Text page

Curso Target pela internet e no GEDWEB: NBR ISO 50001 - Gestão de Energia - Implantação da metodologia e estudo de casos práticos

O objetivo do curso é habilitar as organizações a estabelecerem sistemas e processos necessários para melhorar o desempenho energético, incluindo eficiência energética, uso e consumo de energia. A sua implementação visa levar a reduções das emissões de gases de efeito estufa e outros impactos ambientais associados.

10/01/2014 - Equipe Target

Curso: Gestão de energia

Esse treinamento, ministrado pelo especialista Eduardo Daniel, trata das diversas metodologias existentes para a realização de revisão energética, determinação de linhas de base e de indicadores de desempenho energéticos, mostrando as principais ferramentas disponíveis e suas tendências de utilização:

NBR ISO 50001 - Gestão de Energia - Implantação da metodologia e estudo de casos práticos - Disponível pela Internet - Ministrado em 06/05/2013
Permitir que as organizações estabeleçam os sistemas e processos necessários para melhorar o desempenho energético, incluindo a eficiência e intensidade energéticas.

Na verdade, a NBR ISO 50001 é aplicável a todos os tipos e tamanhos de organizações, independentemente de condições geográficas, culturais ou sociais. Sua implementação bem sucedida depende do compromisso de todos os níveis e funções da organização, especialmente da alta direção. Essa norma especifica os requisitos de um sistema de gestão da energia (SGE), sobre os quais uma organização pode desenvolver e implementar uma política energética, estabelecer objetivos, metas e planos de ação que considerem requisitos legais e informações relativas ao uso significativo de energia.

Assim, um SGE habilita uma organização a atender aos comprometimentos de sua política, tomar as devidas ações de melhoria de seu desempenho energético e demonstrar conformidade do sistema aos requisitos dessa norma que se aplica às atividades sob o controle da organização e a sua aplicação pode se ajustar a requisitos específicos da organização - incluindo complexidade do sistema, grau de documentação e recursos. A norma tem uma abordagem PDCA que pode ser descrita como segue:

Plan (Planejar): executar a revisão energética e estabelecer a linha de base, indicadores de desempenho energético (IDEs), objetivos, metas e planos de ação necessários para obter resultados que levarão à melhoria de desempenho energético em conformidade com a política energética da organização.

Do (Fazer): implementar os planos de ação da gestão da energia.

Check (Verificar): monitorar e medir processos e características principais de operações que determinam o desempenho energético em relação à política e objetivos energéticos, e divulgar os resultados.

Act (Agir): tomar ações para melhorar continuamente o desempenho energético e o SGE. A aplicação global dessa norma contribui para o uso mais eficiente das fontes de energia disponíveis, para a melhoria da competitividade e para a redução de emissões de gases de efeito estufa e de outros impactos ambientais relacionados.

Dessa forma, a norma é aplicável independentemente dos tipos de energia utilizados e pode ser utilizada para certificação, registro ou autodeclaração do SGE de uma organização. Ela não estabelece requisitos absolutos para o desempenho energético além daqueles estabelecidos na política energética da organização e de sua obrigação de conformidade a requisitos legais aplicáveis ou outros requisitos. Assim, duas organizações realizando operações semelhantes, mas com desempenhos energéticos distintos, podem ambas estar em conformidade com seus requisitos.

Ela se baseia em elementos comuns às normas NBR ISO de sistemas de gestão, assegurando elevado nível de compatibilidade particularmente com a NBR ISO 9001 e a NBR ISO 14001. O Anexo B apresenta a relação entre as normas. Uma organização pode decidir integrar essa norma a outros sistemas de gestão, incluindo aqueles relacionados à qualidade, ao meio ambiente e à segurança e saúde ocupacional.

O texto adicional fornecido neste Anexo é estritamente informativo e visa impedir falhas de interpretação dos requisitos contidos na sua Seção 4. Embora estas informações abordem e sejam consistentes com os requisitos da Seção 4, elas não têm a intenção de adicionar, subtrair ou de qualquer modo alterar esses requisitos. A implementação de um sistema de gestão da energia especificado por essa norma tem a intenção de obter melhorias de desempenho energético. Portanto, ela é baseada na premissa de que a organização analisará criticamente e avaliará periodicamente seu sistema de gestão da energia para identificar as oportunidades de melhoria e a implementação delas.

A organização tem flexibilidade sobre como implementar o SGE. Por exemplo, o ritmo, extensão e duração dos processos de melhoria contínua são determinados pela organização. Pode levar em conta considerações econômicas e outras para determinar o ritmo, extensão e cronograma dos processos de melhoria contínua.

Os conceitos de escopo e fronteiras permitem flexibilidade à organização para definir o que está incluso no SGE. O conceito de desempenho energético inclui uso e consumo de energia e eficiência energética. Assim, a organização pode escolher dentre uma ampla gama de atividades de desempenho energético. Por exemplo, a organização poderia reduzir demanda de pico, utilizar excedente de energia ou resíduo energético, ou melhorar as operações de seus sistemas, processos ou equipamentos.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Gestão da qualidade — Qualidade de uma organização — Orientação para alcançar o sucesso sustentado
NBRISO9004 de 11/2019

Gestão da qualidade — Qualidade de uma organização — Orientação para alcançar o sucesso sustentado

Diretrizes para a documentação de sistema de gestão da qualidade.
ABNT ISO/TR10013 de 07/2021

Diretrizes para a documentação de sistema de gestão da qualidade.

Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário
NM-ISO9000 de 05/2007

Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário

Sistemas da gestão ambiental - Requisitos com orientações para uso
NM-ISO14001 de 05/2007

Sistemas da gestão ambiental - Requisitos com orientações para uso

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão
NBRISO19011 de 12/2018

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão