Text page

Os requisitos mínimos para filtros químicos

Qual deve ser a resistência à respiração (medida estática)? Qual é a vida útil mínima e condições para a medida da vida útil em bancada dos filtros para gases e vapores? Como deve ser feito o ensaio de condicionamento de vibração? Como deve ser executado o ensaio de vida útil? O que deve constar nas instruções de uso? Essas questões estão sendo apresentadas no texto sobre o equipamento de proteção respiratória com filtros químicos.

13/03/2019 - Equipe Target

NBR 13696 de 01/2010: o equipamento de proteção respiratória com filtros químicos

Após a análise de seu texto, foi confirmada a edição da NBR 13696 de 01/2010 - Equipamento de proteção respiratória - Filtros químicos e combinados fixa os requisitos mínimos para filtros químicos e combinados para uso como parte de um equipamento de proteção respiratória do tipo purificador de ar não motorizado.

Conheça algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Qual deve ser a resistência à respiração (medida estática)?

Qual é a vida útil mínima e condições para a medida da vida útil em bancada dos filtros para gases e vapores?

Como deve ser feito o ensaio de condicionamento de vibração?

Como deve ser executado o ensaio de vida útil?

O que deve constar nas instruções de uso?

De acordo com a sua aplicação e capacidade de proteção, os filtros químicos são classificados em tipos e classes. Os filtros químicos podem ser dos seguintes tipos: vapores orgânicos: para uso contra certos gases e vapores orgânicos conforme especificados pelo fabricante; gases ácidos: para uso contra certos gases ou vapores ácidos conforme especificados pelo fabricante (excluindo o monóxido de carbono); amônia: para uso contra amônia e compostos orgânicos da amônia conforme especificados pelo fabricante; especiais: para uso contra contaminantes específicos não incluídos nos tipos anteriores como, por exemplo, mercúrio, cloreto de vinila, óxido de etileno, monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio e formaldeído.

Os filtros multitipos são uma combinação de dois ou mais dos tipos citados e que satisfazem os requisitos de cada tipo (ver Seção 5). Os filtros combinados são filtros químicos ou filtros multitipos que incorporam um filtro para partículas. Cada tipo de filtro, conforme sua vida útil medida em ensaio de bancada, pode pertencer a uma das seguintes classes: filtro de baixa capacidade (FBC); classe 1; classe 2; classe 3.

A proteção proporcionada por um filtro de uma dada classe inclui a proteção dada pelo filtro correspondente de classe ou classes inferiores. A máxima concentração de contaminante em que um filtro para gases ou vapores de uma dada classe e tipo pode ser usado é mostrada na tabela abaixo. Um filtro multitipo pode ter tipos pertencentes a classes diferentes. Os filtros especiais não necessitam obrigatoriamente ser classificados.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Em todos os ensaios, todas as amostras devem satisfazer todos os requisitos especificados nesta norma. Quando dois ou mais filtros são projetados para serem usados em paralelo numa peça facial, se ensaiados em separado, a vazão de ensaio deve ser dividida igualmente pelo número de filtros.

Se, porém: cada um deles puder ser usado como filtro único em outro respirador do fabricante, a vazão de ar no ensaio em cada filtro deve ser a indicada. Os valores especificados nesta norma são expressos em valores nominais. Excluindo o limite de temperatura, valores não especificados como máximo ou mínimo estão sujeitos a uma tolerância de ± 5 %.

A temperatura ambiente deve estar entre 15 °C e 30 °C, estando os limites de temperatura sujeitos a uma exatidão de ± 1 °C. O filtro deve ser feito de material que suporte o manuseio, uso normal e exposições a temperaturas, umidades e atmosferas corrosivas daqueles ambientes onde vai ser usado. A estrutura do cartucho que constitui o filtro, na embalagem não violada, dentro do prazo de validade, não deve apresentar danos ocasionados pelos componentes do meio filtrante, como, por exemplo, sinais de corrosão.

Qualquer material particulado ou gasoso que possa ser liberado do meio filtrante pelo fluxo do ar através deste meio não deve constituir risco ou incômodo para o usuário. Os itens 5.2.1 e 5.2.2 devem ser avaliados por inspeção visual. Observar, por exemplo, mas não se limitar a isso, se o filtro é quebradiço ao manuseio, se apresenta sinais de deterioração (corrosão, umidade, sujidades etc.).

Se um filtro for combinado, o filtro para partículas deve obedecer aos requisitos de penetração especificados na NBR 13697. O filtro para partículas, quando usado conjuntamente com o filtro químico, deve estar instalado no lado da entrada do ar do filtro químico. Estes filtros devem ser avaliados por inspeção visual.

A conexão entre o filtro e a peça facial deve ser firme o suficiente para que o filtro (e acessórios, se existentes) não se desprenda(m) durante manuseio e uso e não apresente(m) vazamento de ar observável por inspeção visual. Se um filtro for projetado para ser usado em paralelo, sua conexão não deve permitir o seu uso em peças faciais que usam um só filtro, a não ser que cada filtro do par satisfaça os requisitos de vida útil e resistência à respiração.

O filtro deve ser montado na peça facial sem o uso de ferramentas e deve ser projetado ou marcado de modo a evitar montagem incorreta. Os filtros devem ser submetidos ao condicionamento de vibração, que simula impactos sofridos pelos filtros em situações de transporte e manuseio. Depois de submetidos ao condicionamento de vibração, os filtros não devem apresentar defeitos mecânicos e devem satisfazer os requisitos de resistência à respiração e de vida útil.

O condicionamento de vibração deve ser realizado conforme 7.3. A inspeção visual deve ser realizada conforme 7.1. Os filtros, quando especificados nesta norma, devem ser submetidos ao condicionamento térmico. Após o condicionamento térmico, os filtros não devem apresentar sinais de danos que comprometam seu desempenho, tais como rachaduras e deformações, e devem satisfazer os requisitos de resistência à respiração.

O condicionamento térmico deve ser realizado conforme 7.2 e a inspeção visual, conforme 7.1. A inspeção visual avalia requisitos que não permitem avaliações quantitativas através de ensaios quantitativos. Observar ou avaliar visualmente as marcações, informações fornecidas pelo fabricante, instruções de uso, características dos materiais utilizados e a ocorrência ou não de alterações nas características após a realização dos ensaios, conforme especificado nesta norma.

Quanto ao condicionamento térmico, submeter o filtro dentro da embalagem (se existir) ao seguinte ciclo térmico: atmosfera seca a (70 ± 3) °C, por 24 h; atmosfera de (- 30 ± 3) °C, por 24 h. Em seguida, retornar à temperatura ambiente por no mínimo 4 h entre exposições e antes do ensaio que requer este condicionamento térmico.

Todos os filtros devem conter no mínimo algumas marcações. A identificação do tipo e da classe. Se for filtro combinado, a identificação do filtro para partículas deve ser feita de acordo com a NBR 13697. Deve ter a identificação do fabricante; referência ou código do filtro; sentido de escoamento do ar, quando necessário; e lote de fabricação. As marcações devem ser feitas diretamente no filtro.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Equipamentos de proteção respiratória — Termos, definições, símbolos gráficos e unidades de medida
NBRISO16972 de 12/2015

Equipamentos de proteção respiratória — Termos, definições, símbolos gráficos e unidades de medida

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L
NBR17505-4 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações
NBR17505-3 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações

Equipamento de proteção respiratória — Filtros para partículas
NBR13697 de 08/2010

Equipamento de proteção respiratória — Filtros para partículas

Cadastro de acidente do trabalho - Procedimento e classificação
NBR14280 de 02/2001

Cadastro de acidente do trabalho - Procedimento e classificação

Equipamentos de proteção respiratória - Classificação
NBR12543 de 05/2017

Equipamentos de proteção respiratória - Classificação

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L
NBR17505-2 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L

Sistemas de proteção por extintores de incêndio
NBR12693 de 01/2021

Sistemas de proteção por extintores de incêndio

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos
NBR9735 de 03/2020

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos

Transporte terrestre de produtos perigosos — Terminologia
NBR7501 de 09/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos — Terminologia

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários
NBR17505-7 de 03/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários

Equipamento de proteção respiratória - Filtros químicos e combinados
NBR13696 de 01/2010

Equipamento de proteção respiratória - Filtros químicos e combinados

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais
NBR17505-1 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações
NBR17505-5 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos
NBR17505-6 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos

Espaço confinado — Prevenção de acidentes, procedimentos e medidas de proteção
NBR16577 de 03/2017

Espaço confinado — Prevenção de acidentes, procedimentos e medidas de proteção

Brigada de incêndio e emergência - Requisitos e procedimentos
NBR14276 de 04/2020

Brigada de incêndio e emergência - Requisitos e procedimentos

Equipamento de proteção respiratória — Peça semifacial filtrante para partículas
NBR13698 de 03/2011

Equipamento de proteção respiratória — Peça semifacial filtrante para partículas

Resíduo químico — Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente — Ficha com dados de segurança de resíduos químicos (FDSR) e rotulagem
NBR16725 de 08/2014

Resíduo químico — Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente — Ficha com dados de segurança de resíduos químicos (FDSR) e rotulagem