - Requisitos
NBR16736 de 02/2019

Proteção contra incêndio em túneis rodoviários e urbanos - Operação de emergência em túneis rodoviários e urbanos - Requisitos

Gestão de riscos - Diretrizes
NBRISO31000 de 03/2018

Gestão de riscos - Diretrizes

Transporte de pessoas por cabo — Construção de teleférico monocabo de movimento contínuo do tipo pinça desengatável
NBR16334 de 08/2019

Transporte de pessoas por cabo — Construção de teleférico monocabo de movimento contínuo do tipo pinça desengatável

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos
NBR7500 de 05/2021

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos

Fabricação de veículos acessíveis de categoria M3 com características urbanas para transporte coletivo de passageiros — Especificações técnicas
NBR15570 de 07/2021

Fabricação de veículos acessíveis de categoria M3 com características urbanas para transporte coletivo de passageiros — Especificações técnicas

Elaboração e desenvolvimento de serviços técnicos especializados de projetos arquitetônicos e urbanísticos - Parte 2: Projeto arquitetônico
NBR16636-2 de 12/2017

Elaboração e desenvolvimento de serviços técnicos especializados de projetos arquitetônicos e urbanísticos - Parte 2: Projeto arquitetônico

Segurança no tráfego — Dispositivos de contenção viária — Diretrizes de projeto e ensaios de impacto.
NBR15486 de 03/2016

Segurança no tráfego — Dispositivos de contenção viária — Diretrizes de projeto e ensaios de impacto.

Sistemas de gestão da segurança viária (SV) - Requisitos com orientações para uso
NBRISO39001 de 10/2015

Sistemas de gestão da segurança viária (SV) - Requisitos com orientações para uso

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos
NBRISO9001 de 09/2015

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão
NBRISO19011 de 12/2018

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão

Transporte de pessoas por cabo - Construção, operação, manutenção de teleféricos multicabos tipo vaivém
NBR16335 de 08/2019

Transporte de pessoas por cabo - Construção, operação, manutenção de teleféricos multicabos tipo vaivém

Índices urbanísticos
NBR6505 de 10/1994

Índices urbanísticos

Infraestruturas inteligentes da comunidade — Diretrizes de melhores práticas para o transporte
NBRISO37154 de 03/2019

Infraestruturas inteligentes da comunidade — Diretrizes de melhores práticas para o transporte

Transporte terrestre de produtos perigosos - Resíduos
NBR13221 de 02/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos - Resíduos

Segurança no tráfego – Defensas metálicas – Implantação
NBR6971 de 04/2012

Segurança no tráfego – Defensas metálicas – Implantação

Dispositivos auxiliares — Cones para sinalização viária
NBR15071 de 12/2020

Dispositivos auxiliares — Cones para sinalização viária

Proteção contra incêndio em túneis rodoviários e urbanos
NBR15661 de 03/2021

Proteção contra incêndio em túneis rodoviários e urbanos

Aeroportos - Microônibus
NBR15365 de 05/2006

Aeroportos - Microônibus

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos
NBR9735 de 03/2020

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos

Transporte rodoviário de carga - Sistema de qualidade
NBR14884 de 05/2006

Transporte rodoviário de carga - Sistema de qualidade

Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros
NBR14022 de 01/2011

Acessibilidade em veículos de características urbanas para o transporte coletivo de passageiros

Sistemas de segurança contra incêndio em túneis — Sistemas de sinalização e de comunicação de emergências em túneis
NBR15981 de 12/2019

Sistemas de segurança contra incêndio em túneis — Sistemas de sinalização e de comunicação de emergências em túneis

Transporte terrestre de produtos perigosos - Incompatibilidade química
NBR14619 de 05/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos - Incompatibilidade química

Elaboração e desenvolvimento de serviços técnicos especializados de projetos arquitetônicos e urbanísticos - Parte 1: Diretrizes e terminologia
NBR16636-1 de 12/2017

Elaboração e desenvolvimento de serviços técnicos especializados de projetos arquitetônicos e urbanísticos - Parte 1: Diretrizes e terminologia

Desenvolvimento sustentável de comunidades — Sistema de gestão para desenvolvimento sustentável — Requisitos com orientações para uso
NBRISO37101 de 08/2017

Desenvolvimento sustentável de comunidades — Sistema de gestão para desenvolvimento sustentável — Requisitos com orientações para uso

Transporte - Acessibilidade no sistema de trem urbano ou metropolitano
NBR14021 de 06/2005

Transporte - Acessibilidade no sistema de trem urbano ou metropolitano