Text page

O projeto das estações de armazenagem e descompressão de gás natural comprimido

Como deve ser executado o dimensionamento e traçado das tubulações? Como deve ser feita a segurança contra ignições geradas por instalações elétricas? Quais são os requisitos para a tubulações aéreas? Quais são as dimensões mínimas das canaletas de concreto? Essas questões estão sendo mostradas na NBR 15600 de 02/2022 - Gás natural comprimido - Estação de armazenagem e descompressão - Projeto, construção e operação.

16/03/2022 - Equipe Target

NBR 15600 de 02/2022 - Gás natural comprimido - Estação de armazenagem e descompressão - Projeto, construção e operação

A NBR 15600 de 02/2022 - Gás natural comprimido - Estação de armazenagem e descompressão - Projeto, construção e operação estabelece os requisitos mínimos para projeto, construção, ensaios, comissionamento, operação e manutenção de estações de armazenagem e descompressão de gás natural comprimido (GNC) constituída por módulos de cilindros de armazenagem e transporte de GNC. Aplica-se a estações de armazenagem e descompressão de gás natural comprimido para pressões máximas de até 25 MPa (250 bar), as quais podem ser utilizadas para o suprimento de gás natural de diversas modalidades de usuários, como indústrias, hospitais, lavanderias, hotéis, cidades, estabelecimentos agrícolas, projetos estruturantes em conformidade com legislação vigente, ou qualquer outro tipo de aplicação, desde que atendidos os requisitos deste documento.

Acesse algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser executado o dimensionamento e traçado das tubulações?

Como deve ser feita a segurança contra ignições geradas por instalações elétricas?

Quais são os requisitos para a tubulações aéreas?

Quais são as dimensões mínimas das canaletas de concreto?

A estação de armazenagem e descompressão de GNC ou unidade de descarga de GNC é uma área devidamente delimitada que contém os recipientes e acessórios, destinados a armazenagem, descarregamento, redução de pressão e abastecimento de GNC. O projeto e a construção da estação de armazenagem e descompressão de GNC são de responsabilidade de profissional engenheiro devidamente habilitado para tal, assim como o registro de responsabilidade técnica devidamente regularizado no conselho de classe, conforme legislação vigente.

O projeto da estação de armazenagem e descompressão deve integrar no mínimo os componentes descritos a seguir. Um memorial descritivo, que deve conter os itens a seguir: dados do local (localização, temperatura média, altitude, georreferenciamento, dados ambientais) b) rota e caminhos a utilizar; localização das plantas de descarga. O projeto de automação e instrumentação deve conter os itens a seguir: memorial descritivo do projeto de automação e instrumentação; fluxograma de processo e instrumentação (P&I) com simbologia de acordo a NBR 8190; listagem de instrumentação; folha de dados técnicos com no mínimo as informações solicitadas nos modelos da ISA S 20; memórias de cálculos que contenham diagramas de sistemas e diagramas lógicos.

Quando for utilizado um sistema de sensores de variáveis que atuam na segurança das instalações e uma lógica sequencial ou de intertravamento, além de sinais de bloqueio automático, devem integrar o projeto os diagramas lógicos. Quando a hierarquia ou complexidade do sistema de medição ou controle lógico ou analógico gerar uma falta de interpretação dos detalhes dentro do diagrama, é necessário o seu detalhamento no diagrama de subsistema.

Devem ser incluídas as listagens de todos os instrumentos utilizados com os respectivos dados técnicos e uma planta baixa com leiaute geral e afastamentos, vista de planta de cada nível, fachadas, corte longitudinal e transversal, localização dos diversos elementos de segurança (botoeiras de paradas de emergência e seus elementos associados, válvulas de alívio e purga, acionamentos remotos, etc.) e proteções catódicas em caso de existir com indicação das distâncias de segurança de acordo com os requisitos desta norma. As informações citadas anteriormente podem vir em desenhos separados.

Deve-se dispor da memória de cálculo e isométricos das tubulações e a memória de cálculo do projeto estrutural que contenha o cálculo das tubulações, os esforços máximos nas bases de sustentação (tubulações, vasos de pressão, equipamentos, etc.) e o estudo das tensões em geral. Deve-se incorporar um diagrama de causa e efeito, um fluxograma de operação da estação, um diagrama de falha e um diagrama de fluxo da estação: o qual indica o diâmetro das linhas principais de gás, as pressões máximas e mínimas e taxas de vazão.

Também os valores das pressões de abertura e de atuação das válvulas de alívio de segurança e redutores de pressão com sua respectiva vazão máxima indicada. Deve-se ter um plano geral de tubulações indicando a lista de materiais utilizados, o projeto das instalações elétricas, o projeto de incêndio de acordo com o órgão competente local e o projeto de aterramento e proteção contra descargas atmosféricas.

Deve-se possuir, ainda, a documentação com a definição das áreas classificadas, a capacidade volumétrica total de armazenagem em metros cúbicos (m³) de gás, os planos de inspeção e manutenção de todos os componentes da estação de armazenagem e descompressão de GNC e dos veículos transportadores de GNC (inclusive seus mecanismos de içamento, se existirem). Incluir as regulamentações legais e recomendações, como as regulamentações legais (leis, decretos, portarias no âmbito federal, estadual ou municipal) aplicáveis que devem ser observadas no projeto, na execução, nos materiais e nos equipamentos utilizados na estação de armazenagem e descompressão de GNC.

Recomenda-se que a qualificação da pessoa física ou jurídica prestadora de serviço (projeto e execução), no tocante aos requisitos de qualidade, segurança e meio ambiente, bem como da mão de obra empregada na realização de cada tipo de serviço executado, seja capacitada. A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve ser constituída pelos seguintes componentes: módulos de cilindros para armazenagem e transporte de GNC localizados na estação de armazenagem e descompressão de GNC ou em veículo transportador de GNC; locais de movimentação e/ou abastecimento dos módulos de armazenagem e transporte de GNC; trocadores de calor e/ou aquecedores de gás quando existir; unidade de descompressão, regulagem e medição (UDRM); tubulações de interconexão; as válvulas de bloqueio e de alívio ou segurança; sistemas de segurança; as instalações elétricas quando existirem; as áreas de manobra; os compressores de transferências (opcionais); os medidores de vazão específicos para a distribuição e revenda quando existirem; a proteção catódica, aterramento e proteção contra descargas atmosféricas quando existir.

As estações de armazenagem e descompressão abrangidas por este documento podem ser das seguintes modalidades: com módulos de armazenagem removíveis, transportáveis em veículos transportadores de GNC e abastecidos fora da estação de armazenagem de descompressão de GNC (ver figura abaixo); com módulos de armazenagem estacionários e abastecidos através de transbordamento oriundo de veículo transportador de GNC (ver figura abaixo); com módulos de armazenagem posicionados no veículo transportador de GNC, o qual é abastecido fora da estação de armazenagem e descompressão de GNC.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve ser instalada em local ventilado e com espaço adequado para a sua operação, e ser provido de sistemas de drenagem adequados, de maneira a não existir a possibilidade de inundação. A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve possuir válvula de bloqueio normalmente fechada com acionamento remoto, localizada imediatamente a jusante do sistema de armazenagem de GNC.

O ponto de acionamento deve ser localizado em área segura e fora da estação de armazenagem e descompressão do gás. A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve ser protegida por meio de cerca de tela de arame ou outro material incombustível, com no mínimo 2,00 m de altura. As estações de armazenagem e descompressão devem possuir no mínimo duas entradas e/ou saídas, preferencialmente diametralmente opostas. Todas as entradas e/ou saídas devem ser identificadas e devem permitir o acesso fácil para fora desta, para o caso de fuga e estar permanentemente desobstruídas.

A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve ser provida de uma canalização de purga geral para os seus componentes fixos, cuja localização deve estar conforme os afastamentos mínimos (verticais e horizontais), de modo que assegurem: a proteção contra efeitos físicos de possíveis deflagrações; que qualquer edificação, local de acesso a pedestres, atividades sujeitas a centelhamento (por exemplo, instalações elétricas), fontes de calor etc. estejam localizados em área não classificada, em conformidade com a NBR IEC 60079-1 0-1 (considerando a direção dos ventos); altura mínima de 3,0 m da canalização de purga em relação ao solo, independentemente das alíneas anteriores e deve estar devidamente ancorada; que a tubulação possua na sua parte inferior uma conexão para injeção de gás inerte.

Normalmente existem outros pontos de purga/venteio na estação de armazenagem e descompressão de gás. Recomenda-se instalar dreno na tubulação do sistema de purga. A estação de armazenagem e descompressão de GNC deve ser provida de sistemas de drenagem, cuja localização deve assegurar: o dreno de todos os equipamentos podendo reter líquidos, condensados sem dispersão no local; o recolhimento em local apropriado dos líquidos.

As extremidades das tubulações de alívio devem ser localizadas de maneira que qualquer edificação, local de acesso a pedestres, atividades sujeitas a centelhamento (por exemplo, instalações elétricas), fontes de calor etc. estejam localizados em área não classificada, em conformidade com a NBR IEC 60079-1 0-1 (considerando a direção dos ventos). Estas devem estar posicionadas a uma altura mínima de 3 m em relação ao solo.

Os sistemas de alívio basicamente devem abranger: os alívios sequenciais de alta pressão (situações de emergência); os alívios sequenciais de baixa pressão (situações de emergência); os alívios gerados por sobrepressões (válvulas de segurança); os alívios de reguladores e equipamentos auxiliares; o alívio específico para as mangueiras de abastecimento, para estações com módulos de armazenagem estacionários e abastecidos através de transbordamento oriundo de veículo transportador de GNC; e os alívios locais.

Todos os sistemas de alívio e purga devem ser posicionados de maneira a aliviarem a céu aberto e em pontos afastados de outras construções. Para o dimensionamento dos sistemas de alívios, devem ser consideradas as perdas de carga localizadas. O dimensionamento das tubulações de alívio deve ser feito em conformidade com a API 521.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Atmosferas explosivas - Parte 11: Proteção de equipamento por segurança intrínseca “i”
NBRIEC60079-11 de 11/2013

Atmosferas explosivas - Parte 11: Proteção de equipamento por segurança intrínseca “i”

Atmosferas explosivas - Parte 1: Proteção de equipamento por invólucro à prova de explosão “d”
NBRIEC60079-1 de 06/2016

Atmosferas explosivas - Parte 1: Proteção de equipamento por invólucro à prova de explosão “d”

Rede de distribuição interna para gás combustível em instalações de uso não residencial de até 400 kPa — Projeto e execução
NBR15358 de 10/2020

Rede de distribuição interna para gás combustível em instalações de uso não residencial de até 400 kPa — Projeto e execução

Mangueira de borracha para condução de gases GLP/GN/GNF - Especificação
NBR13419 de 03/2001

Mangueira de borracha para condução de gases GLP/GN/GNF - Especificação

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 2: Indicadores, injetores, misturadores, dosadores, injeção e controle
NBR11353-2 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 2: Indicadores, injetores, misturadores, dosadores, injeção e controle

Projeto de sistemas de transmissão e distribuição de gás combustível
NBR12712 de 04/2002

Projeto de sistemas de transmissão e distribuição de gás combustível

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 6: Instalação
NBR11353-6 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 6: Instalação

Atmosferas explosivas - Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas
NBRIEC60079-14 de 11/2016

Atmosferas explosivas - Parte 14: Projeto, seleção e montagem de instalações elétricas

Emprego de cores para identificação de tubulações industriais
NBR6493 de 11/2019

Emprego de cores para identificação de tubulações industriais

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 3: Cilindros de aço normalizado
NBRISO9809-3 de 02/2014

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 3: Cilindros de aço normalizado

Medidores de pressão - Parte 1: Medidores analógicos de pressão com sensor de elemento elástico — Requisitos de fabricação, classificação, ensaios e utilização
NBR14105-1 de 03/2013

Medidores de pressão - Parte 1: Medidores analógicos de pressão com sensor de elemento elástico — Requisitos de fabricação, classificação, ensaios e utilização

Material metálico revestido e não revestido - Corrosão por exposição à névoa salina - Método de ensaio
NBR8094 de 07/1983

Material metálico revestido e não revestido - Corrosão por exposição à névoa salina - Método de ensaio

Atmosferas explosivas - Parte 10-1: Classificação de áreas - Atmosferas explosivas de gás
NBRIEC60079-10-1 de 11/2018

Atmosferas explosivas - Parte 10-1: Classificação de áreas - Atmosferas explosivas de gás

Válvulas de esfera - Requisitos
NBR14788 de 12/2001

Válvulas de esfera - Requisitos

Gás natural comprimido - Estação de armazenagem e descompressão - Projeto, construção e operação
NBR15600 de 02/2022

Gás natural comprimido - Estação de armazenagem e descompressão - Projeto, construção e operação

Indústrias de petróleo, petroquímica e gás natural - Proteção catódica de sistemas de transporte por dutos - Parte 1: Dutos terrestres
NBRISO15589-1 de 12/2016

Indústrias de petróleo, petroquímica e gás natural - Proteção catódica de sistemas de transporte por dutos - Parte 1: Dutos terrestres

Rosca para tubos onde a junta de vedação sob pressão é feita pela rosca - Parte 1: Dimensões, tolerâncias e designação
NBRNM-ISO7-1 de 02/2000

Rosca para tubos onde a junta de vedação sob pressão é feita pela rosca - Parte 1: Dimensões, tolerâncias e designação

Transporte terrestre de produtos perigosos — Ficha de emergência — Requisitos mínimos
NBR7503 de 06/2020

Transporte terrestre de produtos perigosos — Ficha de emergência — Requisitos mínimos

Indústrias de petróleo, petroquímica e gás natural - Proteção catódica de sistemas de transporte por dutos - Parte 2: Dutos submarinos
NBRISO15589-2 de 12/2015

Indústrias de petróleo, petroquímica e gás natural - Proteção catódica de sistemas de transporte por dutos - Parte 2: Dutos submarinos

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 1: Cilindros de aço temperado e revenido com resistência à tração inferior a 1 100 MPa
NBRISO9809-1 de 02/2014

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 1: Cilindros de aço temperado e revenido com resistência à tração inferior a 1 100 MPa

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 1: Terminologia
NBR11353-1 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 1: Terminologia

Inspeção em cilindros de aço, sem costura, para gases
NBR12274 de 10/2010

Inspeção em cilindros de aço, sem costura, para gases

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 3: Redutores de Pressão
NBR11353-3 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 3: Redutores de Pressão

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 4: Cilindro, válvulas, sistema de ventilação, linha de alta pressão e conexões
NBR11353-4 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 4: Cilindro, válvulas, sistema de ventilação, linha de alta pressão e conexões

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)
NBR14842 de 05/2015

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos
NBR7500 de 05/2021

Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 5: Suportes em geral
NBR11353-5 de 08/2020

Veículos rodoviários e veículos automotores — Sistemas de gás natural veicular (GNV) - Parte 5: Suportes em geral

Medidores de pressão - Parte 2: Medidores digitais de pressão - Requisitos de fabricação, classificação, ensaios e utilização
NBR14105-2 de 12/2015

Medidores de pressão - Parte 2: Medidores digitais de pressão - Requisitos de fabricação, classificação, ensaios e utilização

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 2: Cilindros de aço temperado e revenido com resistência à tração superior ou igual a 1 100 MPa
NBRISO9809-2 de 02/2014

Cilindros para gases - Cilindros de aço sem costura, recarregáveis, para gases - Projeto, construção e ensaios - Parte 2: Cilindros de aço temperado e revenido com resistência à tração superior ou igual a 1 100 MPa