Text page

As distâncias seguras para os membros superiores e inferiores em máquinas

Qual é o alcance ao redor com limitação de movimento? Qual é o alcance através de aberturas regulares – pessoas de 14 anos ou mais? Qual é o alcance através de aberturas regulares – pessoas de 3 anos de idade ou mais? Quais os passos que devem ser executados em aberturas com forma irregular? Essas indagações estão sendo solucionadas na NBR ISO 13857 de 03/2021 - Segurança de Máquinas - Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores e inferiores.

31/03/2021 - Equipe Target

NBR ISO 13857 de 03/2021 - Segurança de máquinas - Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores e inferiores

A NBR ISO 13857 de 03/2021 - Segurança de máquinas - Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores e inferiores estabelece valores para distâncias de segurança em ambientes industriais e não industriais, com o objetivo de prevenir que zonas perigosas sejam alcançadas. As distâncias de segurança são apropriadas para estruturas de proteção. Ele também fornece informações sobre distâncias, para impedir o livre acesso de membros inferiores (ver Anexo B).

Abrange pessoas de 14 anos ou mais (a estatura de 20% das pessoas com o 5° percentil de 14 anos é aproximadamente 1.400 mm). Além disso, apenas para membros superiores, é fornecida informação para crianças maiores que 3 anos (a estatura de 20% das pessoas com o 5° percentil de 3 anos é aproximadamente 900 mm), onde o acesso através de aberturas precisa ser abordado. Não é praticável especificar as distâncias de segurança para todas as pessoas. Portanto, os valores apresentados destinam-se a cobrir o 95° percentil da população.

Os dados para impedir o acesso de membros inferiores de crianças não são considerados. As distâncias se aplicam quando a redução suficiente do risco pode ser atingida somente pelo distanciamento. Como as distâncias de segurança dependem da medida, algumas pessoas de dimensões extremas ainda serão capazes de alcançar zonas de perigo mesmo quando os requisitos deste documento forem respeitados.

A conformidade com os requisitos deste documento impedirá o acesso à zona de risco. No entanto, o usuário deste documento é ciente de que a redução de risco requerida para todos os perigos não é obtida (por exemplo, perigos relacionados às emissões da máquina, como radiação ionizante, fontes de calor, ruído, poeira).

As seções que tratam de membros inferiores são aplicadas por si só quando o acesso pelos membros superiores à mesma zona de perigo não é previsível, de acordo com a avaliação de riscos. As distâncias de segurança são destinadas a proteger aquelas pessoas que tentam alcançar zonas de perigo sob as condições especificadas.

Confira algumas perguntas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Qual é o alcance ao redor com limitação de movimento?

Qual é o alcance através de aberturas regulares – pessoas de 14 anos ou mais?

Qual é o alcance através de aberturas regulares – pessoas de 3 anos de idade ou mais?

Quais os passos que devem ser executados em aberturas com forma irregular?

A estrutura das normas de segurança no campo de máquinas está descrita a seguir. As normas do tipo A (normas fundamentais de segurança) definem com rigor os conceitos fundamentais, os princípios de concepção e os aspectos gerais válidos para todos os tipos de máquinas. As normas do tipo B (normas de segurança relativas a um grupo) tratam de um aspecto ou de um tipo de dispositivo condicionador de segurança, aplicáveis a uma gama extensa de máquinas

Elas pode ser normas do tipo B1 – sobre aspectos particulares de segurança (por exemplo, distância de segurança, temperatura de superfície, ruído), e normas do tipo B2 – sobre dispositivos condicionadores de segurança (por exemplo, comandos bimanuais, dispositivos de intertravamento, dispositivos sensíveis a pressão, proteções); as normas do tipo C (normas de segurança por categoria de máquinas) que fornecem prescrições detalhadas de segurança aplicáveis a uma máquina em particular ou a um grupo de máquinas.

Este documento é considerado do tipo B1, como indicado na NBR ISO 12100:2013. Ele é relevância, em particular, para os grupos de interesse que representam o mercado, no que diz respeito à segurança de máquinas: fabricantes de máquinas (pequenas, médias e grandes empresas); saúde e segurança (agências reguladoras, organizações de prevenção de acidentes, vigilâncias do mercado etc.).

Outros podem ser afetados pelo nível de segurança alcançado pelas máquinas por este documento pelos grupos acima mencionados: usuários de máquina/empregadores (pequenas, médias e grandes empresas); usuários de máquina/empregadores (por exemplo, sindicatos, organizações para pessoas com necessidades especiais); prestadores de serviço, por exemplo para manutenção (pequenas, médias e grandes empresas); consumidores (no caso de máquinas destinadas ao uso de consumidores de máquinas).

Os grupos mencionados anteriormente tiveram a possibilidade de participar do processo de elaboração deste documento. Adicionalmente, este documento é destinado aos organismos de normalização que elaboram normas tipo C. Os requisitos deste documento podem ser suplementados ou modificados por uma norma tipo C. Para máquinas cobertas pelo escopo de uma norma tipo C e que foram projetadas ou construídas de acordo com os requisitos deste documento, os requisitos da norma tipo C prevalecem.

Quando as disposições de uma norma do tipo C forem diferentes das que são declaradas nas normas do tipo A ou tipo B, as disposições da norma do tipo C prevalecem sobre as disposições das outras normas para máquinas que foram projetadas e construídas de acordo com as disposições da norma do tipo C.

Um método de eliminação ou redução de riscos causados por máquinas é fazer uso das distâncias para impedir que as zonas de perigo sejam alcançadas pelos membros superiores e inferiores. Nas distâncias de segurança especificadas, alguns aspectos devem ser levados em consideração, como as situações de alcance que ocorrem quando a máquina está em uso, as pesquisas confiáveis de dados antropométricos, levando em consideração os grupos de população como os encontrados nos países considerados, os fatores biomecânicos, como compressão e tracionamento de partes do corpo e limites de rotação das articulações, os aspectos técnicos e práticos, e as medidas adicionais para grupos particulares de pessoas (por exemplo, pessoas com necessidades especiais), as quais podem ser exigidas devido aos desvios das dimensões corporais especificadas.

As distâncias de segurança deste documento derivam das seguintes suposições: as estruturas de proteção e quaisquer aberturas nelas mantêm a sua forma e posição; as distâncias de segurança são medidas a partir da superfície que restringe o corpo ou a parte relevante do corpo; o corpo é forçado sobre estruturas de proteção ou através de aberturas, na tentativa de alcançar a zona de perigo; há contato com o plano de referência enquanto houver a utilização de sapatos (não está incluído o uso de sapatos de sola alta, escalada e salto); nenhuma ajuda, como cadeiras ou escadas, é usada para mudar o plano de referência; nenhuma ajuda, como hastes ou ferramentas, é usada para estender o alcance natural dos membros superiores.

As distâncias de segurança são determinadas, se o perigo a ser considerado tiver sido identificado como significativo (ver NBR ISO 12100:2013, 3.8). Todos os meios de acesso razoavelmente previsíveis devem ser levados em conta. Quando a possibilidade de acesso ou a variedade de zonas de risco exigir a aplicação de mais de uma tabela, todas as distâncias de segurança devem ser levadas em consideração.

Quando mais de uma distância de segurança é determinada para o mesmo meio de acesso, deve ser aplicada a maior distância de segurança. Algumas distâncias de segurança se aplicam-se às pessoas que tentam alcançar uma zona de perigo com os membros inferiores através de aberturas.

Antes de selecionar uma distância de segurança adequada em caso de alcance superior ou alcance sobre estruturas de proteção, é necessário considerar a gravidade do dano e a probabilidade de ocorrência deste dano causado pelo perigo. No caso de alcance superior, o valor mais alto deve ser aplicado. Em caso de alcance sobre estruturas de proteção, os valores da tabela abaixo devem ser aplicados.

O valor mais baixo, conforme a tabela abaixo, pode ser aplicado onde a gravidade do dano e a probabilidade de ocorrência do dano causado pelo perigo são baixas (ver NBR ISO 12100: 2013, 5.5.2.3). A probabilidade de ocorrência do dano pode ser assumida como baixa com, por exemplo, movimentos lentos que permitam que a pessoa escape do movimento perigoso.

A gravidade do dano pode ser considerada baixa nas seguintes situações: quando a temperatura e a duração do contato com superfícies quentes estiverem abaixo do valor necessário para causar uma queimadura (para valores de limiar de queimadura, ver ISO 13732-1); para perigos que não causem danos permanentes ou danos irreversíveis ao corpo, como, por exemplo, hematomas, contusões leves ou quebra de partes do corpo que crescem novamente, como unhas.

Mais orientações sobre estimativa de risco são dadas na ISO/TR 14121-2:2018, Seção 6. A Figura 1 na norma mostra a distância de segurança para alcance superior vertical. A altura da zona de perigo, h, deve ser de 2.700 mm ou maior. A altura da zona de perigo, h, deve ser de 2.500 mm ou maior, onde a severidade do dano e a probabilidade de ocorrência do dano causado pelo perigo são baixas. A Figura 2 na norma mostra o alcance sobre uma estrutura de proteção.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

Os valores indicados nas tabelas abaixo devem ser utilizados para determinar a (s) dimensão (ões) correspondente (s) da altura da zona de perigo, a altura das estruturas de proteção e a distância de segurança horizontal à zona de perigo. Quando valores conhecidos de hh, hps ou sh estiverem entre dois valores, a maior distância de segurança ou estrutura de proteção mais alta ou a mudança na altura (maior ou menor) da zona de perigo deve ser usada. Consequentemente, não pode haver interpolação dos valores dados.

A tabela abaixo pode ser usada quando a gravidade da lesão for leve e houver uma baixa probabilidade de ocorrência de lesão. A tabela abaixo fornece a relação entre a altura da zona de risco, a altura da estrutura de proteção e a distância de segurança horizontal. A tabela abaixo deve ser usada quando a tabela acima 1 não for aplicável. A tabela abaixo fornece a relação entre a altura da zona de perigo, a altura da estrutura da proteção e a distância de segurança horizontal.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

Em alguns casos (por exemplo, máquinas agrícolas móveis, projetadas para se moverem em terreno irregular), as distâncias de segurança fornecidas neste documento não podem ser aplicadas. Em tais casos, recomenda-se que exista, pelo menos, estruturas de proteção para restringir a livre movimentação dos membros inferiores. Para este método, os valores dados no Anexo B podem ser usados.

As estruturas de proteção em forma de fendas com aberturas de e > 180 mm e aberturas quadradas ou circulares com e > 240 mm (ver 4.2.4.1) não podem ser utilizadas sem medidas de segurança adicionais, uma vez que permitirão o acesso de todo o corpo. As estruturas de proteção menores que 1.400 mm de altura, de acordo com a tabela acima, não podem ser usadas sem medidas de segurança adicionais.

A consideração do acesso de corpo inteiro, seja ao escalar ou ao agachar-se sob estruturas de proteção, é indispensável para a aplicação deste documento. Exemplos também podem ser encontrados na ISO/TR 20218-2. Em alguns casos (por exemplo, máquinas agrícolas móveis, projetadas para se moverem em terreno irregular), as distâncias de segurança fornecidas neste documento podem não ser aplicadas.

Nesses casos, convém que pelo menos estruturas de proteção para restringir a livre movimentação dos membros inferiores sejam usadas. Para este método, os valores indicados neste Anexo podem ser utilizados. Uma estrutura de proteção adicional pode ser usada para restringir o movimento livre dos membros inferiores sob estruturas de proteção existentes.

Para este método, as distâncias dadas no Anexo B se referem à altura do solo ou plano de referência à estrutura de proteção. Este método fornece proteção limitada. Em muitos casos, outros métodos serão mais apropriados. Não convém que a distância, h, do plano de referência às estruturas de proteção exceda 180 mm.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Gestão de riscos - Diretrizes
NBRISO31000 de 03/2018

Gestão de riscos - Diretrizes

Segurança de máquinas — Equipamentos elétricos de máquinas - Parte 1: Requisitos gerais
NBRIEC60204-1 de 07/2020

Segurança de máquinas — Equipamentos elétricos de máquinas - Parte 1: Requisitos gerais

Segurança de máquinas — Princípios gerais de projeto — Apreciação e redução de riscos
NBRISO12100 de 12/2013

Segurança de máquinas — Princípios gerais de projeto — Apreciação e redução de riscos

Robôs e dispositivos robóticos — Requisitos de segurança para robôs industriais - Parte 1: Robôs
NBRISO10218-1 de 05/2018

Robôs e dispositivos robóticos — Requisitos de segurança para robôs industriais - Parte 1: Robôs

Segurança de máquinas - Partes de sistemas de comando relacionadas à segurança - Classificação por categorias de segurança
NBR14153 de 03/2022

Segurança de máquinas - Partes de sistemas de comando relacionadas à segurança - Classificação por categorias de segurança

Gestão de riscos - Técnicas para o processo de avaliação de riscos
NBRISO/IEC31010 de 08/2021

Gestão de riscos - Técnicas para o processo de avaliação de riscos

Segurança de máquinas — Apreciação de riscos - Parte 2: Guia prático e exemplos de métodos
ABNT ISO/TR14121-2 de 12/2018

Segurança de máquinas — Apreciação de riscos - Parte 2: Guia prático e exemplos de métodos

Robôs e dispositivos robóticos — Requisitos de segurança para robôs industriais - Parte 2: Sistemas robotizados e integração
NBRISO10218-2 de 05/2018

Robôs e dispositivos robóticos — Requisitos de segurança para robôs industriais - Parte 2: Sistemas robotizados e integração

Gestão de riscos — Guia para implementação da ABNT NBR ISO 31000
ABNT ISO/TR31004 de 10/2015

Gestão de riscos — Guia para implementação da ABNT NBR ISO 31000

Segurança de máquinas - Dispositivos de intertravamento associados às proteções - Princípios de projeto e seleção
NBRISO14119 de 02/2021

Segurança de máquinas - Dispositivos de intertravamento associados às proteções - Princípios de projeto e seleção

Versão comentada da Norma para Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos, com mais de 91 páginas de comentários elaborados pelo engenheiro Eduardo Daniel
NBRISO9001 - COMENTADA de 09/2015

Versão comentada da Norma para Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos, com mais de 91 páginas de comentários elaborados pelo engenheiro Eduardo Daniel

Segurança de Máquinas - Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores e inferiores
NBRISO13857 de 03/2021

Segurança de Máquinas - Distâncias de segurança para impedir o acesso a zonas de perigo pelos membros superiores e inferiores

Segurança de máquinas - Manual de instruções - Princípios gerais de elaboração
NBR16746 de 02/2019

Segurança de máquinas - Manual de instruções - Princípios gerais de elaboração