Text page

A Qualidade dos maçaricos de soldagem a gás, aquecimento e corte de metais

Como deve ser o ensaio de retorno de chama contínuo? Como deve ser executado o ajuste das condições? Qual deve ser o equipamento necessário para o ensaio de superaquecimento? Quais são os princípios do ensaio de retorno de chama contínua? Essas indagações estão sendo exibidas na NBR ISO 5172 de 07/2021 - Equipamento de soldagem a gás - Maçaricos para solda, aquecimento e corte - Especificações e métodos de ensaios.

28/07/2021 - Equipe Target

NBR ISO 5172 de 07/2021 - Equipamento de soldagem a gás - Maçaricos para solda, aquecimento e corte - Especificações e métodos de ensaios

A NBR ISO 5172 de 07/2021 - Equipamento de soldagem a gás - Maçaricos para solda, aquecimento e corte - Especificações e métodos de ensaios estabelece as especificações e métodos de ensaios para maçaricos de soldagem a gás, aquecimento e corte de metais. Aplica-se a maçaricos manuais para soldagem e aquecimento com potência térmica nominal de até 32.000 kcal/h, e maçaricos de corte manual e corte a máquina com faixa de corte de até 300 mm. Não se aplica a maçaricos de aspiração de ar cobertos pela ISO 9012.

Os maçaricos com maior potência térmica nominal ou faixa de corte também podem ser ensaiados de acordo com esta norma, se os requisitos de ensaios este forem adequados. Para os gases combustíveis mais comuns, as taxas de fluxo correspondentes são fornecidas na Tabela A.1, disponível na norma. Exemplos de maçaricos são mostrados no Anexo B, que também fornece a terminologia relativa a estes maçaricos.

Além dos termos usados em duas das três línguas oficiais da ISO (inglês e francês), o anexo fornece os termos equivalentes em português; estes são publicados sob a responsabilidade do organismo membro do Brasil (ABNT) e são fornecidos apenas para informação. Somente os termos e definições fornecidos nos idiomas oficiais podem ser considerados termos ISO.

Acesse algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser o ensaio de retorno de chama contínuo?

Como deve ser executado o ajuste das condições?

Qual deve ser o equipamento necessário para o ensaio de superaquecimento?

Quais são os princípios do ensaio de retorno de chama contínua?

Pode-se dizer que o maçarico de baixa pressão é aquele no qual a pressão do gás combustível, medida imediatamente antes da câmara de mistura, é menor que a pressão da mistura de gás, medida entre a câmara de mistura e o bico de solda ou pf < pm. O gás combustível e o oxigênio/ar comprimido são misturados pela ação do oxigênio/ar comprimido que, sendo descarregado do orifício do injetor, gera sucção no ponto “A” do sistema de mistura, arrastando o gás combustível. Ver exemplos de misturador injetor, fixos ou ajustáveis, nas figuras abaixo.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

Os materiais devem estar de acordo com a ISO 9539. Os componentes em contato com o oxigênio devem estar livres de óleo, graxa ou outros contaminantes. As marcações devem ser legíveis e duráveis e devem estar de acordo com o descrito a seguir. Além do fabricante podem ser incluídos distribuidores e fornecedores.

O cabo do maçarico deve ostentar o nome ou a marca registrada do fabricante (o termo fabricante inclui distribuidores, fornecedores ou importadores) e o número de referência desta norma. A marcação deve estar de acordo com o descrito abaixo. A conexão adjacente à entrada de oxigênio nos maçaricos deve ser identificada pela letra O e a conexão adjacente à entrada de gás combustível deve ser identificada com a letra apropriada da tabela abaixo.

O registro de oxigênio (corpo ou botão) deve ser identificado pela letra O, ou a cor azul, ou ambas, a letra O e a cor azul. No caso de um país ter uma identificação de cor diferente do azul em seus requisitos, serão aplicadas as cores detalhadas no Anexo I.

A válvula de controle do gás combustível (corpo ou botão) deve ser identificada pela letra apropriada na tabela abaixo, ou pela cor vermelha, ou pela letra apropriada na tabela abaixo e pela cor vermelha. A válvula de corte de oxigênio, se instalada, deve ser identificada de maneira semelhante. Os requisitos mínimos de marcação para todos os bicos são apresentados no Anexo J.

Onde pode ocorrer incompatibilidade de componentes intercambiáveis (por exemplo, misturador e injetor), um código de identificação, a marca do fabricante e o símbolo que identificar o gás combustível deve ser marcada e mostrada nos dados operacionais. Se for separável, a extensão de corte deve ser marcada com o nome, a marca registrada ou a marca de identificação do fabricante (o termo fabricante inclui distribuidores, fornecedores ou importadores).

É recomendável que o usuário consulte as instruções de operação fornecidas pelo fabricante (ver Seção 10). Se as pressões de operação estiverem marcadas em qualquer parte do maçarico, elas devem ser indicadas em quilo pascal (kPa). Quando o nome completo do símbolo químico do gás não pode ser marcado, o código literal do gás deve ser usado de acordo com a ISO 10225 para marcação do equipamento, conforme a tabela abaixo.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Para maçaricos, bicos e componentes intercambiáveis capazes de serem utilizados com mais de um gás combustível, deve ser utilizada a abreviatura F. Os dados operacionais devem fornecer detalhes sobre os gases combustíveis para os quais esses componentes são adequados.

O ensaio de estanqueidade do gás deve ser de acordo com o descrito nessa norma, conforme a seguir: em novos maçaricos; após o ensaio de resistência da válvula; após o ensaio de contrapressão sustentada; após o ensaio de superaquecimento. Cada linha de gás deve ser fechada separadamente com um registro. A estanqueidade do gás deve ser alcançada na posição fechada. Os elementos da válvula devem permanecer estanques em todas as posições.

Para a resistência dos maçaricos ao retorno de chama contínuo, resistência ao superaquecimento, o maçarico deve ser ensaiado de acordo com essa norma. O maçarico e o bico devem ser resistentes ao retorno contínuo de chama quando a (s) saída (s) do bico está (ão) parcial (is) ou totalmente obstruído (os). Um ensaio alternativo (ensaio simples de tijolo) é apresentado no Anexo G. Os bicos, de aquecimento sem frente plana, devem ser ensaiados em conformidade com o Anexo G.

Para os misturadores marcados com o símbolo mostrado nessa norma, o refluxo não pode ocorrer entre 0,5 e duas vezes às pressões nominais de operação do gás. Se uma válvula de retenção estiver incorporada no maçarico, ela deve estar em conformidade com a ISO 5175.

Os seguintes requisitos operacionais devem ser atendidos para as taxas de fluxo de gás e pressões especificadas pelo fabricante nas instruções de operação. As taxas de vazão de gás e as pressões de gás devem ser as especificadas pelo fabricante nas instruções de operação. Deve ser verificado se os fluxos e as pressões de gás são atingidos. Deve ser possível ajustar a chama continuamente dos fluxos estabelecidos pelo fabricante para uma chama carburante aumentando o fluxo de combustível em 10% e para uma chama oxidante aumentando o fluxo de oxigênio em 10%.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Proteção ocular pessoal — Filtros para soldagem e técnicas associadas — Requisitos de transmitância e recomendações de uso
NBR16247 de 11/2013

Proteção ocular pessoal — Filtros para soldagem e técnicas associadas — Requisitos de transmitância e recomendações de uso

Qualificação de procedimentos de soldagem pelo processo com eletrodo revestido para oleodutos e gasodutos — Procedimentos
NBR10663 de 01/2016

Qualificação de procedimentos de soldagem pelo processo com eletrodo revestido para oleodutos e gasodutos — Procedimentos

Requisitos da qualidade para soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 1: Critérios para a seleção do nível adequado de requisitos da qualidade
NBRISO3834-1 de 04/2020

Requisitos da qualidade para soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 1: Critérios para a seleção do nível adequado de requisitos da qualidade

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 2: Requisitos abrangentes da qualidade
NBRISO3834-2 de 04/2020

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 2: Requisitos abrangentes da qualidade

Ensaios não destrutivos - Ultrassom - Phased array para inspeção de solda
NBR16339 de 01/2021

Ensaios não destrutivos - Ultrassom - Phased array para inspeção de solda

Qualificação em soldagem — Terminologia
NBR10474 de 11/2015

Qualificação em soldagem — Terminologia

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)
NBR14842 de 05/2015

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)

Soldagem - Números e nomes de processos - Padronização
NBR13043 de 09/1993

Soldagem - Números e nomes de processos - Padronização

Peças de ferro fundido recuperadas - Requisitos para aprovação do procedimento de soldagem e aceitação das peças - Especificação
NBR13244 de 02/1995

Peças de ferro fundido recuperadas - Requisitos para aprovação do procedimento de soldagem e aceitação das peças - Especificação

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 4: Requisitos elementares da qualidade
NBRISO3834-4 de 04/2020

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 4: Requisitos elementares da qualidade

Ensaios não destrutivos de soldas — Ensaio por ultrassom — Ensaios de soldas em aços austeníticos e ligas à base de níquel
NBRISO22825 de 04/2020

Ensaios não destrutivos de soldas — Ensaio por ultrassom — Ensaios de soldas em aços austeníticos e ligas à base de níquel

Requisitos da qualidade para soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 5: Documentos com os quais é necessário estar em conformidade para requerer conformidade com os requisitosda qualidade das ABNT NBR ISO 3834-2, ABNT NBR ISO 3834-3 ou ABNT NBR ISO 3834-4
NBRISO3834-5 de 04/2020

Requisitos da qualidade para soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 5: Documentos com os quais é necessário estar em conformidade para requerer conformidade com os requisitosda qualidade das ABNT NBR ISO 3834-2, ABNT NBR ISO 3834-3 ou ABNT NBR ISO 3834-4

Coordenação da soldagem — Tarefas e responsabilidades
NBRISO14731 de 11/2019

Coordenação da soldagem — Tarefas e responsabilidades

Equipamento de soldagem a gás - Maçaricos para solda, aquecimento e corte - Especificações e métodos de ensaios
NBRISO5172 de 07/2021

Equipamento de soldagem a gás - Maçaricos para solda, aquecimento e corte - Especificações e métodos de ensaios

Proteção ocular pessoal - Filtros automáticos para soldagem
NBR16635 de 09/2017

Proteção ocular pessoal - Filtros automáticos para soldagem

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 3: Requisitos-padrão da qualidade
NBRISO3834-3 de 04/2020

Requisitos da qualidade para a soldagem por fusão de materiais metálicos - Parte 3: Requisitos-padrão da qualidade