Text page

A segurança dos portões de garagem de uso residencial

A norma internacional IEC 60335-2-95, editada pela (IEC) em 2017, use trata da segurança de acionamentos eléctricos para portões de garagem para uso residencial que se abrem e fecham na direção vertical, sendo que a tensão nominal das unidades não pode ser superior a 250 V para aparelhos monofásicos e 480 V para outros aparelhos.

06/12/2017 - Equipe Target

IEC 60335-2-95: a segurança dos portões de garagem para uso residencial

A IEC 60335-2-95:2017 - Household and similar electrical appliances - Safety - Part 2-95: Particular requirements for drives for vertically moving garage doors for residential use trata da segurança de acionamentos eléctricos para portões de garagem para uso residencial que se abrem e fecham na direção vertical, sendo que a tensão nominal das unidades não pode ser superior a 250 V para aparelhos monofásicos e 480 V para outros aparelhos.

Também cobre os riscos associados ao movimento desses portões de garagem movidos eletricamente. Esta norma internacional também se aplica a dispositivos de proteção contra dispositivos de aprisionamento para uso com as unidades. Não abrange os riscos relacionados aos mecanismos do próprio portão.

Este padrão não se aplica às unidades: para persianas, toldos, persianas e equipamentos similares (IEC 60335-2-97); para portões de garagem para uso em mais de uma casa (IEC 60335-2-103); para fins comerciais e industriais ou para unidades destinadas a ser utilizadas em locais onde prevalecem condições especiais, como a presença de uma atmosfera corrosiva ou explosiva (poeira, vapor ou gás).

Esta terceira edição anula e substitui a segunda edição publicada em 2002, incluindo a sua Emenda 1 (2004) e a sua Emenda 2 (2008). Constitui uma revisão técnica. As principais mudanças nesta edição em comparação com a segunda edição foram pequenas alterações. Por exemplo, algumas notas foram convertidas em texto normativo (11.7, 20.2, 20.101).

Foi adicionado um requisito para caber um dispositivo de proteção contra dispositivos de aprisionamento (22.109). A atenção dos Comitês Nacionais foi direcionada para o fato de que os fabricantes de equipamentos e as organizações de ensaios podem precisar de um período de transição após a publicação de uma nova publicação IEC, modificada ou revisada para fazer produtos de acordo com os novos requisitos e equipar-se para conduzir novos ensaios.

Esta publicação deve ser lida em conjunto com a IEC 60335-1: 2010. Esta versão consolidada consiste na terceira edição (2011), na sua emenda 1 (2015) e na sua emenda 2 (2017). Portanto, não há necessidade de ordem de alteração além desta publicação.

Conteúdo da norma

Introdução.......................... 7

1 Escopo............................. 8

2 Referências normativas......... 8

3 Termos e definições...... ....... 8

4 Requisito geral........... ....... 9

5 Condições gerais para os ensaios...................... 9

6 Classificação................. .................. 9

7 Marcação e instruções................. 10

8 Proteção contra acesso a partes vivas...... 12

9 Partida de aparelhos a motor................. 12

10 Entrada de energia e corrente....... 12

11 Aquecimento.......................... 12

12 Vácuo............................ 13

13 Corrente de fuga e força elétrica à temperatura de operação................. 13

14 Sobretensões transitórias.................................... .. 13

15 Resistência à umidade........................... ....... 13

16 Corrente de fuga e força elétrica........................... 13

17 Proteção de sobrecarga de transformadores e circuitos associados.... .13

18 Resistência.......................... .................... 13

19 Operação anormal........................ ....... 13

20 Estabilidade e riscos mecânicos.......... 14

21 Resistência mecânica................. ...... 18

22 Construção.............. .................. 18

23 Fiação interna.......... ................ 20

24 Componentes.......... .................. 20

25 Conexão de alimentação e cabos flexíveis externos................. 20

26 Terminais para condutores externos................................. 20

27 Provisão para aterramento..................................... ..... 20

28 Parafusos e conexões.........................................20

29 Calhas, distâncias de fuga e isolamento sólido............ 20

30 Resistência ao calor e ao fogo............................ 21

31 Resistência à ferrugem........................... ...... 21

32 Radiação, toxicidade e perigos similares.............. 21

Figura 101 - Exemplos de tipos de portões de garagem.............. 22

Figura 102 - Exemplo de aviso de pictograma contra aprisionamento infantil..................... 23

Anexos................. 24

Anexo R (normativo) Avaliação do software............. 25

Bibliografia...................... ......................... 26

Foi assumido na elaboração desta norma internacional que a execução de suas provisões foi confiada a pessoas devidamente qualificadas e experientes. Esta norma reconhece o nível internacionalmente aceito de proteção contra riscos tais elétricos, mecânicos, térmicos, contra incêndio e radiação de aparelhos quando operados como em uso normal levando em consideração as instruções do fabricante.

Também abrange situações anormais que podem ser esperadas na prática e leva em consideração a maneira pela qual os fenômenos eletromagnéticos podem afetar o funcionamento seguro dos aparelhos. Esta norma leva em consideração os requisitos da IEC 60364 na medida do possível para que haja compatibilidade com as regras de fiação quando o aparelho está conectado ao fornecimento de energia elétrica.

No entanto, as regras nacionais de fiação podem ser diferentes. Se um aparelho dentro do escopo desta norma também incorporar funções cobertas por outra parte 2 da IEC 60335, a parte 2 mais relevante é aplicada a cada função separadamente, o que deve ser considerado razoável. Se aplicável, a influência de uma função no outro é levada em conta.

Quando a parte 2 não incluir requisitos adicionais para cobrir os riscos tratados na parte 1, a parte 1 deve ser aplicada. Isso significa que os comitês técnicos responsáveis pela norma da parte 2 determinaram que é não é necessário especificar requisitos particulares para o aparelho em questão além dos requisitos gerais.

Esta norma faz parte de uma série que trata da segurança dos aparelhos e leva precedência sobre as normas horizontais e genéricas que cobrem o mesmo assunto. As normas horizontais e genéricas que abrangem um perigo não são aplicáveis desde que foram levados em consideração ao desenvolver os requisitos gerais e particulares para a série IEC 60335.

Por exemplo, no caso de requisitos de temperatura para superfícies em muitos aparelhos, normas genéricas, como a ISO 13732-1 para superfícies quentes, não são aplicáveis além das normas da parte 1 ou parte 2. Um aparelho que cumpra o texto desta norma não será necessariamente considerado como cumpridor dos princípios de segurança se, quando examinado e ensaiado, for encontradas outras características que prejudicam o nível de segurança coberto por esses requisitos.

Um aparelho que emprega materiais ou que possui formas de construção diferentes das detalhadas nos requisitos desta norma podem ser examinados e ensaiados de acordo com a intenção dos requisitos e, se for considerado substancialmente equivalente, podem ser considerados conforme com a norma.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Fechadura de embutir externa para portas de correr - Requisitos
NBR13053 de 08/1998

Fechadura de embutir externa para portas de correr - Requisitos

Fechadura de sobrepor interna só com lingüeta - Especificação
NBR13049 de 11/1993

Fechadura de sobrepor interna só com lingüeta - Especificação

Cilindro para fechaduras - Especificação
NBR12928 de 04/1993

Cilindro para fechaduras - Especificação

Fechadura de embutir – Requisitos, classificação e métodos de ensaio
NBR14913 de 09/2011

Fechadura de embutir – Requisitos, classificação e métodos de ensaio

Portas de madeira para edificações - Parte 1: Terminologia e simbologia
NBR15930-1 de 11/2011

Portas de madeira para edificações - Parte 1: Terminologia e simbologia

Fechaduras de sobrepor externa para portas de enrolar - Requisitos
NBR14297 de 03/1999

Fechaduras de sobrepor externa para portas de enrolar - Requisitos

Fechadura auxiliar de embutir - Requisitos, classificação e métodos de ensaio
NBR13060 de 01/2007

Fechadura auxiliar de embutir - Requisitos, classificação e métodos de ensaio

Portas e vedadores - Determinação da resistência ao fogo
NBR6479 de 04/1992

Portas e vedadores - Determinação da resistência ao fogo

Porta resistente ao fogo para entrada de unidades autônomas e compartimentos específicos de edificações
NBR15281 de 11/2021

Porta resistente ao fogo para entrada de unidades autônomas e compartimentos específicos de edificações

Fechadura de sobrepor interna com trinco e lingüeta - Especificação
NBR13050 de 11/1993

Fechadura de sobrepor interna com trinco e lingüeta - Especificação

Portas de madeira para edificações - Parte 2: Requisitos
NBR15930-2 de 07/2018

Portas de madeira para edificações - Parte 2: Requisitos

Fechadura de sobrepor externa com trinco e lingueta - Requisitos, classificação e métodos de ensaio
NBR13051 de 10/2014

Fechadura de sobrepor externa com trinco e lingueta - Requisitos, classificação e métodos de ensaio

Sistemas de portas automáticas
NBR15202 de 01/2006

Sistemas de portas automáticas

Porta corta-fogo para saída de emergência
NBR11742 de 08/2018

Porta corta-fogo para saída de emergência

Acessórios destinados à porta corta-fogo para saída de emergência - Requisitos
NBR13768 de 01/1997

Acessórios destinados à porta corta-fogo para saída de emergência - Requisitos

Barra antipânico - Requisitos
NBR11785 de 11/2018

Barra antipânico - Requisitos

Fechaduras para portas de vidro - Requisitos
NBR14651 de 03/2001

Fechaduras para portas de vidro - Requisitos

Sistemas de portas automáticas — Requisitos e métodos de ensaios
NBR16025 de 01/2012

Sistemas de portas automáticas — Requisitos e métodos de ensaios