Text page

AWWA E200: bombas dosadoras químicas

Essa norma internacional, editada em 2018 pela American Water Works Association (AWWA), tem o objetivo de fornecer os requisitos mínimos para bombas de medição química de cavidade progressiva adequadas para serviços de água e esgoto, incluindo projeto, materiais, aplicação, ensaios e entrega.

19/09/2018 - Equipe Target

A bombas dosadoras químicas de cavidade progressiva

A AWWA E200:2018 - Progressive Cavity Chemical Metering Pumps tem o objetivo de fornecer os requisitos mínimos para bombas de medição química de cavidade progressiva adequadas para serviços de água e esgoto, incluindo projeto, materiais, aplicação, ensaios e entrega. Fornece os requisitos mínimos para bombas de dosagem química de cavidade progressiva usadas com polímeros e produtos químicos agressivos, incluindo hipoclorito de sódio (NaOCl), cloreto férrico (FeCL3), ácido sulfúrico (H2SO4), ácido clorídrico (HCl) e outros ácidos fortes e bases. Esta norma inclui projeto, materiais, aplicação, ensaios e entrega dessas bombas dosadoras.

As bombas dosadoras são equipamentos destinados ao bombeamento controlado, ou seja, equipamentos que possuem controle de vazão para os processos de tratamento de água ou efluentes, líquidos corrosivos, ácidos, álcalis, para processos industriais nas áreas químicas, petroquímicas, beneficiamento, usinas de açúcar e álcool, farmacêuticas, dentre várias outras aplicações que necessitam de controle.

Existem as bombas dosadoras eletrônicas que possuem controle de vazão e podem ser manuais ou automáticas por sinal de 4 a 20 mA ou por pulso. São bombas de deslocamento positivo, acionadas por um sistema mecânico (moto redutor) ou por um sistema eletromagnético (solenoide).

As bombas dosadoras eletrônicas de diafragma são equipamentos com alta tecnologia na precisão da dosagem e podem trabalhar com vários tipos de produtos químicos, possuem três tipos de controle de vazão e podem ser fornecidas com vários acessórios de controle que aprimoram o seu funcionamento.

Conteúdo da norma

Prefácio

I Introdução....................................vii

I.A Antecedentes.....................................vii

I.B História............................................vii

I.C Aceitação......................................viii

II Questões especiais...................................ix

III Uso dessa norma.......................ix

III A Opções do comprador e alternativas...ix

IV Principais revisões...............................x

V Comentários......................................x

Norma

1. Geral

1.1 Escopo...............................................1

1.2 Finalidade...........................................1

1.3 Aplicação......................................1

2 Referências......................................2

3 Definições.....................................3

4 Requisitos

4.1 Materiais.........................................6

4.2 Projeto da bomba ....................................8

5 Verificação

5.1 Ensaios de fabricação...................................14

5.2 Base para rejeição...........................14

6 Entrega, preparação para expedição e declaração juramentada

6.1 Marcação..........................................14

6.2 Embalagem e expedição....................15

6.3 Armazenamento............................................15

6.4 Operação e manutenção............16

6.5 Atestado de compliance..................16

Apêndice

A Folha de dados do material.........................17

Figuras

1 Cavidade progressiva típica de bomba dosadora de produtos químicos......3

2 Estágios..............................................3

3 O número de estágios determina a capacidade de pressão de uma bomba de cavidade progressiva...........9

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Máquinas elétricas girantes - Parte 1: Motores de indução trifásicos - Requisitos
NBR17094-1 de 04/2018

Máquinas elétricas girantes - Parte 1: Motores de indução trifásicos - Requisitos

Indústrias do petróleo e gás natural - Sistemas de bombas de cavidades progressivas para elevação artificial - Cabeçotes de acionamento
NBR16304 de 07/2014

Indústrias do petróleo e gás natural - Sistemas de bombas de cavidades progressivas para elevação artificial - Cabeçotes de acionamento

Sistema de proteção contra explosões - Parte 4: Determinação de eficácia dos sistemas de supressão de explosões
NBRISO6184-4 de 09/2007

Sistema de proteção contra explosões - Parte 4: Determinação de eficácia dos sistemas de supressão de explosões

Máquinas elétricas girantes - Parte 4: Motores de indução monofásicos — Métodos de ensaios
NBR17094-4 de 03/2016

Máquinas elétricas girantes - Parte 4: Motores de indução monofásicos — Métodos de ensaios

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 3: Calibração de blocos de referência (ISO 6506-3:2005, IDT)
NBRNM-ISO6506-3 de 01/2019

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 3: Calibração de blocos de referência (ISO 6506-3:2005, IDT)

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 2: Determinação de índices de explosão de gases combustíveis no ar
NBRISO6184-2 de 08/2007

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 2: Determinação de índices de explosão de gases combustíveis no ar

Máquina elétrica girante - Dimensões e séries de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 3: Motores pequenos e flanges BF10 a BF50
NBR15623-3 de 09/2008

Máquina elétrica girante - Dimensões e séries de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 3: Motores pequenos e flanges BF10 a BF50

Bombas dosadoras de diafragma - Especificação
NBR12560 de 04/1992

Bombas dosadoras de diafragma - Especificação

Compressores de ar — Classificação
NBR10143 de 08/2012

Compressores de ar — Classificação

Máquina elétrica girante - Dimensões e series de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 2: Designação de carcaças entre 355 a 1 000 e flanges entre 1 180 a 2 360
NBR15623-2 de 09/2008

Máquina elétrica girante - Dimensões e series de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 2: Designação de carcaças entre 355 a 1 000 e flanges entre 1 180 a 2 360

Projeto de estação de bombeamento ou de estação elevatória de esgoto — Requisitos
NBR12208 de 10/2020

Projeto de estação de bombeamento ou de estação elevatória de esgoto — Requisitos

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 4: Tabelas de valores de dureza (ISO 6506-4:2005, IDT)
NBRNM-ISO6506-4 de 01/2019

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 4: Tabelas de valores de dureza (ISO 6506-4:2005, IDT)

Máquinas elétricas girantes - Parte 3: Motores de indução trifásicos - Métodos de ensaio
NBR17094-3 de 04/2018

Máquinas elétricas girantes - Parte 3: Motores de indução trifásicos - Métodos de ensaio

Industria de petróleo e gás natural — Sistemas de bombas de cavidades progressivas para elevação artificial — Bombas
NBR16464 de 04/2016

Industria de petróleo e gás natural — Sistemas de bombas de cavidades progressivas para elevação artificial — Bombas

Bombas hidráulicas de fluxo
NBR10131 de 07/2015

Bombas hidráulicas de fluxo

Sistemas de selagem de eixos para bombas centrífugas e rotativas
NBR16676 de 08/2018

Sistemas de selagem de eixos para bombas centrífugas e rotativas

Máquina elétrica girante - Dimensões e séries de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 1: Designação de carcaças entre 56 a 400 e flanges entre 55 a 1 080
NBR15623-1 de 09/2008

Máquina elétrica girante - Dimensões e séries de potências para máquinas elétricas girantes - Padronização - Parte 1: Designação de carcaças entre 56 a 400 e flanges entre 55 a 1 080

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 3: Determinação dos índices de explosão de misturas ar/combustível exceto as misturas pó/ar e gás/ar
NBRISO6184-3 de 08/2007

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 3: Determinação dos índices de explosão de misturas ar/combustível exceto as misturas pó/ar e gás/ar

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 1: Método de ensaio (ISO 6506-1:2005, IDT)
NBRNM-ISO6506-1 de 01/2019

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 1: Método de ensaio (ISO 6506-1:2005, IDT)

Máquinas elétricas girantes - Parte 2: Motores de indução monofásicos — Requisitos
NBR17094-2 de 03/2016

Máquinas elétricas girantes - Parte 2: Motores de indução monofásicos — Requisitos

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 1: Determinação dos índices de explosão dos pós combustíveis no ar
NBRISO6184-1 de 05/2007

Sistemas de proteção contra explosão - Parte 1: Determinação dos índices de explosão dos pós combustíveis no ar

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 2: Verificação e calibração de máquinas de ensaio (ISO 6506-2:2005, IDT)
NBRNM-ISO6506-2 de 01/2019

Materiais metálicos - Ensaio de dureza Brinell - Parte 2: Verificação e calibração de máquinas de ensaio (ISO 6506-2:2005, IDT)