Text page

NBR 16310: a expedição, o transporte rodoviário e o recebimento de hidróxido de sódio

Essa norma aplica-se às empresas que realizam a expedição, o transporte e o recebimento de hidróxido de sódio (soda cáustica) quando é comercializada em solução com aproximadamente 50% de NaOH, ou em menores concentrações; o transporte é realizado a granel no modal rodoviário; o carregamento do tanque de transporte é realizado por meio da abertura da tampa da boca de visita de sua parte superior; e o descarregamento do tanque de transporte é realizado por meio da válvula de saída da parte inferior.

15/10/2014 - Equipe Target

O transporte rodoviário de soda cáustica

A NBR 16310 de 09/2014 - Expedição, transporte rodoviário e recebimento de hidróxido de sódio (soda cáustica) em solução a granel aplica-se às empresas que realizam a expedição, o transporte e o recebimento de hidróxido de sódio (soda cáustica) quando: a soda cáustica é comercializada em solução com aproximadamente 50 % de NaOH, ou em menores concentrações; o transporte é realizado a granel no modal rodoviário; o carregamento do tanque de transporte é realizado por meio da abertura da tampa da boca de visita de sua parte superior; e o descarregamento do tanque de transporte é realizado por meio da válvula de saída da parte inferior.

Estabelece prescrições gerais e específicas em relação às instalações e aos equipamentos, procedimentos e às regras e capacitação de pessoal envolvido na expedição, no transporte e no recebimento da soda cáustica na forma descrita anteriormente. As prescrições desta norma permitem tanto uma abordagem das empresas em relação à sua operação específica (expedição, transporte ou recebimento) como uma abordagem em conjunto com outras empresas, na compatibilização, harmonização e integração das operações, particularmente no que se refere às interfaces entre expedidor, transportador e destinatário.

As empresas que realizam a expedição, o transporte rodoviário e o recebimento da soda cáustica em solução a granel devem assegurar, na sua operação: a proteção dos trabalhadores; a proteção de outras pessoas que possam ser afetadas pelas operações de transferência; a proteção do meio ambiente; e a preservação da qualidade do produto durante as operações de transferência. Convêm que as empresas também levem em conta, nas suas operações de expedição, transporte rodoviário e recebimento do produto, os aspectos relacionados a seguir: a proteção quanto aos riscos de violação da segurança (security); o conforto dos motoristas em locais de trabalho; e a produtividade e qualidade dos serviços de expedição, transporte e recebimento do produto.

As empresas que realizam as operações de expedição, transporte rodoviário e recebimento do produto devem assegurar a devida compatibilidade das operações no atendimento particularmente no que se refere a: instalações e equipamentos; procedimentos e regras; e capacitação de pessoal. Na transferência da soda cáustica em solução, as empresas envolvidas devem gerenciar, de forma adequada, tanto as operações de rotina como os casos de não conformidade ou situações de emergências.

Para a transferência do produto: as instalações e equipamentos devem ser projetados, construídos, utilizados e mantidos, com base em boas técnicas e práticas de engenharia; e compatíveis, nas interfaces das operações de expedição, transporte rodoviário e recebimento do produto. O pessoal que atua na programação da transferência do produto, na expedição, no transporte rodoviário e recebimento do produto deve estar treinado e habilitado; as operações devem ser realizadas segundo procedimentos e regras aplicáveis às operações de expedição, transporte e recebimento do produto e pessoal envolvido nas operações; as características da soda cáustica líquida devem ser conhecidas pelo pessoal envolvido nas operações; o ambiente em que ocorre a transferência da soda cáustica deve ser conhecido, e levado em conta no gerenciamento das operações, no que se refere aos aspectos já citados; e as situações de possíveis emergências na expedição, no transporte e recebimento do produto devem ser identificadas e levadas em conta no gerenciamento. Isto inclui uma organização, procedimentos e recursos para o atendimento a emergências na transferência da soda cáustica.

As empresas que realizam a expedição, o transporte rodoviário e o recebimento da soda cáustica devem manter a supervisão na sua operação, e nas interfaces com as operações das outras empresas envolvidas na transferência, e realizar os acertos necessários se for o caso. Recomenda-se que as empresas envolvidas na expedição, no transporte rodoviário e no recebimento da soda cáustica realizem periodicamente a avaliação da conformidade da sua operação e interfaces já citadas e considerem as melhorias contínuas.

Nos projetos e/ou avaliações de operações do sistema de transferência, ou nas suas modificações, as empresas devem considerar, além desta norma, também: os requisitos de leis e regulamentos aplicáveis; os requisitos das NBR 14095, NBR 14725-4, NBR 15480, NBR 15994 e NBR 16173; e os códigos e/ou guias consagrados de instalações e equipamentos não inclusos nas leis e regulamentos nacionais. Os produtores de soda cáustica em solução devem elaborar a Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) para a soda cáustica (hidróxido de sódio) em solução, em conformidade com a NBR 14715-4.

A FISPQ do produto deve ser revista e atualizada quando necessário. Os produtores devem disponibilizar a FISPQ para os expedidores, transportadores rodoviários, e destinatários do produto. Os expedidores, transportadores rodoviários e destinatários do produto devem utilizar as informações da FISPQ no gerenciamento dos aspectos já citados nas suas operações de transferência da soda cáustica em solução a granel, incluindo a capacitação do pessoal, projetos de instalação e equipamentos e procedimentos operacionais.

Os responsáveis pela expedição, transporte e recebimento da soda cáustica líquida devem promover a capacitação necessária ao pessoal envolvido nas operações, incluindo as situações de emergências. Os responsáveis pelas operações de expedição, transporte rodoviário e recebimento da soda cáustica líquida devem utilizar as leis e regulamentos e as NBR 14725-4 e NBR 16173 como parte do material para esta capacitação.

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Transporte terrestre de produtos perigosos - Incompatibilidade química
NBR14619 de 05/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos - Incompatibilidade química

Transporte terrestre de produtos perigosos — Requisitos para locais de espera, carregamento e descarregamento de carga
NBR15994 de 01/2022

Transporte terrestre de produtos perigosos — Requisitos para locais de espera, carregamento e descarregamento de carga

Transporte terrestre de produtos perigosos — Ficha de emergência — Requisitos mínimos
NBR7503 de 06/2020

Transporte terrestre de produtos perigosos — Ficha de emergência — Requisitos mínimos

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos
NBR9735 de 03/2020

Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Programa de gerenciamento de risco e plano de ação de emergência
NBR15480 de 04/2021

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Programa de gerenciamento de risco e plano de ação de emergência

Contentores para produtos perigosos
NBR15054 de 02/2016

Contentores para produtos perigosos

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 3: Rotulagem
NBR14725-3 de 08/2017

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 3: Rotulagem

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos
NBR7500 de 05/2021

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos

Transporte terrestre de produtos perigosos - Carregamento, descarregamento e transbordo a granel e embalados (fracionados) - Requisitos para capacitação de trabalhadores
NBR16173 de 09/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos - Carregamento, descarregamento e transbordo a granel e embalados (fracionados) - Requisitos para capacitação de trabalhadores

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 4: Ficha de informações de segurança de produtos químicos (FISPQ)
NBR14725-4 de 11/2014

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 4: Ficha de informações de segurança de produtos químicos (FISPQ)

Transporte rodoviário de produtos perigosos — Diretrizes do atendimento à emergência
NBR14064 de 01/2022

Transporte rodoviário de produtos perigosos — Diretrizes do atendimento à emergência

Dispositivos auxiliares - Cones para sinalização viária
NBR15071 de 07/2022

Dispositivos auxiliares - Cones para sinalização viária

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 1: Terminologia
NBR14725-1 de 08/2009

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 1: Terminologia

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Área de estacionamento para veículos - Requisitos de segurança
NBR14095 de 02/2021

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Área de estacionamento para veículos - Requisitos de segurança

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 2: Sistema de classificação de perigo
NBR14725-2 de 06/2019

Produtos químicos - Informações sobre segurança, saúde e meio ambiente - Parte 2: Sistema de classificação de perigo

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Lista de verificação com requisitos operacionais referentes à saúde, segurança, meio ambiente e qualidade
NBR15481 de 09/2021

Transporte rodoviário de produtos perigosos - Lista de verificação com requisitos operacionais referentes à saúde, segurança, meio ambiente e qualidade

Transporte terrestre de produtos perigosos — Terminologia
NBR7501 de 09/2021

Transporte terrestre de produtos perigosos — Terminologia