Text page

NBR 14859, partes 1, 2 e 3, de 01/2016: os requisitos das lajes pré-fabricadas de concreto

Quais são os tipos de elementos pré-fabricados estruturais? Como deve ser feita a inspeção dos componentes da laje pré-fabricada? O que é uma lajota cerâmica (LC)? Qual a resistência característica dos elementos inertes de enchimento e fôrma? Quais são os requisitos gerais dos fios e barras de aço? Como deve ser executada a solda dos fios e barras de aço da armadura treliçada eletrossoldada? Essas perguntas estão sendo respondidas no texto sobre as lajes pré-fabricadas de concreto.

10/02/2016 - Equipe Target

Os requisitos das lajes pré-fabricadas de concreto

A NBR 14859-1 de 01/2016 - Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis – Requisitos especifica os requisitos para os elementos pré-fabricados estruturais quanto à fabricação, recebimento e utilização dos componentes empregados na construção de lajes, para qualquer tipo de edificação. Esta norma não se aplica à laje alveolar de concreto protendido.

Já NBR 14859-2 de 01/2016 - Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 2: Elementos inertes para enchimento e fôrma — Requisitos especifica os requisitos para recebimento e utilização dos elementos inertes a serem empregados na execução de lajes pré-fabricadas nervuradas, para qualquer tipo de edificação. A NBR 14859-3 de 01/2016 - Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 3: Armaduras treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas — Requisitos especifica os requisitos para fabricação, ensaio, fornecimento e recebimento de armaduras treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas de concreto.

Acesse algumas perguntas relacionadas com essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Quais são os tipos de elementos pré-fabricados estruturais?

Como deve ser feita a inspeção dos componentes da laje pré-fabricada?

O que é uma lajota cerâmica (LC)?

Qual a resistência característica dos elementos inertes de enchimento e fôrma?

Quais são os requisitos gerais dos fios e barras de aço?

Como deve ser executada a solda dos fios e barras de aço da armadura treliçada eletrossoldada?

A NBR 14859, sob o título geral “Lajes pré-fabricadas de concreto”, tem previsão de conter as seguintes partes: Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis – Requisitos; Parte 2: Elementos inertes para enchimento e forma para lajes pré-fabricadas – Requisitos; Parte 3: Armadura treliçada eletrossoldada para lajes pré-fabricadas – Requisitos; Parte 4: Tipos de lajes e informações complementares relacionadas ao projeto, dimensionamento e detalhamento executivo; e Parte 5: Avaliação do desempenho de vigotas e minipainéis sob carga de trabalho. Esta norma foi revisada tendo como premissa a clara diferenciação dos componentes e elementos constituintes do sistema construtivo laje pré-fabricada.

Em vista disso, as antigas NBR 14859:2002 e NBR 14860:2002 tornaram-se as Partes 1 e 2 desta norma, compreendendo, respectivamente, os elementos pré-fabricados estruturais (vigotas, minipainéis e painéis) e os elementos inertes para enchimento e fôrma (lajotas cerâmicas e de EPS). A Parte 3 desta norma trata de armaduras treliçadas eletrossoldadas, aplicadas nas lajes pré-fabricadas, oriunda da NBR 14862:2002.3.12.

Define-se uma laje pré-fabricada como um elemento estrutural plano, constituído por elementos pré-fabricados, estruturais e inertes de enchimento e/ou de forma permanente, armaduras e concreto complementar de obra, podendo ser maciço, nervurado unidirecional seção “T”, nervurada unidirecional seção duplo “T”, nervurada bidirecional também seção “T” e nervurada bidirecional seção duplo “T”, capaz de vencer vãos e suportar cargas conforme especificações de projeto.

Os elementos pré-fabricados estruturais devem atender, quanto à fabricação, recebimento e utilização dos componentes a serem empregados na construção de lajes, para qualquer tipo de edificação, as NBR 6118 e NBR 9062. Mediante acordo expresso entre comprador e fornecedor, qualquer fornecimento diferente das características anteriormente estabelecidas pode ser submetido aos respectivos ensaios previstos na NBR 15522.

É facultado ao comprador a dispensa dos ensaios indicados na NBR 15522, no caso de comprovado o controle da qualidade periodicamente auditado por empresa de terceira parte. Os componentes que não atenderem aos requisitos devem ser retirados do lote e substituídos.

Se, quando submetido ao disposto no item 6.3, os componentes e elementos pré-fabricados estruturais não atenderem às condições mínimas exigidas, as contraprovas dos respectivos lotes devem ser ensaiadas. No caso de não atendimento, o lote deve ser rejeitado.

Os elementos inertes de enchimento e fôrma fornecidos devem estar acompanhados por identificação dos lotes de fabricação e especificação emitida pelo fabricante, onde devem estar identificadas suas dimensões nesta ordem: altura, largura e comprimento, conforme designação das Tabelas 1 a 4. Os elementos inertes de enchimento e fôrma devem trazer obrigatoriamente, gravada ou impressa no elemento ou na embalagem, a identificação do fabricante conforme legislação vigente e dimensões nominais na ordem descrita anteriormente.

Os elementos inertes de enchimento e fôrma devem ser controlados por lote de fabricação, quanto às suas dimensões e resistência característica à carga mínima de ruptura mecânica. Em todas as obras, os elementos inertes de enchimento e fôrma da laje devem ser submetidos à inspeção geral pelo comprador ou seu representante, para verificação de suas características, conforme documentação fornecida pelo fabricante e análise visual das peças.

A inspeção visual e a verificação das características dimensionais devem ser feitas antes da retirada dos corpos de prova para a realização de ensaios mecânicos. O ensaio de resistência característica à carga mínima de ruptura mecânica, para materiais de ruptura frágil, deve ser executado conforme o Anexo A. O ensaio de resistência característica à carga mínima de ruptura mecânica, para materiais de ruptura dúctil, deve ser executado conforme o Anexo B.

Os fios e barras que constituem a armadura treliçada eletrossoldada devem ser isentos de defeitos prejudiciais, como esfoliação (escamas), corrosão, manchas de óleo, redução de seção e fissuras transversais. A oxidação nos fios e barras de aço que constituem a armadura treliçada eletrossoldada pode ser admitida quando for superficial, sem comprometer sua geometria, bitola ou integridade dos nós eletrossoldados, conforme NBR 7480.

Os nós eletrossoldados devem ser íntegros na sua totalidade. Não são permitidas deformações localizadas, causadas por choques mecânicos ou falhas no processo de fabricação.

As armaduras treliçadas eletrossoldadas podem ser fornecidas em peças, em amarrados ou ainda em feixes. Para comercialização das armaduras treliçadas eletrossoldadas, podem ser utilizadas as unidades quilograma e metro.

O fornecedor, quando solicitado, deve apresentar tabelas contendo no mínimo as seguintes informações: nome do fabricante do produto; categoria do aço; designação da armadura treliçada eletrossoldada; área das seções dos fios que compõem os banzos superior e inferior, em milímetros quadrados; diâmetro dos fios que compõem os banzos superior e inferior e as diagonais (sinusoides), em milímetros; altura e comprimento da treliça; espaçamento entre os nós; massa nominal por unidade de comprimento, em quilograma por metro.

As armaduras treliçadas eletrossoldadas devem ser designadas conforme a seguir: abreviatura de armadura treliçada eletrossoldada (TR); altura (em centímetros, sem casas decimais); diâmetro dos aços que as compõem (banzo superior, diagonais (sinusoides) e banzo inferior, respectivamente, em milímetros, sem casas decimais); categoria do aço utilizado: quando for aço CA 60, não há qualquer designação; quando for aço CA 50, acrescentar a letra “A” em seguida ao número indicativo da bitola correspondente.

Por exemplo, uma armadura treliçada eletrossoldada composta integralmente por aço CA 60, com 80 mm de altura, banzo superior com 6 mm, diagonal (sinusoide) com 3,4 mm e banzo inferior com 4,2 mm, é designada TR 8634. Uma armadura treliçada composta parcialmente por aço CA 50, com 200 mm de altura, banzo superior com 10 mm em aço CA 50, diagonal (sinusoide) com 6 mm e banzo inferior com 9,5 mm, é designada TR 2010A69.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Telha-fôrma de aço colaborante para laje mista de aço e concreto - Requisitos e ensaios
NBR16421 de 10/2015

Telha-fôrma de aço colaborante para laje mista de aço e concreto - Requisitos e ensaios

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis - Requisitos
NBR14859-1 de 01/2016

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis - Requisitos

Lajes alveolares pré-moldadas de concreto protendido - Requisitos e procedimentos
NBR14861 de 03/2022

Lajes alveolares pré-moldadas de concreto protendido - Requisitos e procedimentos

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 2: Elementos inertes para enchimento e fôrma — Requisitos
NBR14859-2 de 01/2016

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 2: Elementos inertes para enchimento e fôrma — Requisitos

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 3: Armadura treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas — Requisitos
NBR14859-3 de 12/2017

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 3: Armadura treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas — Requisitos

Laje pré-fabricada - Avaliação do desempenho de vigotas e pré-lajes sob carga de trabalho
NBR15522 de 09/2007

Laje pré-fabricada - Avaliação do desempenho de vigotas e pré-lajes sob carga de trabalho