Text page

Os critérios para o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis

Qual é a classificação de líquidos inflamáveis e combustíveis? Qual é o propósito desta norma? O que é a ebulição turbilhonar (boil over)? Como pode ser definido o ponto de fulgor? Essas dúvidas estão sendo apresentadas no texto sobre as disposições gerais para o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis.

04/04/2018 - Equipe Target

NBR 17505-1 de 02/2013: as disposições gerais para o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis

A NBR 17505-1 de 02/2013 - Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais define os termos utilizados e as disposições gerais aplicáveis às Partes 2, 3, 4, 5, 6 e 7 da NBR 17505, que tem como objetivo geral estabelecer os requisitos exigíveis para os projetos de instalações de armazenamento, manuseio e uso de líquidos inflamáveis e combustíveis, incluindo os resíduos líquidos, contidos em tanques estacionários e/ou em recipientes. A norma (todas as Partes) não se aplica a: qualquer material que tenha ponto de fusão igual ou superior a 37,8 °C; qualquer líquido que não preencha os critérios de fluidez estabelecidos na classificação de líquidos da Seção 3 e as provisões estabelecidas na Seção 4; qualquer gás liquefeito ou líquido criogênico como definido na Seção 3; qualquer líquido que não tenha um ponto de fulgor, e que possa ser capaz de queimar sob certas condições; qualquer produto aerossol; qualquer névoa, spray ou espuma; transporte por via terrestre de líquidos inflamáveis e combustíveis, que é regulamentado pelo Ministério dos Transportes/Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT); armazenamento, manuseio e uso de tanques e recipientes de óleo combustível, conectados a equipamentos que consumam óleo, quando parte integrante do conjunto; instalações de armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis que disponham de normas brasileiras específicas; aspectos toxicológicos dos produtos armazenados; instalação de tanques de armazenamento e consumo de líquidos inflamáveis e combustíveis destinados ao abastecimento de motores e/ou equipamentos térmicos que disponham de normas brasileiras específicas; instalações marítimas offshore.

O propósito desta Parte ou da NBR 17505 (demais Partes) é o de fornecer as salvaguardas fundamentais para o armazenamento, o manuseio e a utilização de líquidos inflamáveis e combustíveis, sendo a aplicação de cada Parte descrita em 1.3.1 a 1.3.7. Os requisitos da NBR 17505 são aplicáveis aos usuários, produtores, distribuidores e outros que se envolvam com o armazenamento, o manuseio ou a utilização de líquidos inflamáveis e combustíveis. Esta Parte se aplica às disposições gerais e definições necessárias ao entendimento dos termos utilizados nas diversas Partes da NBR 17505 que se aplica ao arranjo das instalações, contemplando: os requisitos para todos os tanques de armazenamento; o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em tanques de armazenamento de superfície; o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em tanques subterrâneos; as edificações contendo tanques de armazenamento.

Aplica-se aos sistemas de tubulações para transferência de líquidos inflamáveis e combustíveis e ao armazenamento de líquidos contidos em recipientes e em tanques portáteis, contemplando: o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em recipientes, tanques portáteis e recipientes intermediários para granel (IBC), em instalações específicas, como descritos na NBR 17505-4; o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em recipientes, tanques portáteis e recipientes intermediários para granel em edificações não protegidas; o armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em recipientes, tanques portáteis e recipientes intermediários para granel em armários de armazenamento; o armazenamento externo de líquidos inflamáveis e combustíveis em recipientes, tanques portáteis e recipientes intermediários para granel; os critérios de projeto para a proteção contra incêndio usados em armazenamentos protegidos de líquidos inflamáveis e combustíveis em recipientes, tanques portáteis e recipientes intermediários para granel.

Aplica-se a operações envolvendo líquidos, contemplando: o projeto e a construção de instalações onde são processados ou utilizados líquidos inflamáveis e combustíveis; os requisitos gerais relativos ao manuseio, envase, transferência e utilização de líquidos inflamáveis e combustíveis; os equipamentos e operações específicas que utilizem líquidos inflamáveis e combustíveis; os sistemas de carregamento e descarregamento de líquidos inflamáveis e combustíveis a granel em tanques; as operações com líquidos inflamáveis e combustíveis a granel em cais ou píer; os sistemas de controle e prevenção de incêndio; a eletricidade estática no manuseio de líquidos inflamáveis e combustíveis e seus vapores; os salvaguardas para a entrada, limpeza e reparos em tanques e em recipientes. Aplica-se à classificação de áreas elétricas onde são armazenados ou manuseados líquidos inflamáveis e combustíveis e aos requisitos mínimos para os projetos de sistemas de combate a incêndios com água e espuma, destinados a instalações de armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis, contidos em tanques estacionários com capacidade superior a 450 L. As disposições da NBR 17505 (todas as Partes) não se aplicam às edificações, equipamentos, estruturas ou instalações já existentes ou aprovadas para a construção ou instalação antes da data da publicação da NBR 17505 (todas as Partes). Contudo, as reformas que alterem as características do projeto e/ou equipamentos, e as ampliações de instalações, iniciadas a partir da data da publicação da NBR17505 (todas as Partes) devem atender às suas disposições. Nestes casos, devem ser evidenciadas as normas vigentes, na época do fato, para as edificações, equipamentos, estruturas ou instalações já existentes ou aprovadas.

Acesse algumas dúvidas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Qual é a classificação de líquidos inflamáveis e combustíveis?

Qual é o propósito desta norma?

O que é a ebulição turbilhonar (boil over)?

Como pode ser definido o ponto de fulgor?

A aplicação desta norma não dispensa o atendimento a legislação nacional aplicável. As unidades de medida utilizadas nesta norma são as do Sistema Internacional de Unidades (SI), seguidas, em alguns pontos, por outras unidades de medida entre parênteses. Qualquer dos sistemas de unidades será aceitável para satisfazer os requisitos desta norma. Os usuários desta norma devem adotar um dos sistemas de medição consistentemente e não podem alterná-los ao longo da aplicação da norma. Os valores apresentados para medições nesta norma são expressos com um grau de exatidão apropriado.

Pode-se estabelecer um sistema de uniformização e classificação para os líquidos inflamáveis e combustíveis para os propósitos de aplicação da NBR 17505 (todas as partes). As classificações desta Seção são aplicáveis a quaisquer líquidos dentro dos objetivos e requisitos da NBR 17505 (todas as Partes). Qualquer líquido que atenda os objetivos e os requisitos NBR 17505 (todas as Partes) deve ser classificado conforme esta Seção. A tabela apresenta a classificação dos líquidos inflamáveis e combustíveis abrangidos por esta Parte da NBR 17505.

Armazenamento

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Na determinação do ponto de fulgor mencionado na tabela 1, devem ser utilizados os seguintes critérios: para líquidos com viscosidade inferior a 5,5 cSt a 40 °C ou inferior a 9,5 cSt a 25 °C, utilizar a NBR 7974; para cortes de asfaltos, líquidos que tendem a formar uma película superficial ou que contenham sólidos em suspensão que não podem ser ensaiados de acordo com a NBR 7974, mesmo que atendam aos critérios de viscosidade, devem ser ensaiados de acordo com o mencionado na frase seguinte; para líquidos com viscosidade igual ou superior a 5,5 cSt a 40 °C ou 9,5 cSt a 25 °C ou ponto de fulgor igual ou superior a 93,4 °C, utilizar a NBR 14598; para tintas, esmaltes, lacas, vernizes e produtos correlatos e seus componentes com ponto de fulgor entre 0 °C e 110 °C e viscosidade inferior a 150 St a 25 °C, utilizar a ASTM D 3278; para outros materiais que não exigem especificamente a aplicação da ASTM D 3278, pode ser utilizada a ASTM D 3828.

A norma tem também como objetivo reduzir os riscos a um grau consistente com uma razoável segurança pública, sem uma indevida interferência com a conveniência e necessidade do público, nas operações que requerem o uso de líquidos inflamáveis e combustíveis. O atendimento aos requisitos da NBR 17505 (todas as Partes) não elimina todos os riscos inerentes ao uso de líquidos inflamáveis e combustíveis.

Assim, os produtos que se encontrarem no estado sólido a 37,8 °C ou acima, mas que forem manuseados, usados ou armazenados em temperaturas acima de seus pontos de fulgor, devem ser examinados de acordo com os descritos nesta Parte da NBR 17505 e na NBR 17505-7. Certas misturas de combustíveis líquidos ou inflamáveis e hidrocarbonetos halogenados não apresentam pontos de fulgor ou apresentam pontos de fulgor elevados, usando-se métodos-padrão de ensaio de vaso fechado.

Contudo, quando o hidrocarboneto halogenado é o seu componente mais volátil, a evaporação preferencial deste componente pode resultar em um líquido com o ponto de fulgor, mais baixo do que o da mistura original. Para avaliar o risco de incêndio de tais misturas, o ensaio de ponto de fulgor deve ser realizado depois da evaporação fracionada de 10 %, 20 %, 40 %, 60 % ou mesmo 90 % da amostra original ou de outras frações representativas das condições de uso.

Para sistemas como tanques de processo aberto ou derramamentos em áreas abertas, um ensaio de vaso aberto talvez seja o mais apropriado para fazer uma estimativa dos riscos de incêndio. A classificação de líquidos é baseada nos pontos de fulgor, corrigidos para a pressão ao nível do mar, de acordo com os procedimentos de ensaio das normas brasileiras e ASTM pertinentes. Os pontos de fulgor reais, em grandes altitudes, são significativamente menores do que os determinados ao nível do mar ou quando corrigidos para a pressão atmosférica ao nível do mar.

Assim faz-se necessário estabelecer tolerâncias para estas diferenças, a fim de avaliar apropriadamente o risco. A tabela abaixo apresenta uma comparação das definições e classificações de líquidos inflamáveis e combustíveis, como exposto na Seção 4, com definições e sistemas de classificação usados por outros organismos reguladores.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

O ponto de fulgor é uma medida direta da volatilidade de um líquido e de sua tendência de evaporar. Quanto mais baixo for o ponto de fulgor, tanto maior são a volatilidade e o risco de incêndio. O ponto de fulgor é determinado usando-se um dos diferentes procedimentos e aparelhagem de ensaio que estão especificados nas NBR 7974, NBR 11341 e NBR 14598. Um líquido com um ponto de fulgor menor ou igual à temperatura ambiente é fácil de incendiar-se e queima rapidamente.

Na ignição, as chamas se espalham rapidamente sobre a superfície, gerando mais vapor. A gasolina é um exemplo comum para este caso. Um líquido com o ponto de fulgor acima da temperatura ambiente apresenta menos risco, já que precisa ser aquecido para gerar vapor suficiente para tornar-se inflamável. Este é mais difícil de inflamar-se e apresenta menos potencial para a geração e a dispersão de vapor.

Algumas soluções de líquidos com água exibem um ponto de fulgor, usando-se os procedimentos do ensaio de copo fechado, mas não queimam e podem até apagar o fogo. As ASTM D 4206 e ASTM D 4207 podem auxiliar na identificação de tais soluções. As misturas de líquidos que não sustentem a combustão por um período determinado e a uma determinada temperatura são consideradas incombustíveis.

Estes ensaios fornecem dados adicionais para determinar um armazenamento e o manuseio corretos de tais misturas. Em um espaço confinado, estas misturas podem até criar uma mistura inflamável de vapor/ar, dependendo do volume de líquido inflamável na mistura e da quantidade de derramamento. O ponto de combustão é relacionado com o ponto de fulgor. O ponto de combustão de um líquido é a temperatura em que a combustão de vapores resulta em uma queima continuada.

Como o termo ponto de fulgor sugere, os vapores gerados naquela temperatura vão se incendiar, mas não continuarão necessariamente queimando. A diferença entre o ponto de fulgor e o ponto de combustão tem algum significado quando são realizados ensaios do ponto de fulgor de acordo com a NBR 11341. Contudo, é usado um ponto de fulgor de copo fechado para classificar o líquido e caracterizar seus riscos. Para mais informações, ver ASTM E 502.

A pressão de vapor é a medida da pressão que o líquido exerce contra a pressão atmosférica acima dele. Da mesma forma que a atmosfera exerce pressão contra a superfície do líquido, o líquido reage contra ela. A pressão de vapor é normalmente menor que a pressão atmosférica e é uma medida da tendência do líquido de evaporar para passar do estado líquido para o gasoso. Esta tendência também é chamada de volatilidade, portanto o termo “volátil” é usado para descrever os líquidos que evaporam com muita facilidade.

Quanto maior a pressão de vapor, maior é a taxa de evaporação e menor é o ponto de ebulição. Colocado de forma simples, isto significa mais vapor e um aumento do risco de incêndio. A pressão de vapor pode ser determinada pela NBR 14149 ou NBR 14156. Na disciplina de segurança todos os parâmetros da folha de dados de segurança devem se referir às substâncias puras identificadoras dos produtos perigosos. As misturas devem ser consideradas como substâncias puras para efeito dos dados de segurança.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Produtos de petróleo - Determinação do ponto de fulgor pelo vaso fechado Tag
NBR7974 de 08/2014

Produtos de petróleo - Determinação do ponto de fulgor pelo vaso fechado Tag

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L
NBR17505-4 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L

Produtos de petróleo - Destilação á pressão atmosférica
NBR9619 de 04/2009

Produtos de petróleo - Destilação á pressão atmosférica

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 2: Gerenciamento de risco
NBR5419-2 de 05/2015

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 2: Gerenciamento de risco

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 3: Danos físicos a estruturas e perigos à vida
NBR5419-3 de 05/2015

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 3: Danos físicos a estruturas e perigos à vida

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 4: Sistemas elétricos e eletrônicos internos na estrutura
NBR5419-4 de 05/2015

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 4: Sistemas elétricos e eletrônicos internos na estrutura

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações
NBR17505-3 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos
NBR17505-6 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários
NBR17505-7 de 03/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 1: Princípios gerais
NBR5419-1 de 05/2015

Proteção contra descargas atmosféricas - Parte 1: Princípios gerais

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L
NBR17505-2 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Fabricação de tanque aéreo rotomoldado com contenção secundária metálica
NBR16443 de 08/2017

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Fabricação de tanque aéreo rotomoldado com contenção secundária metálica

Produtos de petróleo — Determinação do ponto de fulgor pelo aparelho de vaso fechado Pensky-Martens
NBR14598 de 12/2012

Produtos de petróleo — Determinação do ponto de fulgor pelo aparelho de vaso fechado Pensky-Martens

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações
NBR17505-5 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais
NBR17505-1 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais

Sistemas de detecção e alarme de incêndio – Projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas de detecção e alarme de incêndio – Requisitos
NBR17240 de 10/2010

Sistemas de detecção e alarme de incêndio – Projeto, instalação, comissionamento e manutenção de sistemas de detecção e alarme de incêndio – Requisitos