Text page

NBR 16568 de 12/2016: a determinação do rendimento de vernizes

Como se pode calcular o rendimento teórico máximo do verniz? Como devem ser expressos os resultados do rendimento? Essas questões estão sendo mostradas no texto sobre o rendimento dos vernizes para uso interior e exterior.

28/12/2016 - Equipe Target

oO rendimento dos vernizes para uso interior e exterior

A NBR 16568 de 12/2016 - Vernizes — Determinação do rendimento para uso interior e exterior estabelece o método para determinação do rendimento de vernizes para uso interior e exterior. Esse método estabelece o rendimento teórico máximo de um verniz em função de seu volume de sólidos e de uma camada seca pré-definida sem considerar as perdas provenientes da aplicação.

Acesse algumas perguntas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como se pode calcular o rendimento teórico máximo do verniz?

Como devem ser expressos os resultados do rendimento?

Pode-se definir a espessura da película seca (EPS) como a espessura da camada de verniz final depositada sobre o substrato. Para o procedimento para cálculo do rendimento teórico máximo, deve-se calcular o rendimento teórico máximo do verniz, expresso em metros quadrados por litro (m²/L), utilizando a seguinte equação: Rt= SV x 10/EPS, onde Rt é o rendimento teórico, expresso em metros quadrados por litro (m²/ L); SV é a quantidade de sólidos por volume, expressa em porcentagem (%); EPS é a espessura da película seca, expressa em micrômetros (μm); 10 é a constante da equação para que o resultado seja expresso em metro quadrado por litro (m²/ L).

Para se calcular a dedução dimensional do verniz, expresso em metros quadrados (m²), utiliza-se a seguinte equação: V = A × h, onde V é volume seco do verniz, expresso em litros (L); A é a área aplicada com o volume de verniz em análise, expresso em metros quadrados (m²); e h é a altura ou espessura do filme seco, expresso em micrômetros (μm).

As perdas podem ser consideradas como as quantidades de verniz que restam nas embalagens, que respingam no chão, que ficam nas espátulas ou nas hélices dos agitadores e espessuras maiores do que as especificadas. Também, as quantidades de verniz que ao serem pulverizados não atingem o alvo e as que não conseguem chegar à superfície por causa do ar da pistola que retorna desviando o spray do verniz em outras direções e formando a nuvem de verniz (overspray) ou pulverização seca.

Os resultados devem ser expressos em metros quadrados por litro (m²/L), em uma espessura seca determinada de 75 μm. Rt = SV x 10/EPS. O relatório de ensaio deve conter as seguintes informações: identificação do técnico responsável pelo ensaio; data de execução e leitura dos resultados; referência a esta norma; e espessura utilizada para o cálculo.

Pode-se afirmar que, durante a construção ou reforma de um imóvel são muitas as tarefas de acabamento, sem as quais ainda não terá uma boa casa, entre estas o tratamento adequado de todas as madeiras deve ser feito, algumas com a utilização de seladoras e tintas, e também através de acabamento com verniz. Antes de pensar diretamente no acabamento com verniz é importante conhecer um pouco mais sobre este produto, isto ajudará a escolher o verniz correto.

As marcas existentes no mercado são inúmeras, desde as famosas marcas de tintas até marcas mais específicas de produtos para madeira. Assim, existem diversos tipos de vernizes, basta escolher o tipo de verniz que deseja entre os que são produzidos por sua marca favorita. Independente do tipo de verniz que escolher deve ter certos cuidados durante sua aplicação, estes cuidados sempre estão descritos na forma de aplicar o verniz em sua embalagem, mas entre diversos cuidados para ter um acabamento perfeito vale lembrar que a superfície deve estar limpa e livre de poeira; o verniz deve ser diluído exatamente como o fabricante recomendo; e deve ser aplicado como fabricante recomenda (podendo ser geralmente com pincel ou pistola).

Para escolher o verniz ideal, o primeiro ponto importante é definir em que local o verniz será aplicado. Isto faz toda a diferença para o tipo de verniz que deverá utilizar, pois cada local de sua casa possui características únicas que podem ser mais bem atendidas por determinados tipos de verniz.

De um modo geral a maior preocupação é realmente com a água e também com sol, estes dois fatores são os que costumam causar maiores danos para as madeiras de uma casa. Se for utilizar verniz em áreas que recebem chuva deve procurar algum verniz com proteção UV, desta forma estará protegendo sua madeira.

Para áreas que receberão chuva, o ideal é utilizar verniz naval (o mesmo utilizado para madeiras em barcos). Este tipo de verniz oferece uma grande resistência a água, torna a madeira realmente impermeável, é um pouco mais caro que um verniz comum, mas o investimento vale a pena.

Enfim, os vernizes são produtos majoritariamente à base de solventes orgânicos e caracterizam-se por permitirem um revestimento transparente, com diferentes brilhos e de grande dureza. Ao nível da produção e utilização requerem preocupações especiais por conterem substâncias inflamáveis.

A produção é idêntica à das tintas de base solvente. A maioria dos vernizes é à base de solvente. São fabricados dissolvendo-se óleos naturais ou sintéticos ou resinas em aguarrás, que também é usada para diluir tinta e limpar pincéis e superfícies.

Há também vernizes à base de água, mais fáceis de aplicar e limpar, e que levam menos tempo para secar. Alguns tipos são transparentes e outros coloridos, havendo também a variedade com corantes próprios para usar em madeira natural para imitar cores de diferentes madeiras, tais como mogno-escuro, pinho-antigo e teça.

Normalmente, é uma substância líquida, constituída por resinas, solventes e aditivos, que, após aplicação, sofre um processo de cura e se converte em uma película transparente, aderente e flexível. São produzidos vários tipos. O verniz poliuretânico é um produto à base de solvente, que proporciona acabamento durável e resistente a calor e álcool. Leva de 4 a 6 horas para secar e é preciso esperar de um dia para o outro para aplicar nova demão. É encontrado em acabamento fosco e alto brilho.

O verniz acrílico é à base de água, seca em 1 hora. Não amarela com o tempo como os vernizes à base de solvente, mas não é tão resistente, sendo necessárias várias demãos. Encontrado em acabamento acetinado, fosco, semifosco e alto brilho, todas elas nas versões transparentes ou com pigmentos.

O verniz para efeito de craquelê é um produto especial usado para dar acabamento de craquelê. O nome é aplicado imprecisamente a dois diferentes tipos: um é usado entre duas camadas de tinta para deixar rachada a camada  superior, enquanto o outro é um sistema de verniz de duas camadas em que a camada de secagem mais rápida é aplicada sobre uma base que seca mais devagar.

O verniz em spray é fabricado à base de solvente, é encontrado em acabamento fosco ou com brilho e nas versões adequadas para mobiliário ou retoque e proteção da pintura. É útil para decorar itens pequenos de formato complicado, mas dispendioso para áreas grandes.

O verniz a óleo é o tradicional acabamento transparente para madeira, feito com óleos e resinas naturais diluídas em aguarrás. O verniz a álcool é feito diluindo-se goma laca ou outra resina em álcool metilado. Seca de 15 a 30 minutos, formando uma película dura mas quebradiça, que não é a prova de água ou álcool. É difícil passá-lo com pincel, portanto é aplicado com uma boneca ou sobre a camada de base antes do esmalte, para certos efeitos de pintura. Compre apenas a quantidade necessária, porque é um produto que não se conserva bem.

O verniz alquídico é feito à base de solvente, porém mais forte do que os vernizes tradicionais à óleo. Leva de 4 a 6 horas para secar, e a segunda demão só pode ser dada depois de cerca de 12 horas. O acabamento pode ser fosco ou alto brilho, nos tipos colorido e transparente. tipos modificados (verniz para barcos) são muito duráveis e utilizados com seladores para pisos.

Por fim, a laca ou verniz de celulose que é um produto especial usado em móveis para dar um acabamento durável. É desagradável trabalhar com ele e não se encontra facilmente no mercado.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Tintas para construção civil - Método de ensaio de tintas para edificações não industriais - Determinação do teor de sólidos
NBR15315 de 12/2005

Tintas para construção civil - Método de ensaio de tintas para edificações não industriais - Determinação do teor de sólidos

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Avaliação microbiológica de tintas, vernizes, complementos, matérias-primas e instalações
NBR15458 de 01/2007

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Avaliação microbiológica de tintas, vernizes, complementos, matérias-primas e instalações

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência à abrasão úmida
NBR14940 de 09/2018

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência à abrasão úmida

Tintas e vernizes - Avaliação da degradação de revestimento - Designação da quantidade e tamanho dos defeitos e da intensidade de mudanças uniformes na aparência - Parte 3: Avaliação do grau de enferrujamento
NBRISO4628-3 de 05/2015

Tintas e vernizes - Avaliação da degradação de revestimento - Designação da quantidade e tamanho dos defeitos e da intensidade de mudanças uniformes na aparência - Parte 3: Avaliação do grau de enferrujamento

Tintas para construção civil — Método comparativo do grau de craqueamento para avaliação do desempenho de tintas para edificações não industriais
NBR14945 de 10/2017

Tintas para construção civil — Método comparativo do grau de craqueamento para avaliação do desempenho de tintas para edificações não industriais

Tintas e vernizes - Avaliação do tempo de vida útil da mistura (pot life)
NBR15742 de 08/2015

Tintas e vernizes - Avaliação do tempo de vida útil da mistura (pot life)

Tintas, vernizes e derivados — Determinação da massa específica
NBR5829 de 11/2014

Tintas, vernizes e derivados — Determinação da massa específica

Tinta para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação da resistência de tintas e complementos ao crescimento de fungos em câmera tropical
NBR15301 de 12/2005

Tinta para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação da resistência de tintas e complementos ao crescimento de fungos em câmera tropical

Tintas e vernizes - Determinação do teor de metal “solúvel” - Parte 5: Determinação do teor de cromo hexavalente da porção de pigmento da tinta líquida ou da tinta em pó - Método espectrofotometria difenilcarbanizada
NBRISO3856-5 de 10/2016

Tintas e vernizes - Determinação do teor de metal “solúvel” - Parte 5: Determinação do teor de cromo hexavalente da porção de pigmento da tinta líquida ou da tinta em pó - Método espectrofotometria difenilcarbanizada

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Detecção de bactérias redutoras de sulfato em tintas, vernizes e complementos
NBR16445 de 05/2016

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Detecção de bactérias redutoras de sulfato em tintas, vernizes e complementos

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental
NBR15311 de 01/2022

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do tempo de secagem de tintas e vernizes por medida instrumental

Tintas - Determinação da flexibilidade por mandril cônico
NBR10545 de 11/2014

Tintas - Determinação da flexibilidade por mandril cônico

Alumínio e sua ligas - Tratamento de superfície - Película seca de tintas e vernizes - Determinação da resistência ao impacto
NBR14127 de 01/2008

Alumínio e sua ligas - Tratamento de superfície - Película seca de tintas e vernizes - Determinação da resistência ao impacto

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência de tintas, vernizes e complementos ao crescimento de fungos em placas de Petri sem lixiviação
NBR14941 de 03/2020

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência de tintas, vernizes e complementos ao crescimento de fungos em placas de Petri sem lixiviação

Tintas e vernizes - Preparação dos extratos ácidos de tinta líquida ou em pó
NBRISO6713 de 08/2016

Tintas e vernizes - Preparação dos extratos ácidos de tinta líquida ou em pó

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência de tintas, vernizes e complementos ao crescimento de fungos em placas de Petricom lixiviação
NBR15987 de 07/2020

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação da resistência de tintas, vernizes e complementos ao crescimento de fungos em placas de Petricom lixiviação

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Resistência à radiação UV e à condensação de água pelo ensaio acelerado
NBR15380 de 10/2015

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Resistência à radiação UV e à condensação de água pelo ensaio acelerado

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do teor de chumbo
NBR16407 de 10/2015

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do teor de chumbo

Vernizes — Determinação do rendimento para uso interior e exterior
NBR16568 de 12/2016

Vernizes — Determinação do rendimento para uso interior e exterior

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do grau de resistência de tintas, vernizes e complementos, em emulsão na embalagem ao ataque de micro-organismos
NBR15821 de 01/2022

Tintas para construção civil — Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais — Determinação do grau de resistência de tintas, vernizes e complementos, em emulsão na embalagem ao ataque de micro-organismos

Tintas, vernizes e complementos para repintura automotiva - Determinação do teor de chumbo, cádmio e cobalto na pintura por espectrometria de absorção atômica ou espectrometria de emissão por plasma indutivamente acoplado
NBR16559 de 10/2016

Tintas, vernizes e complementos para repintura automotiva - Determinação do teor de chumbo, cádmio e cobalto na pintura por espectrometria de absorção atômica ou espectrometria de emissão por plasma indutivamente acoplado

Coleta de amostras de tintas e vernizes
NBR5839 de 12/1984

Coleta de amostras de tintas e vernizes

Tintas para construção civil - Avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação da dureza König
NBR14946 de 05/2017

Tintas para construção civil - Avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação da dureza König

Determinação do ponto de fulgor em tintas, vernizes e resinas - Método do vaso fechado
NBR5842 de 09/2015

Determinação do ponto de fulgor em tintas, vernizes e resinas - Método do vaso fechado

Tintas e vernizes - Determinação da espessura da película seca sobre superfícies rugosas - Método de ensaio
NBR10443 de 11/2008

Tintas e vernizes - Determinação da espessura da película seca sobre superfícies rugosas - Método de ensaio

Tintas para construção civil — Método de ensaio de tintas para edificações não industriais — Determinação do teor de compostos orgânicos voláteis (VOC) por cromatografia e gravimetria
NBR16388 de 10/2015

Tintas para construção civil — Método de ensaio de tintas para edificações não industriais — Determinação do teor de compostos orgânicos voláteis (VOC) por cromatografia e gravimetria

Tintas para construção civil - Verniz brilhante à base de solvente monocomponente - Requisitos de desempenho de tintas para edificações não industriais
NBR16211 de 09/2019

Tintas para construção civil - Verniz brilhante à base de solvente monocomponente - Requisitos de desempenho de tintas para edificações não industriais

Solventes — Determinação de material não volátil — Método de Ensaio
NBR8911 de 06/2019

Solventes — Determinação de material não volátil — Método de Ensaio

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação de brilho
NBR15299 de 12/2015

Tintas para construção civil - Método para avaliação de desempenho de tintas para edificações não industriais - Determinação de brilho

Vernizes e resinas - Determinação da dureza superficial de películas pelo método “Sward Rocker”
NBR5845 de 09/2015

Vernizes e resinas - Determinação da dureza superficial de películas pelo método “Sward Rocker”

Alumínio e suas ligas - Tratamento de Superfície - Revestimento orgânico de tintas e vernizes - Determinação da resistência à corrosão acelerada - Método de Machu
NBR14901 de 12/2007

Alumínio e suas ligas - Tratamento de Superfície - Revestimento orgânico de tintas e vernizes - Determinação da resistência à corrosão acelerada - Método de Machu

Tintas — Determinação de viscosidade pelo copo Ford
NBR5849 de 09/2015

Tintas — Determinação de viscosidade pelo copo Ford

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Polimerização de tintas e vernizes - Método de ensaio
NBR14947 de 10/2006

Alumínio e suas ligas - Tratamento de superfície - Polimerização de tintas e vernizes - Método de ensaio