Text page

As mangueiras hidráulicas devem ser fabricadas conforme a norma técnica

Quais são as dimensões e as especificações para mangueiras de borracha sintética 100 R1 AT? Quais são as dimensões e as especificações para mangueiras de borracha sintética 100 R2 tipo AT? Quais são as características do modelo 100R4, com reforços têxteis e um inserto de arame de aço enrolado de forma helicoidal para sucção, com cobertura de borracha sintética? Quais são as especificações do modelo 100 R5, com reforço de um trançado de fios de aço com cobertura de fibras têxteis? Essas perguntas estão sendo respondidas na NBR 14831 de 07/2022 - Mangueiras hidráulicas - Requisitos e métodos de ensaio.

03/08/2022 - Equipe Target

NBR 14831 de 07/2022 - Mangueiras hidráulicas - Requisitos e métodos de ensaio

A NBR 14831 de 07/2022 - Mangueiras hidráulicas - Requisitos e métodos de ensaio estabelece os requisitos para a fabricação, uso, e aplicações, bem como os métodos de ensaio para as mangueiras para sistemas hidráulicos móveis e equipamentos estacionários. Aplica-se às mangueiras aplicadas em sistemas hidráulicos utilizando derivados de petróleo ou óleos solúveis em água, ar e água, dentro da faixa de temperatura de especificada para cada tipo e/ou construção.

Acesse algumas dúvidas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Quais são as dimensões e as especificações para mangueiras de borracha sintética 100 R1 AT?

Quais são as dimensões e as especificações para mangueiras de borracha sintética 100 R2 tipo AT?

Quais são as características do modelo 100R4, com reforços têxteis e um inserto de arame de aço enrolado de forma helicoidal para sucção, com cobertura de borracha sintética?

Quais são as especificações do modelo 100 R5, com reforço de um trançado de fios de aço com cobertura de fibras têxteis?

As mangueiras devem ser construídas em partes distintas. O tubo interno deve ser uniforme ao longo de seu comprimento e construído em borracha sintética, exceto para os modelos 100 R7, 100 R8 e 100 R18, que devem ser construídos em material termoplástico, e 100 R14 de PTFE, apropriados para resistir a fluidos hidráulicos, derivados de petróleo, óleos solúveis em água, ar e água.

A parte interna do tubo deve ser lisa e consistente, não podendo ocorrer desprendimento de partículas que possam ser arrastadas pelo fluxo de fluidos. O reforço pode ser constituído por fibras sintéticas, fibras naturais, fios metálicos e/ou mescla destes materiais, especificados para cada tipo nessa norma, uniformemente aplicados sobre o tubo.

A cobertura pode ser de borracha sintética adequada, ou fio têxtil impregnado de borracha, ou fio metálico adequado, e material termoplástico para mangueiras 100 R7, 100 R8 e 100 R18, especificada para cada tipo na norma, resistente a óleos e intempéries. As mangueiras, fabricadas conforme esta norma, devem ter as dimensões e tolerâncias conforme classificação 100R, especificadas nessa norma.

A forma de medição de comprimento e as tolerâncias de comprimento de conjuntos de mangueiras montados com terminais estão descritas no Anexo A. Uma mangueira hidráulica raramente é usada sem conectores. As mangueiras com conectores acoplados são comumente chamadas de conjuntos de mangueiras.

Os padrões gerais e dimensionais para conectores de mangueiras hidráulicas são apresentados na SAE J516. O traço é o número que representa ou classifica o diâmetro interno das mangueiras hidráulicas, em função de 1/16 da polegada, com exceção para 100 R5 e 100 R14, que têm como referência o diâmetro nominal externo de tubos, conforme a tabela abaixo.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Os conjuntos de mangueiras podem ser montados pelo fabricante, um agente ou um revendedor do fabricante ou pelo usuário. A montagem de conectores fixados permanentemente à mangueira requer equipamento de montagem especializado.

Os conectores reutilizáveis, acoplados em campo (tipo espiga e luva rosqueáveis ou com abraçadeiras tipo grampo), geralmente podem ser montados sem equipamento especializado, embora muitos fabricantes forneçam equipamentos para auxiliar nesta operação. A mangueira de um fabricante geralmente não é compatível com os conectores fornecidos por outro fabricante.

É responsabilidade do montador consultar as instruções de montagem escritas pelo fabricante da mangueira ou consultar diretamente os fabricantes dos componentes (mangueira e conector) antes de misturar mangueiras e conectores de dois fabricantes. Da mesma forma, o equipamento de montagem de um fabricante geralmente não é intercambiável com o de outro.

É responsabilidade do montador consultar as instruções escritas pelo fabricante da mangueira ou consultar o fabricante diretamente para o equipamento de montagem adequado. Devem ser seguidas as instruções do fabricante para a preparação e fabricação adequada de conjuntos montados de mangueiras com terminais, pois a responsabilidade da qualidade do conjunto montado é de quem realiza a montagem.

Exceto para mangueiras com o exterior trançado de arame, todo o comprimento da mangueira deve ser marcado longitudinalmente de forma legível com uma ou mais linhas de gravação (laylines) paralelas ao eixo longitudinal. A marcação deve incluir, mas não está limitada ao nome do fabricante da mangueira ou outra identificação (MMM) e classificação 100R de especificação da mangueira (por exemplo, 100R17); tamanho do traço (por exemplo, - 8) e diâmetro nominal da mangueira na unidade métrica (opcionalmente, o diâmetro interno nominal em polegadas fracionárias); pressão máxima de trabalho da mangueira (XXXX); e data de fabricação.

A marcação deve ser realizada de forma repetida em toda a extensão da mangueira, com a primeira letra de cada repetição a não mais de 760 mm da primeira letra da marcação anterior. No caso de mangueira com marca privada, em que a empresa que especifica a mangueira é diferente da empresa que fabrica, o nome da empresa que especifica deve ser marcado na mangueira.

A empresa que especifica é então responsável pelo atendimento a esta norma e deve manter os registros de rastreabilidade quanto ao fabricante específico da mangueira. Nenhuma menção à pressão de ruptura ou ao fator de projeto é permitida na mangueira. Esta informação pode ser mal interpretada e resultar no uso de uma mangueira acima de sua pressão máxima de trabalho.

As mangueiras termoplásticas eletricamente não condutivas, classificação 100R7, 100R8 e 100R18 devem ter uma cobertura de cor laranja (código de referência #22510 US Federal Standard 595). Também, como informação adicional requerida previamente, as palavras eletricamente não condutiva (electrically non-conductive) devem constar em cada marcação repetidamente.

A data de fabricação deve ser expressa no mínimo com o trimestre e o ano de fabricação (por exemplo, 2Q17). Outras marcações podem ser usadas para denotar o dia real de fabricação, turno de fabricação, lote de produção, etc. Para conjuntos com terminais curvos em ambas as extremidades, o método de descrição e medição deve fornecer o deslocamento desejado em relação às extremidades.

Para conseguir isso, qualquer extremidade pode ser selecionada como o ponto de referência, desde que o deslocamento angular seja determinado apropriadamente (sentido horário ou anti-horário) para a referência selecionada. As mangueiras destinadas à condução de fluidos hidráulicos à base de petróleo, para temperatura de operação na faixa de - 40° C a + 100 °C, e com fluidos hidráulicos à base de água dentro das faixas de temperatura, devem ser acordadas pelos fabricantes da mangueira e do fluido.

As temperaturas de operação superiores a + 100 °C com fluidos hidráulicos à base de petróleo podem reduzir significativamente a vida útil da mangueira. A pressão máxima de trabalho e o raio mínimo de curvatura são especificados nessa norma.

A mangueira deve consistir em um tubo interno de borracha sintética resistente a óleo, um único reforço de trança de fio de aço e uma cobertura de borracha sintética resistente a óleo e intempéries. Uma tela de material adequado pode ser usada sobre o tubo interno ou sobre o reforço de arame, ou sobre ambos, para ancorar a borracha sintética ao arame.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Mangueiras de borracha para jateamento de granalha — Requisitos
NBR15962 de 07/2011

Mangueiras de borracha para jateamento de granalha — Requisitos

Mangueiras flexíveis para freios hidráulicos de veículos rodoviários
NBR13477 de 09/1995

Mangueiras flexíveis para freios hidráulicos de veículos rodoviários

Mangueira de borracha para condução de gases GLP/GN/GNF - Especificação
NBR13419 de 03/2001

Mangueira de borracha para condução de gases GLP/GN/GNF - Especificação

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 2: Borracha e elastômero termoplástico para bomba de abastecimento de combustíveis — Requisitos
NBR15690-2 de 01/2021

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 2: Borracha e elastômero termoplástico para bomba de abastecimento de combustíveis — Requisitos

Mangueiras hidráulicas - Requisitos e métodos de ensaio
NBR14831 de 07/2022

Mangueiras hidráulicas - Requisitos e métodos de ensaio

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 3: Borracha para sucção e descarga de combustíveis - Requisitos
NBR15690-3 de 01/2021

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 3: Borracha para sucção e descarga de combustíveis - Requisitos

Mangueiras de borracha para polpa abrasiva — Requisitos
NBR15869 de 08/2010

Mangueiras de borracha para polpa abrasiva — Requisitos

Mangueiras de borracha para vapor - Requisitos
NBR15347 de 03/2006

Mangueiras de borracha para vapor - Requisitos

Conjunto de mangueira semirrígida e acessórios para combate a incêndio
NBR16642 de 02/2019

Conjunto de mangueira semirrígida e acessórios para combate a incêndio

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento — Determinação do coeficiente de atrito
NBR11992 de 09/2017

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento — Determinação do coeficiente de atrito

Junta giratória para mangueira de unidade abastecedora — Requisitos construtivos e de desempenho
NBR15706 de 06/2020

Junta giratória para mangueira de unidade abastecedora — Requisitos construtivos e de desempenho

Válvula de segurança da mangueira para uso em unidade abastecedora de combustível em veículos automotores — Requisitos construtivos e de desempenho
NBR15427 de 06/2020

Válvula de segurança da mangueira para uso em unidade abastecedora de combustível em veículos automotores — Requisitos construtivos e de desempenho

Mangueiras flexíveis para freios hidráulicos de veículos rodoviários - Ensaios
NBR13478 de 09/1995

Mangueiras flexíveis para freios hidráulicos de veículos rodoviários - Ensaios

Mangueiras de borracha para água e ar - Requisitos
NBR15125 de 07/2004

Mangueiras de borracha para água e ar - Requisitos

Mangueiras de borracha para sucção e descarga de combustíveis líquidos - Requisitos
NBR15416 de 10/2006

Mangueiras de borracha para sucção e descarga de combustíveis líquidos - Requisitos

Mangueiras de borracha e conjuntos de mangueiras para serviço de sucção e descarga de óleo — Especificação
NBRISO1823 de 04/2020

Mangueiras de borracha e conjuntos de mangueiras para serviço de sucção e descarga de óleo — Especificação

Mangueira de PVC plastificado para instalações domésticas de gás liquefeito de petróleo (GLP)
NBR8613 de 09/1999

Mangueira de PVC plastificado para instalações domésticas de gás liquefeito de petróleo (GLP)

Mangueiras de borracha e conjuntos de mangueiras, reforçados com fios ou tecidos, para aplicações de dragagem - Especificação
NBRISO28017 de 09/2021

Mangueiras de borracha e conjuntos de mangueiras, reforçados com fios ou tecidos, para aplicações de dragagem - Especificação

Mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio
NBR11861 de 10/1998

Mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio

Mangueiras de borracha para sucção e descarga de água - Requisitos
NBR15178 de 12/2004

Mangueiras de borracha para sucção e descarga de água - Requisitos

Mangueiras industriais - Métodos de ensaio
NBR14967 de 11/2020

Mangueiras industriais - Métodos de ensaio

Abrigos para mangueiras de incêndio e acessórios — Requisitos e métodos de ensaio
NBR16870 de 07/2020

Abrigos para mangueiras de incêndio e acessórios — Requisitos e métodos de ensaio

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento - Especificação
NBR11781 de 10/1990

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento - Especificação

União para mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio
NBR14349 de 07/1999

União para mangueira de incêndio - Requisitos e métodos de ensaio

Mangueira de incêndio - Inspeção, manutenção e cuidados
NBR12779 de 01/2009

Mangueira de incêndio - Inspeção, manutenção e cuidados

Mangueiras de borracha para solda, corte e processos correlatos — Requisitos
NBR15959 de 07/2011

Mangueiras de borracha para solda, corte e processos correlatos — Requisitos

Mangueiras industriais — Terminologia
NBR9711 de 02/2013

Mangueiras industriais — Terminologia

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 1: Termoplástica composta para petróleo e derivados - Requisitos
NBR15690-1 de 02/2021

Mangueiras para transferência de líquidos - Parte 1: Termoplástica composta para petróleo e derivados - Requisitos

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento — Determinação da força resistiva na passagem por TIL de PVC
NBR11993 de 09/2017

Mangueiras de plástico para desobstrução e limpeza de tubulações de PVC rígido por hidrojateamento — Determinação da força resistiva na passagem por TIL de PVC