Text page

NBR14842: a qualificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração

Essa norma estabelece os critérios e a sistemática para a qualificação e certificação de inspetores de soldagem para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear) e descreve as atribuições e responsabilidades para os níveis de qualificação estabelecidos.

03/06/2015 - Equipe Target

Os inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração

A NBR14842 de 05/2015 - Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear) estabelece os critérios e a sistemática para a qualificação e certificação de inspetores de soldagem para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear) e descreve as atribuições e responsabilidades para os níveis de qualificação estabelecidos. Os profissionais, para atuarem como inspetores de soldagem, são classificados em dois níveis crescentes de qualificação e certificação, designados pelos algarismos arábicos 1 e 2.

As atribuições e responsabilidades inerentes ao inspetor de soldagem nível 2 (N2) e inspetor de soldagem nível 1 (N1) são descritas e assinaladas com “X,” a seguir, na Tabela 1 (disponível na norma). Nesta norma, onde houver na Seção 4, o termo “verificar” significa também que devem ser geradas evidências que comprovem a realização das verificações requeridas.

Quando existirem critérios conflitantes para uma atividade de qualificação e certificação de inspetores de soldagem, em relação a outras normas brasileiras, deve prevalecer o exposto nesta norma. O candidato a inspetor de soldagem deve comprovar, mediante documentos, o atendimento aos requisitos mínimos de escolaridade e experiência profissional definidos na Figura 1 (disponível na norma), e devem ser respeitadas as exigências curriculares das legislações em vigor.

O curso de tecnólogo de soldagem e o curso de especialização em nível de pós-graduação lato sensu devem ter certificados de conclusão oferecidos por instituição de educação superior devidamente credenciada, que atenda às Resoluções do Conselho Nacional de Educação do Ministério da Educação e Cultura (MEC). A experiência profissional deve ser comprovada em atividades relativas à soldagem, conforme requisitos estabelecidos pelo OPC, em pelo menos uma das seguintes áreas: projeto, qualidade, fabricação, construção ou montagem de equipamentos e manutenção.

O candidato a exame de qualificação visando a certificação deve comprovar, formalmente, por meio de certificado, ter obtido o aproveitamento satisfatório em curso de treinamento reconhecido pelo OPC, com carga horária mínima de 162 h para inspetor de soldagem nível 1, 210 h para nível 2, e conteúdo programático requerido, conforme 5.13. Além disso, o candidato deve conhecer e aceitar formalmente as regras do termo de conduta e ética.

Os candidatos que possuem curso técnico em soldagem, tecnólogo de soldagem, pós-graduação lato sensu em soldagem, mestrado ou doutorado na área de soldagem estão isentos do treinamento, que atenda aos requisitos citados no item 5.2.1. O candidato a inspetor de soldagem nível 2, além de satisfazer os requisitos de conhecimentos citados em 5.2.1, deve demonstrar familiarização com as normas que escolher para sua qualificação, bem como apresentar condições de interpretá-las corretamente no que se refere aos itens relativos à soldagem.

Para efeito de qualificação, o candidato deve selecionar pelo menos uma norma principal, que deve ser acompanhada por suas normas complementares, da lista apresentada na Tabela 2 (disponível na norma). O candidato a inspetor de soldagem deve ter acuidade visual, natural ou corrigida, avaliada pela capacidade de ler as letras J-1 do padrão JAEGER para visão próxima a uma distância não menor que 30 cm. Recomenda-se a aplicação do exame a uma distância de 40 cm.

O candidato a inspetor de soldagem deve ter acuidade visual para visão longínqua, natural ou corrigida, igual ou superior a 20/40 da escala SNELLEN. Deve apresentar um laudo médico que informe sobre sua capacidade de efetuar distinção cromática, avaliado pelo padrão ISHIHARA ou pelo emprego de método equivalente. Este requisito não é eliminatório. Na interpretação de gráficos de tratamento térmico, a distinção cromática muitas vezes é necessária, sendo dispensável quando são usados números ou símbolos para identificar os termopares.

A acuidade visual do inspetor de soldagem deve ser avaliada quando da solicitação do exame de qualificação e na recertificação e esta avaliação deve ser enviada ao OPC em no máximo 90 dias após a data de realização do exame de acuidade visual. Os candidatos a inspetor de soldagem níveis 1 e 2 devem ser submetidos a uma prova de conhecimentos teóricos com base no programa de conhecimentos técnicos requeridos.

Os candidatos a inspetor de soldagem nível 1, além da prova teórica 1, devem se submeter às seguintes provas de conhecimentos práticos: consumíveis 1; documentos técnicos 1; visual/dimensional; acompanhamento de soldagem; tratamento térmico; e dureza. Os candidatos a inspetor de soldagem nível 2 já qualificados como nível 1, além da prova teórica 2, devem ser submetidos às seguintes provas de conhecimentos práticos: consumíveis 2; qualificações; macrografia; documentos técnicos 2; e norma/código.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Soldagem - Números e nomes de processos - Padronização
NBR13043 de 09/1993

Soldagem - Números e nomes de processos - Padronização

Qualificação de procedimentos de soldagem pelo processo com eletrodo revestido para oleodutos e gasodutos — Procedimentos
NBR10663 de 01/2016

Qualificação de procedimentos de soldagem pelo processo com eletrodo revestido para oleodutos e gasodutos — Procedimentos

Terminologia de soldagem elétrica
NBR5874 de 10/2011

Terminologia de soldagem elétrica

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)
NBR14842 de 05/2015

Soldagem - Critérios para a qualificação e certificação de inspetores para o setor de petróleo e gás, petroquímico, fertilizantes, naval e termogeração (exceto nuclear)

Qualificação em soldagem — Terminologia
NBR10474 de 11/2015

Qualificação em soldagem — Terminologia

Consumíveis em soldagem
NBR10516 de 08/2015

Consumíveis em soldagem

Proteção ocular pessoal — Filtros para soldagem e técnicas associadas — Requisitos de transmitância e recomendações de uso
NBR16247 de 11/2013

Proteção ocular pessoal — Filtros para soldagem e técnicas associadas — Requisitos de transmitância e recomendações de uso

Avaliação da conformidade — Requisitos gerais para organismos que certificam pessoas
NBRISO/IEC17024 de 11/2013

Avaliação da conformidade — Requisitos gerais para organismos que certificam pessoas

Ensaios não destrutivos — Terminologia - Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas
NBR16079-1 de 07/2012

Ensaios não destrutivos — Terminologia - Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas