Text page

A norma técnica obrigatória das caixas para medidores de energia elétrica

Como deve ser ajustada a tampa ou porta da caixa para medidor de energia elétrica? Qual a proteção anticorrosiva para as caixas de chapa de aço-carbono zincada a fogo? Como deve ser feita a verificação de torque nos insertos metálicos? Como deve ser executada a verificação da estabilidade térmica – resistência ao envelhecimento? Como deve ser feita a determinação do porcentual de transmitância? Esses questionamentos estão sendo mostrados no texto sobre os requisitos da caixa para medidor de energia elétrica.

02/01/2019 - Equipe Target

NBR 15820 de 12/2018: os requisitos da caixa para medidor de energia elétrica

A NBR 15820 de 12/2018 - Caixa para medidor de energia elétrica - Requisitos estabelece os requisitos para a fabricação de caixas em materiais metálicos e não metálicos que acomodam o medidor de energia elétrica e/ou os acessórios que compõem o sistema de medição para valores de tensão até 1.000 V ca ou 1.500 V cc instalados ao tempo ou em ambiente abrigado. Não se aplica às caixas onde não são instalados equipamentos de medição e proteção de energia elétrica, como caixas de passagens, caixas de distribuição e proteção após a medição ou quadros de distribuição compactos. A sua aplicação não dispensa o atendimento aos regulamentos de órgãos públicos e das especificações técnicas das distribuidoras de energia elétrica.

Clique nos links para acessar algumas dúvidas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser ajustada a tampa ou porta da caixa para medidor de energia elétrica?

Qual a proteção anticorrosiva para as caixas de chapa de aço-carbono zincada a fogo?

Como deve ser feita a verificação de torque nos insertos metálicos?

Como deve ser executada a verificação da estabilidade térmica – resistência ao envelhecimento?

Como deve ser feita a determinação do porcentual de transmitância?

Pode-se definir a caixa para medidor de energia como um compartimento destinado a acomodar o sistema de medição, composto por corpo, suporte para equipamentos de medição e proteção, tampa ou porta com visor e dispositivo para instalar o sistema de lacre das respectivas distribuidoras. Já a caixa de proteção é o compartimento composto por corpo e tampa, ou porta, com a finalidade de alojar os dispositivos de proteção e seccionamento, podendo ou não possuir dispositivos para instalar o sistema de lacre das respectivas distribuidoras.

As caixas para medidor de energia podem ser são classificadas conforme o tipo de material: não metálico; metálico; combinação de materiais não metálicos e metálicos. Os materiais não podem conter chumbo, mercúrio, cádmio e cromo hexavalente. Devido à dificuldade de suprimir totalmente a presença de retardadores de chama bromados dos materiais, é tolerada a concentração máxima de 0,1%, em massa, de polibrominato bifenil (PBB) e polibromiato difenil éter (PBDE) em materiais homogêneos.

No modo de fixação das caixas, sua posição pode ser sobreposta em muro, parede de alvenaria, coluna de concreto, poste de aço ou concreto; embutida na alvenaria, coluna ou poste de concreto. No local de utilização: ao tempo; abrigada. No grau de proteção: código IP, de acordo com a NBR IEC 60529; código IK, de acordo com a IEC 62262.

A caixa para medidor de energia elétrica deve possuir identificação em baixo ou em alto relevo, de forma legível e indelével, com as seguintes informações: razão social, marca comercial ou logomarca do fabricante ou importador; mês e ano de fabricação; número de série ou lote. A identificação da matéria-prima das caixas não metálicas deve ser conforme a NBR 13230.

A documentação fornecida pelo fabricante deve compreender todas as características mecânicas de fabricação pertinentes à classificação das caixas para medidor de energia elétrica (ver Seção 4) e todas as instruções necessárias para o correto manuseio, montagem e fixação, e as condições de utilização da caixa de medição, assim como a referência a esta norma. As dimensões devem ser especificadas em milímetros.

As dimensões de altura, largura e profundidade estabelecidas pelas respectivas distribuidoras de energia devem ser consideradas valores nominais e constar na documentação fornecida pelo fabricante ou importador da caixa para medidor de energia elétrica. Os ressaltos das placas para passagem de condutores, fechamentos removíveis, fechos e outros acessórios não podem estar incluídos nas dimensões nominais externas.

As dimensões destes elementos devem, no entanto, estar indicadas na documentação fornecida pelo fabricante ou importador. A localização e os meios para fixação das caixas para medidor de energia devem estar indicados na documentação fornecida pelo fabricante ou importador. As condições dos elementos para montagem de componentes e os seus meios de fixação devem estar indicados na documentação fornecida pelo fabricante da caixa ou importador para medidor de energia elétrica.

As caixas para medidor de energia elétrica em conformidade com esta norma são previstas para serem utilizadas nas condições de serviço. As condições normais de serviço: temperatura do ar ambiente sujeita à variação de − 5°C a + 40°C, altitude de até 2.000 m e umidade relativa do ar até 100%. Quando forem requeridas condições especiais de utilização, estas devem estar de acordo com a especificação técnica das respectivas distribuidoras.

Exemplos de possíveis condições especiais: temperatura e umidade relativa do ar ambiente anormais; presença de substâncias corrosivas; presença de materiais particulados; requisitos mecânicos anormais e vibrações; presença de fauna, flora e mofo; influências ionizantes; perturbações eletromagnéticas. Nenhum acordo deve estar em contradição com as regras de segurança em vigor.

As caixas para medidor de energia elétrica devem ser acondicionadas de forma a garantir um transporte seguro em qualquer situação de percurso, da origem ao local da entrega. Devem ser embaladas individualmente e completamente montadas. Se as embalagens individuais forem acondicionadas em volumes maiores, estes devem apresentar peso e dimensões adequados ao manuseio, armazenamento e transporte.

As caixas para medidor de energia elétrica devem ser fabricadas somente com materiais capazes de suportar os requisitos mecânicos, elétricos e térmicos, como especificado na Seção 8, assim como os efeitos da umidade normalmente encontrada em utilização normal. A proteção contra a corrosão deve ser assegurada mediante a utilização de material adequado ou pela aplicação de camadas de proteção sobre sua superfície exposta, considerando-se as condições de utilização previstas. A conformidade a este requisito é verificada pelo ensaio de verificação da proteção anticorrosiva.

As caixas para medidor de energia elétrica e suas partes feitas de material isolante, a estabilidade térmica e a resistência ao calor, ao fogo e às intempéries devem ser verificadas por meio dos ensaios previstos nessa norma. Se algumas partes da caixa para medidor de energia elétrica forem desenvolvidas para fixar e suportar partes condutoras de tensão e corrente, elas devem atender às especificações técnicas das respectivas distribuidoras para elaboração do projeto e verificação.

As partes externas das caixas metálicas e das não metálicas devem apresentar o acabamento uniforme, liso, sem reentrâncias ou rebarbas, principalmente nos pontos de dobra, solda ou de injeção de material, e devem possuir seus componentes bem ajustados entre si, de modo a formar um conjunto rígido. As caixas para medidor de energia elétrica devem garantir a estanqueidade ao código IP estabelecido por esta norma, cuja conformidade a este requisito deve ser verificada por meio do ensaio descrito em 8.7, mesmo havendo a necessidade de o fabricante prever na caixa para medidor de energia furação e aberturas para ventilação.

A caixa para medidor de energia elétrica deve prever características construtivas de controle térmico com a função de não permitir que o compartimento interno ultrapasse a temperatura de 60°C, mesmo sendo instalada ao tempo. A conformidade a este requisito deve ser verificada pelo ensaio descrito em 8.13.

Quando a caixa para medidor de energia elétrica necessitar de pintura para atender aos requisitos dos ensaios de névoa salina e câmara úmida, ela deve atender à aderência Gr0 da NBR 5841. As caixas para medidor de energia elétrica devem incorporar tanto quanto possível as características construtivas e funcionais, de forma a facilitar a sua aplicação. No fechamento do corpo da caixa e da tampa, bem como na sua fixação, não é permitido o uso de qualquer tipo de rebite.

A critério das distribuidoras, a caixa para medidor de energia elétrica pode ou não compartilhar os dispositivos de proteção e/ou seccionamento, sendo que a sua fixação deve ser projetada de forma a suportar os esforços de manobra, não permitindo deslocamento vertical ou horizontal. A caixa para medidor de energia elétrica deve possuir meios apropriados para sua fixação, de acordo com a especificação das respectivas distribuidoras.

A caixa para medidor de energia elétrica deve ser contemplada com dispositivo (s) seguro (s) para a instalação do (s) lacre (s) adotado (s) pelas distribuidoras. A caixa para medidor de energia elétrica deve possuir suporte (s) para fixação do medidor, sendo que, ao longo da vida útil estimada da caixa, esta não pode apresentar deformações que provoquem a queda e/ou deslocamento do medidor, que venha a influenciar diretamente no seu funcionamento adequado e/ou coloque em risco a integridade física das pessoas.

Todos os sistemas de fixação devem ser fornecidos pelo fabricante de maneira que esta proporcione a resistência mecânica e as intempéries especificadas nesta norma. Os ensaios previstos nesta norma são de tipo. Os ensaios devem ser realizados para demonstrar a conformidade com esta norma, quando aplicável.

Os ensaios devem ser realizados em amostras representativas e/ou corpos de prova conforme relacionados na tabela abaixo. As caixas para medidor de energia elétrica a serem ensaiadas devem estar montadas conforme as instruções do fabricante. Salvo especificação em contrário, as caixas para medidor de energia elétrica devem ser ensaiadas como fornecidas e nas condições normais de utilização. Salvo especificação em contrário, os ensaios devem ser efetuados à temperatura ambiente de (20 ± 5)°C.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

O ensaio de resistência mecânica visa avaliar comparativamente a integridade mecânica e a rigidez das caixas para medidor de energia elétrica. A caixa para medidor de energia elétrica montada deve ser submetida a uma força de compressão vertical de 350 kgf à velocidade de deslocamento de 5,0 mm/min. Após atingir a força de compressão de 350 kgf, deve ser mantida nesta condição por um período de 1 min.

Montar as amostras na posição vertical entre duas placas rígidas, para permitir a compressão uniforme sobre as paredes laterais. Nas caixas com material metálico, após a aplicação das forças verticais sobre parede, as amostras não podem apresentar deformação permanente de 2 mm e não podem permitir a abertura da caixa durante o ensaio. As caixas não metálicas devem ser consideradas aprovadas se, após o ensaio, cada unidade não apresentar rachaduras e se a tampa e o sistema de encaixe da tampa ou corpo continuarem firmes, não permitindo a abertura da caixa durante o ensaio de deslocamento da tampa ou porta.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Tintas e vernizes - Avaliação da degradação de revestimento - Designação da quantidade e tamanho dos defeitos e da intensidade de mudanças uniformes na aparência - Parte 3: Avaliação do grau de enferrujamento
NBRISO4628-3 de 05/2015

Tintas e vernizes - Avaliação da degradação de revestimento - Designação da quantidade e tamanho dos defeitos e da intensidade de mudanças uniformes na aparência - Parte 3: Avaliação do grau de enferrujamento

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente — Determinação da massa do revestimento por unidade de área — Método de ensaio
NBR7397 de 05/2016

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente — Determinação da massa do revestimento por unidade de área — Método de ensaio

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente - Verificação da aderência do revestimento - Método de ensaio
NBR7398 de 11/2015

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente - Verificação da aderência do revestimento - Método de ensaio

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-12: Métodos de ensaio de fio incandescente/aquecido - Método de ensaio de inflamabilidade para materiais
NBRIEC60695-2-12 de 12/2013

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-12: Métodos de ensaio de fio incandescente/aquecido - Método de ensaio de inflamabilidade para materiais

Medidor de energia ativa - Especificação
NBR8377 de 10/1995

Medidor de energia ativa - Especificação

Embalagens e acondicionamento plásticos recicláveis - Identificação e simbologia
NBR13230 de 11/2008

Embalagens e acondicionamento plásticos recicláveis - Identificação e simbologia

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-13: Métodos de ensaio de fioincandescente/aquecido - Métodos de ensaio de temperatura de inflamabilidade ao fio incandescente (GWIT) para materiais
NBRIEC60695-2-13 de 12/2013

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-13: Métodos de ensaio de fioincandescente/aquecido - Métodos de ensaio de temperatura de inflamabilidade ao fio incandescente (GWIT) para materiais

Intercâmbio de informações para sistemas de medição de energia elétrica
NBR14522 de 04/2008

Intercâmbio de informações para sistemas de medição de energia elétrica

Ensaios climáticos - Parte 2: Ensaios - Ensaio Ed: Queda livre
NBRIEC60068-2-32 de 02/2022

Ensaios climáticos - Parte 2: Ensaios - Ensaio Ed: Queda livre

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente - Verificação da espessura do revestimento por processo não destrutivo - Método de ensaio
NBR7399 de 11/2015

Produto de aço e ferro fundido galvanizado por imersão a quente - Verificação da espessura do revestimento por processo não destrutivo - Método de ensaio

Ensaios relativos aos riscos de fogo - Parte 2-10: Ensaio de fio incandescente/aquecido - Aparelhagem e método comum de ensaio
NBRIEC60695-2-10 de 12/2015

Ensaios relativos aos riscos de fogo - Parte 2-10: Ensaio de fio incandescente/aquecido - Aparelhagem e método comum de ensaio

Caixa para medidor de energia elétrica - Requisitos
NBR15820 de 12/2018

Caixa para medidor de energia elétrica - Requisitos

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 11-5: Ensaio de chama — Método de Ensaio de chama de agulha — Aparelhagem, dispositivo de ensaio de verificação e orientações
NBRIEC60695-11-5 de 12/2020

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 11-5: Ensaio de chama — Método de Ensaio de chama de agulha — Aparelhagem, dispositivo de ensaio de verificação e orientações

Ensaios climáticos - Parte 2: Ensaios - Ensaio Eh: Ensaios com martelo
NBRIEC60068-2-75 de 03/2007

Ensaios climáticos - Parte 2: Ensaios - Ensaio Eh: Ensaios com martelo

Graus de proteção providos por invólucros (Códigos IP)
NBRIEC60529 de 04/2017

Graus de proteção providos por invólucros (Códigos IP)

Medidores eletrônicos de energia elétrica – Método de ensaio
NBR14520 de 11/2011

Medidores eletrônicos de energia elétrica – Método de ensaio

Medidores eletrônicos de energia elétrica — Especificação
NBR14519 de 11/2011

Medidores eletrônicos de energia elétrica — Especificação

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 10-2: Calor anormal — Ensaio de pressão por esfera
NBRIEC60695-10-2 de 05/2020

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 10-2: Calor anormal — Ensaio de pressão por esfera

Galvanização por imersão a quente de produtos de aço e ferro fundido - Especificação
NBR6323 de 07/2016

Galvanização por imersão a quente de produtos de aço e ferro fundido - Especificação

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-11: Ensaio de fio incandescente — Método de ensaio de inflamabilidade para produtos acabados (GWEPT)
NBRIEC60695-2-11 de 04/2016

Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-11: Ensaio de fio incandescente — Método de ensaio de inflamabilidade para produtos acabados (GWEPT)

Medidor de energia ativa - Método de ensaio
NBR8378 de 10/1995

Medidor de energia ativa - Método de ensaio

Ensaios climáticos - Parte 2-30: Ensaios - Ensaio Db: Calor úmido, Cíclico (ciclo de 12 h + 12 h)
NBRIEC60068-2-30 de 06/2006

Ensaios climáticos - Parte 2-30: Ensaios - Ensaio Db: Calor úmido, Cíclico (ciclo de 12 h + 12 h)

Determinação do grau de empolamento de superfícies pintadas
NBR5841 de 08/2015

Determinação do grau de empolamento de superfícies pintadas

Galvanização de produtos de aço e ferro fundido por imersão a quente - Verificação da uniformidade do revestimento - Método de ensaio
NBR7400 de 11/2015

Galvanização de produtos de aço e ferro fundido por imersão a quente - Verificação da uniformidade do revestimento - Método de ensaio

Aceitação de lotes de medidores eletrônicos de energia elétrica — Procedimento
NBR14521 de 11/2011

Aceitação de lotes de medidores eletrônicos de energia elétrica — Procedimento

Material metálico revestido e não revestido - Corrosão por exposição à névoa salina - Método de ensaio
NBR8094 de 07/1983

Material metálico revestido e não revestido - Corrosão por exposição à névoa salina - Método de ensaio