Text page

O dimensionamento de isoladores de porcelana e de vidro para sistemas de corrente alternada (ca)

A ABNT IEC/TS 60815-2 é uma especificação técnica aplicável à seleção de isoladores de porcelana e vidro para sistemas de corrente alternada e na determinação de suas dimensões principais para ser usada em sistemas de alta-tensão sob condições de poluição.

24/12/2014 - Equipe Target

Os isoladores de porcelana e de vidro

A ABNT IEC/TS 60815-2 de 12/2014 - Seleção e dimensionamento de isoladores para alta-tensão para uso sob condições de poluição - Parte 2: Isoladores de porcelana e de vidro para sistemas de corrente alternada é uma especificação técnica aplicável à seleção de isoladores de porcelana e vidro para sistemas de corrente alternada e na determinação de suas dimensões principais para ser usada em sistemas de alta-tensão sob condições de poluição. Esta Parte 2 fornece um guia especifico para obter uma conclusão sobre o provável comportamento de um determinado isolador em certas condições de poluição.

As bases para a estrutura e aproximações desta parte são totalmente explanadas na ABNT IEC/TS 60815-1. O objetivo desta especificação técnica é fornecer meios para: determinação da distancia de escoamento especifica unificada de referencia (DEEUR) a partir da classe da severidade da poluição local (SPL); avaliação da adequabilidade de diferentes tipos de perfis de isoladores; determinação da distancia de escoamento especifica unificada (DEEU) necessária, pela aplicação de correções para a forma, tamanho, posição etc. do isolador para uma DEEUR; determinação dos métodos de ensaio e parâmetros apropriados para verificar o desempenho dos isoladores selecionados, se necessário.

A ABNT IEC/TS 60815, sob o título geral Seleção e dimensionamento de isoladores para alta-tensão para uso sob condições de poluição, tem a previsão de conter as seguintes partes: Parte 1: Definições, informações e princípios gerais; Parte 2: Isoladores de porcelana e de vidro para sistemas de corrente alternada; e Parte 3: Isoladores poliméricos para sistemas de corrente alternada.

Todo o processo de seleção e dimensionamento do isolador pode ser resumido como a seguir. Primeiramente, utilizando a ABNT IEC/TS 60815-1: determinar a abordagem apropriada: 1, 2 ou 3, em função do conhecimento, tempo e recursos disponíveis; coletar os dados de entrada necessários, especialmente tensão do sistema, tipo de isolador da aplicação (linha, pilar, bucha etc.); e coletar os dados ambientais necessários, especialmente severidade da poluição local e classe da severidade da poluição local.

Neste estágio, uma seleção preliminar de um possível isolador candidato, adequado à aplicação e ao meio ambiente, pode ser feita. Em seguida, utilizando esta especificação técnica: refinar a escolha para um possível isolador candidato de porcelana ou vidro adequado ao meio ambiente; determinar a referência da DEEU para os tipos de isoladores e materiais, utilizando as indicações dadas nesta especificação técnica ou pela experiência das condições de serviço e estações de ensaio no caso da abordagem 1 (ver Seção 7); escolher os perfis adequados para o tipo de meio ambiente (ver Seção 8); verificar se o perfil escolhido satisfaz certos parâmetros, com correção ou ação conforme o grau de desvio (ver Seção 9); modificar, se necessário (abordagens 2 e 3), a DEEUR de acordo com fatores que dependem do tamanho, perfil, orientação etc., do isolador candidato (ver Seções 10 e 11); verificar se o isolador candidato resultante satisfaz as outras características do sistema e da linha como aquelas dadas na Tabela 2 da ABNT IEC/TS 60815-1 (por exemplo: geometria imposta, dimensões, economia); verificar o dimensionamento, se necessário no caso da abordagem 2, por meio de ensaios de laboratório (ver Seção 12).

Esta especificação técnica é aplicável a isoladores de porcelana e de vidro. A orientação dada aqui pressupõe que os isoladores são de fabricação padrão, sem qualquer modificação ou tratamento superficial.

Existem tecnologias que pretendem melhorar o desempenho de isoladores sob condições de poluição, por exemplo, esmaltes semicondutores e coberturas hidrofóbicas; porém, até o presente momento, não foi possível apresentar uma informação precisa sobre o grau de melhoria e a durabilidade apresentada por estas tecnologias. Com relação ao desempenho em campo de isoladores de porcelana e de vidro, não há diferenças consistentes entre estes dois materiais, tanto que a escolha entre vidro e porcelana depende puramente de fatores que estão fora do escopo desta especificação técnica (por exemplo: envelhecimento, experiência operacional, procedimentos de manutenção etc.).

Para efeitos de padronização, cinco classes de poluição caracterizam qualitativamente a severidade da poluição local definidas na ABNT IEC/TS 60815-1, de muito leve a muito pesada, como a seguir: a – Muito leve; b – Leve; c – Média; d – Pesada; e – Muito pesada. Estas letras não correspondem diretamente aos números das classes apresentadas anteriormente na ABNT IEC/TR 60815-1:2005. A SPL para o local é determinada de acordo com a ABNT IEC/TS 60815-1 e é utilizada para determinar a referência DEEU para isoladores de porcelana e de vidro.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Isoladores para linhas aéreas — Isoladores compostos tipo suspensão e tipo ancoragem, para sistemas em corrente alternada com tensões nominais acima de 1 000 V — Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação
NBR15122 de 05/2013

Isoladores para linhas aéreas — Isoladores compostos tipo suspensão e tipo ancoragem, para sistemas em corrente alternada com tensões nominais acima de 1 000 V — Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação

Isolador-suporte pedestal de porcelana - Unidades e colunas - Padronização de dimensões e características
NBR6882 de 10/1998

Isolador-suporte pedestal de porcelana - Unidades e colunas - Padronização de dimensões e características

Isolador polimérico não composto tipo pino para redes aéreas de distribuição de energia elétrica para tensões acima de 1 000 V - Parte 2: Dimensões e características
NBR16327-2 de 02/2022

Isolador polimérico não composto tipo pino para redes aéreas de distribuição de energia elétrica para tensões acima de 1 000 V - Parte 2: Dimensões e características

Isolador composto tipo pilar para linhas aéreas de corrente alternada, com tensões acima de 1 000 V — Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação
NBR15232 de 05/2013

Isolador composto tipo pilar para linhas aéreas de corrente alternada, com tensões acima de 1 000 V — Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação

Isoladores compostos tipo suporte para subestações com tensões nominais acima de 1 000 V até 245 kV - Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação
NBR15644 de 07/2020

Isoladores compostos tipo suporte para subestações com tensões nominais acima de 1 000 V até 245 kV - Definições, métodos de ensaio e critério de aceitação

Isolador de disco de porcelana ou vidro - Dimensões e características
NBR7109 de 02/2009

Isolador de disco de porcelana ou vidro - Dimensões e características

Isolador-suporte cilíndro de vidro ou porcelana - Unidades e colunas - Padronização de dimensões e características
NBR14221 de 10/1998

Isolador-suporte cilíndro de vidro ou porcelana - Unidades e colunas - Padronização de dimensões e características

Isoladores poliméricos para uso interno e externo, com tensão nominal superior a 1 000 V - Ensaios de projeto
NBR15643 de 10/2018

Isoladores poliméricos para uso interno e externo, com tensão nominal superior a 1 000 V - Ensaios de projeto

Isolador tipo pino de porcelana ou de vidro - Dimensões e características
NBR7110 de 06/2022

Isolador tipo pino de porcelana ou de vidro - Dimensões e características

Técnicas de ensaios elétricos de alta-tensão
NBR6936 de 01/2013

Técnicas de ensaios elétricos de alta-tensão

Coordenação do isolamento - Procedimento
NBR6939 de 10/2018

Coordenação do isolamento - Procedimento

Isolador tipo castanha — Dimensões, características e procedimentos de ensaio
NBR6248 de 10/2014

Isolador tipo castanha — Dimensões, características e procedimentos de ensaio

Isoladores ocos com ou sem pressão interna, de cerâmica, para uso em equipamentos elétricos com tensão nominal acima de 1 000 V
NBR15829 de 10/2017

Isoladores ocos com ou sem pressão interna, de cerâmica, para uso em equipamentos elétricos com tensão nominal acima de 1 000 V

Isoladores utilizados em sistemas de alta-tensão em corrente alternada - Ensaios de poluição artificial
NBR10621 de 09/2017

Isoladores utilizados em sistemas de alta-tensão em corrente alternada - Ensaios de poluição artificial

Isoladores poliméricos para alta-tensão, para uso externo e interno - Ensaio de trilhamento e erosão, pelo método da roda de trilhamento e pelo ensaio de 5 000 h
NBR16326 de 12/2014

Isoladores poliméricos para alta-tensão, para uso externo e interno - Ensaio de trilhamento e erosão, pelo método da roda de trilhamento e pelo ensaio de 5 000 h

Isolador de porcelana ou vidro para tensões acima de 1 000 V - Ensaio de perfuração sob impulso
NBR15124 de 07/2004

Isolador de porcelana ou vidro para tensões acima de 1 000 V - Ensaio de perfuração sob impulso

Isolador de porcelana ou vidro para tensões acima de 1 000 V em corrente contínua — Especificação, método de ensaio e critério de aceitação
NBR16081 de 08/2012

Isolador de porcelana ou vidro para tensões acima de 1 000 V em corrente contínua — Especificação, método de ensaio e critério de aceitação

Isolador polimérico não composto tipo pino para redes aéreas de distribuição de energia elétrica para tensões acima de 1 000 V - Parte 1: Definição, métodos de ensaio e critérios de aceitação
NBR16327-1 de 02/2022

Isolador polimérico não composto tipo pino para redes aéreas de distribuição de energia elétrica para tensões acima de 1 000 V - Parte 1: Definição, métodos de ensaio e critérios de aceitação

Isoladores para linhas aéreas com tensões nominais acima de 1 000 V - Cadeias e arranjos de isoladores para sistemas de corrente alternada
NBR15123 de 03/2016

Isoladores para linhas aéreas com tensões nominais acima de 1 000 V - Cadeias e arranjos de isoladores para sistemas de corrente alternada

Ensaio em isolador suporte de porcelana ou vidro, uso interno ou externo, para tensões acima de 1000 V
NBR11790 de 02/2009

Ensaio em isolador suporte de porcelana ou vidro, uso interno ou externo, para tensões acima de 1000 V

Isoladores para linhas aéreas para tensões acima de 1 000 V — Ensaio de arco de potência em cadeias de isoladores e em arranjos reduzidos
NBR16063 de 05/2012

Isoladores para linhas aéreas para tensões acima de 1 000 V — Ensaio de arco de potência em cadeias de isoladores e em arranjos reduzidos

Isoladores para linhas aéreas com tensões acima de 1 000 V — Isoladores de porcelana ou vidro para sistemas de corrente alternada
NBR5032 de 10/2014

Isoladores para linhas aéreas com tensões acima de 1 000 V — Isoladores de porcelana ou vidro para sistemas de corrente alternada

Isolador tipo pilar de porcelana — Dimensões e características
NBR12459 de 08/2020

Isolador tipo pilar de porcelana — Dimensões e características

Diretrizes para produção, ensaio e diagnóstico de isoladores compostos com respeito à fratura frágil do material do núcleo
NBR16323 de 11/2014

Diretrizes para produção, ensaio e diagnóstico de isoladores compostos com respeito à fratura frágil do material do núcleo