Text page

Os impactos ambientais em instalações de armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis

Os impactos causados pelo armazenamento dos produtos inflamáveis e combustíveis estão relacionados com as suas características. Queimam com facilidade; podem produzir atmosferas explosivas em locais com deficiência de ventilação; um vazamento de um líquido inflamável pode gerar um incêndio que é muito mais difícil de ser combatido do que em materiais sólidos.

13/05/2015 - Equipe Target

Os riscos do armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis

Mauricio Ferraz de Paiva

O armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis em construção vertical merece um tratamento diferenciado, com uma proteção especial aos trabalhadores que nela trabalham, pois uma eventual explosão coloca em risco não apenas aqueles que se encontram dentro do recinto onde estão localizados os tanques de combustível, mas, também, os empregados de outros andares, dependendo do impacto do acidente na estrutura do prédio, que poderá não suportar e ruir. Normalmente, quando ocorrem incêndios nesses locais é gerado uma fumaça preta que pode afetar a qualidade do ar na região do incêndio.

Além disso, com relação à população que vive próxima a essas instalações, as pessoas, dependendo da periculosidade, podem precisar a ser deslocadas do local. Na verdade, a liberação de gases poluentes, resultado da queima de combustíveis como gasolina e etanol, pode causar efeitos imediatos no sistema respiratório. São substâncias que estão diariamente na atmosfera em função do próprio uso de veículos, por exemplo, mas que apresentam riscos maiores quando a exposição é em quantidades expressivas e por longos períodos.

No fundo, um acidente deste tipo tem consequências imprevisíveis, já que não se sabe quanto tempo a fumaça ficará no ar. Provavelmente, em longo prazo, haverá consequência principalmente para quem já tem alguma doença respiratória.

O contato com o dióxido de enxofre — substância resultante da queima de gasolina — pode causar, de imediato, tosse seca, irritação e ardência nos olhos, nariz e boca em quem está mais próximo ao foco do incêndio. Outro efeito seria a inflamação das vias aéreas e até mesmo falta de ar. Contudo, as consequências dependem diretamente da intensidade da exposição aos gases poluentes.

A NBR 17505-7 de 03/2015 - Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários estabelece os requisitos mínimos para os projetos de sistemas de combate a incêndios com água e com espuma, destinados a instalações de armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis, contidos em tanques estacionários com capacidade superior a 230 L, à pressão igual ou inferior a 103,9 kPa, medida no topo dos tanques. Aplica-se a todas as demais partes da NBR 17505, com exceção da NBR17505-4.

Para as restrições ao emprego desta parte, ver NBR 17505-1:2013, 1.2, as disposições desta parte não se aplicam às edificações, equipamentos, estruturas ou instalações já existentes ou aprovadas para a construção ou instalação antes da datada publicação desta parte. Contudo, as reformas que alterem as características do projeto e/ou equipamentos, e as ampliações de instalações, iniciadas a partir da data da publicação desta parte devem atender às suas disposições.

Nestes casos, devem ser evidenciadas as normas vigentes na época do fato, para as edificações, equipamentos, estruturas ou instalações já existentes ou aprovadas. Para proteções típicas contra incêndio em cais e terminais marítimos, ver NBR 17505-5:2013, Tabela A.3.

Não é requerido um “sistema fixo de água e espuma” para instalações cujo somatório dos volumes dos tanques envolvidos no cálculo do maior risco predominante (ver Seção 5 e NBR 17505-1:2013, 3.69) seja igual ou inferior a 60 m³ de produtos armazenados, quando armazenando líquidos de classe I, ou para instalações cujo somatório dos volumes dos tanques envolvidos no cálculo do maior risco predominante seja igual ou inferior a 120 m³ de produtos armazenados, quando armazenando líquidos de classe II. Entretanto, na adoção de tanques que possuam diâmetro superior a 9 m ou altura superior a 6 m (incluindo a altura da base), é requerida a adoção de um “sistema fixo com câmara de espuma”, para as classes I e II, independentemente do volume da instalação.

Para o projeto dos sistemas de proteção contra incêndio por água e espuma, devem ser considerados dois conceitos fundamentais: dimensionamento pelo maior risco predominante quanto à demanda de água e à condição de maior demanda de espuma; não simultaneidade de eventos, isto é, o dimensionamento deve ser feito com base na ocorrência de apenas um evento.

A água utilizada no sistema de combate a incêndio pode ser doce ou salgada, sem tratamento, desde que isenta de óleo ou outras substâncias incompatíveis com a produção de espuma. Preferencialmente, a rede de hidrantes deve ficar pressurizada com água doce, a fim de evitar a rápida formação de incrustações e corrosão.

Quando não houver alternativa e a rede necessitar ficar permanentemente com água salgada, toda a tubulação deve ser especificada para esta condição. Quando a água contiver considerável quantidade de material sólido em suspensão que possa obstruir os aspersores ou outros equipamentos, devem ser previstos dispositivos para retenção de impurezas e limpeza das linhas, sem interrupção do sistema de combate a incêndio.

O suprimento de água deve ser baseado em uma fonte inesgotável (mar, rio, etc.), a qual deve ser capaz de atender à demanda de 100 % da vazão de projeto, em qualquer época do ano ou condição climática. Na inviabilidade desta solução, deve ser previsto um reservatório com capacidade para atender à demanda de 100 % da vazão de projeto, durante o período de tempo descrito na Tabela A.2. Para o cálculo do volume do reservatório de água, deve ser considerada a capacidade útil de armazenagem de produto(s) do maior risco predominante.

Mauricio Ferraz de Paiva é engenheiro eletricista, especialista em desenvolvimento em sistemas, presidente do Instituto Tecnológico de Estudos para a Normalização e Avaliação de Conformidade (Itenac) e presidente da Target Engenharia e Consultoria - mauricio.paiva@target.com.br

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários
NBR17505-7 de 03/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 7: Proteção contra incêndio para parques de armazenamento com tanques estacionários

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Procedimento de controle de estoque dos sistemas de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)
NBR13787 de 11/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Procedimento de controle de estoque dos sistemas de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Critérios e procedimentos para serviços de manutenção de unidade abastecedora
NBR15428 de 05/2014

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Critérios e procedimentos para serviços de manutenção de unidade abastecedora

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Manuseio e instalação de tanque subterrâneo
NBR13781 de 06/2019

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Manuseio e instalação de tanque subterrâneo

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L
NBR17505-2 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 2: Armazenamento em tanques, em vasos e em recipientes portáteis com capacidade superior a 3 000 L

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Seleção de equipamentos e infra-estrutura para sistemas de armazenamento aéreo de combustíveis - SAAC
NBR15776-1 de 07/2021

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Seleção de equipamentos e infra-estrutura para sistemas de armazenamento aéreo de combustíveis - SAAC

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 3: Emissões no carregamento de veículos - Tanques terrestres
NBR15724-3 de 06/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 3: Emissões no carregamento de veículos - Tanques terrestres

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L
NBR17505-4 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 4: Armazenamento em recipientes e em tanques portáteis até 3 000 L

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Seleção dos componentes do combustível (SASC) e sistema de armazenamento subterrâneo de óleo lubrificante usado e contaminado (OLUC)
NBR13786 de 12/2019

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Seleção dos componentes do combustível (SASC) e sistema de armazenamento subterrâneo de óleo lubrificante usado e contaminado (OLUC)

Dispositivo para descarga selada em postos de combustíveis e em pontos de abastecimento - Requisitos de fabricação e ensaio
NBR15138 de 05/2022

Dispositivo para descarga selada em postos de combustíveis e em pontos de abastecimento - Requisitos de fabricação e ensaio

Tanque aéreo atmosférico de aço - Requisitos de fabricação e métodos de ensaios
NBR15461 de 12/2021

Tanque aéreo atmosférico de aço - Requisitos de fabricação e métodos de ensaios

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais
NBR17505-1 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 1: Disposições gerais

Câmaras de contenção e dispositivos associados para sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis — Requisitos e métodos de ensaio
NBR15118 de 10/2020

Câmaras de contenção e dispositivos associados para sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis — Requisitos e métodos de ensaio

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Instalação dos componentes do sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)
NBR13783 de 06/2019

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Instalação dos componentes do sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)

Posto revendedor de combustível automotivo (PRC) - Parte 1: Operação e procedimentos de inspeção e manutenção
NBR15594-1 de 04/2021

Posto revendedor de combustível automotivo (PRC) - Parte 1: Operação e procedimentos de inspeção e manutenção

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 1: Terminologia
NBR15724-1 de 06/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 1: Terminologia

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 4: Emissões fugitivas
NBR15724-4 de 06/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 4: Emissões fugitivas

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Desativação, remoção, destinação e preparação de tanques subterrâneos e dos outros componentes do sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)
NBR14973 de 02/2021

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Desativação, remoção, destinação e preparação de tanques subterrâneos e dos outros componentes do sistema de armazenamento subterrâneo de combustíveis (SASC)

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 2: Emissões em tanques de armazenamento
NBR15724-2 de 06/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 2: Emissões em tanques de armazenamento

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 5: Características dos líquidos combustíveis relativas às emissões
NBR15724-5 de 06/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Bases e terminais de distribuição de combustíveis - Métodos de avaliação quantitativa de emissões de compostos orgânicos voláteis no armazenamento e movimentação de produtos - Parte 5: Características dos líquidos combustíveis relativas às emissões

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos
NBR17505-6 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Requisitos para instalações e equipamentos elétricos

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Operação e manutenção — Lavagem automotiva
NBR15594-6 de 03/2021

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 6: Operação e manutenção — Lavagem automotiva

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Tubulação não metálica subterrânea — Polietileno
NBR14722 de 07/2020

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Tubulação não metálica subterrânea — Polietileno

Tanque metálico jaquetado subterrâneo - Requisitos de fabricação e de modulação
NBR16161 de 08/2020

Tanque metálico jaquetado subterrâneo - Requisitos de fabricação e de modulação

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Posto revendedor de combustível veicular (serviços) - Parte 3: Procedimento de manutenção
NBR15594-3 de 04/2021

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Posto revendedor de combustível veicular (serviços) - Parte 3: Procedimento de manutenção

Válvula de boia flutuante para armazenamento de combustíveis
NBR15015 de 06/2020

Válvula de boia flutuante para armazenamento de combustíveis

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações
NBR17505-5 de 07/2015

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 5: Operações

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações
NBR17505-3 de 02/2013

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis - Parte 3: Sistemas de tubulações

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Bases e terminais de distribuição de combustíveis — Medição de concentração de compostos orgânicos voláteis nas emissões oriundas do carregamento de líquidos combustíveis
NBR15738 de 07/2009

Armazenamento de líquidos inflamáveis e combustíveis — Bases e terminais de distribuição de combustíveis — Medição de concentração de compostos orgânicos voláteis nas emissões oriundas do carregamento de líquidos combustíveis