Text page

Usando a tecnologia LED a iluminação pública pode ser mais eficaz e eficiente

Um dos importantes argumentos para a utilização do LED na iluminação pública está no fato de esta tecnologia estar em pleno desenvolvimento, apresentando um crescimento contínuo de eficiência ao longo dos anos, permitindo propor que no atual estágio tecnológico já seja possível sua implementação em larga escala.

23/07/2014 - Equipe Target

Luminárias públicas a LED trazem melhorias técnicas e maior eficiência energética

Mauricio Ferraz de Paiva

O LED (do inglês Light Emission Diode, diodo emissor de luz) é um dispositivo eletrônico semicondutor que, quando polarizado diretamente, dentro do semicondutor, ocorre a recombinação de lacunas e elétrons. Essa recombinação exige que a energia armazenada por esses elétrons sejam liberadas na forma de calor ou luz devido à passagem da corrente elétrica na junção anodo para o catodo.

A estrutura básica de um LED é uma pastilha semicondutora sob uma superfície refletora em forma de concha, envolvida por uma resina que direciona o feixe luminoso. Existem várias normas que estabelecem os requisitos das Lâmpadas LED. Por isso a tecnologia está em franca expansão, ficando melhor e mais barata.

Na cidade de São Paulo, já há locais onde foi instalado esse tipo de iluminação. Os primeiros locais escolhidos são os que costumam ter circulação de pessoas à noite, para que a tecnologia seja testada pela população. Atualmente, São Paulo possui 510 mil pontos de iluminação pública, com 560 mil lâmpadas.

A intenção é trocar as 260 mil lâmpadas de vapor de mercúrio ainda existentes por lâmpadas de vapor metálico, de vapor de sódio e por LED. Uma das vantagens é que a necessidade de manutenção é bem menor. E, apesar de os sistemas com LED responderem hoje por apenas 10% do mercado de iluminação no Brasil, a tendência é de grande crescimento.

Testes realizados revelaram que as luminárias públicas a LED trazem melhorias técnicas e maior eficiência energética para a área da iluminação pública, onde outros tipos de lâmpadas reinam sozinhos como as de melhor custo benefício. Para utilizá-las, visando ao retorno financeiro do investimento, são necessários mais estudos de custo benefício, incluindo como fator de viabilidade a redução no custo da manutenção.

Para alguns fabricantes de luminárias a LED, dos 15 milhões de pontos de iluminação pública instalados no Brasil, mais de 60% (9,5 milhões) precisam ser renovados, segundo dados da Eletrobrás. Em outros três milhões de pontos, a instalação precisa ser refeita. Especialistas concordam que os desafios do setor não são pequenos, mas podem ser vistos como uma grande oportunidade de adotar tecnologias mais avançadas e eficientes, contribuindo para o crescimento sustentável das cidades brasileiras.

Assim, eles defendem que a iluminação LED em postes, luminárias e semáforos pode proporcionar uma economia de até 80% no consumo de energia em relação a soluções tradicionais, como as lâmpadas incandescentes. Já a longa vida útil, acima de 11 anos (50 mil horas, considerando 12 horas de uso diário), reduz a frequência e os custos de troca e manutenção, o que ajuda a diminuir os gastos públicos. A menor recorrência de trocas de postes e semáforos também gera menos interrupções no fluxo do trânsito.

Os benefícios alcançados, no entanto, vão além da economia de energia, pois melhoram a qualidade de iluminação, reduzem a emissão de CO2 para a atmosfera, não possuem produtos tóxicos na sua composição e não impactam a vida noturna dos insetos. Os LED não contêm mercúrio nem materiais a base de chumbo e cádmio, que podem contaminar o meio ambiente. Além disso, podem ser reciclados. Esse tipo de iluminação consome até 80% menos energia e dura 25 vezes mais que as lâmpadas incandescentes e cinco vezes mais que as fluorescentes compactas. Em aplicações residenciais, podem durar até 25 anos.

Na verdade, os sistemas de iluminação pública no Brasil têm recebido investimentos para ampliar o acesso da população a este serviço e elevar a sua qualidade, com níveis adequados de iluminação e viabilizando mais conforto e segurança aos usuários dos logradouros públicos.

Como uma das tecnologias que permitem aliar conforto, segurança e redução de consumo de energia quando aplicada à iluminação pública, o LED tem sido considerado como uma das possibilidades mais promissoras atualmente. Nesse sentido, diversas instalações têm sido implantadas visando mostrar os benefícios que esta tecnologia pode proporcionar. O que se percebe, no entanto, é que não têm sido desenvolvidos estudos mais aprofundados quanto aos resultados efetivos da aplicação da tecnologia LED nessas instalações.

Igualmente, os cidadãos receberão benefícios diretos da nova tecnologia, pois a uniformidade da luz e a melhor identificação das cores contribuem para aumentar a visibilidade e a sensação de segurança, tanto para o trânsito de carros como para as pessoas. Nas vias de tráfego de veículos, a iluminação LED facilita a identificação de obstáculos e da presença de pedestres, além de ampliar a visão do entorno e o tempo de reação do motorista para paradas seguras. Somam-se a tudo isso as características positivas como conforto visual, valorização do local, redução nos gastos com manutenção, recuperação de áreas degradadas, atração de novas oportunidades para o comércio, garantia de maior segurança para a sociedade e diminuição do impacto ao meio ambiente.

Existem alguns benefícios com a implantação desse novo tipo de iluminação. Eles estão relacionados com os aspectos econômicos, com a redução de consumo de energia e consequente dispêndio financeiro; redução de custos de operação, manutenção e descarte; possibilidade de fácil monitoramento e gestão do sistema. Também se relacionam com os aspectos qualitativos, com uma melhor qualidade de luz (temperatura de cor e índice de reprodução de cor), elementos esteticamente mais agradáveis e adequados ao mobiliário urbano.

Mauricio Ferraz de Paiva é engenheiro eletricista, especialista em desenvolvimento em sistemas, presidente do Instituto Tecnológico de Estudos para a Normalização e Avaliação de Conformidade (Itenac) e presidente da Target Engenharia e Consultoria - mauricio.paiva@target.com.br

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Lâmpadas LED sem dispositivo de controle incorporado de base única - Parte 2: Requisitos de desempenho
NBR16205-2 de 08/2013

Lâmpadas LED sem dispositivo de controle incorporado de base única - Parte 2: Requisitos de desempenho

Lâmpada fluorescente com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de segurança
NBR14538 de 06/2000

Lâmpada fluorescente com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de segurança

Sinalização semafórica viária — Módulo semafórico com base em diodos emissores de luz (LED) — Requisitos e métodos de ensaio
NBR15889 de 06/2019

Sinalização semafórica viária — Módulo semafórico com base em diodos emissores de luz (LED) — Requisitos e métodos de ensaio

Lâmpadas LED com dispositivo de controle incorporado para serviços de iluminação geral - Requisitos de desempenho
ABNT IEC/PAS62612 de 06/2022

Lâmpadas LED com dispositivo de controle incorporado para serviços de iluminação geral - Requisitos de desempenho

Luminárias para iluminação pública — Requisitos particulares
NBR15129 de 07/2012

Luminárias para iluminação pública — Requisitos particulares

Termos e definições para LEDs e os módulos de LED de iluminação geral
ABNT IEC/TS62504 de 09/2021

Termos e definições para LEDs e os módulos de LED de iluminação geral

Lâmpada a vapor de mercúrio de alta pressão destinada à iluminação - Ensaios
NBR5167 de 04/1997

Lâmpada a vapor de mercúrio de alta pressão destinada à iluminação - Ensaios

Lâmpadas fluorescentes tubulares para iluminação geral
NBRIEC60081 de 07/1997

Lâmpadas fluorescentes tubulares para iluminação geral

Lâmpadas fluorescentes com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de segurança
NBRIEC60968 de 03/2014

Lâmpadas fluorescentes com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de segurança

Dispositivo de controle eletrônico c.c. ou c.a. para módulos de LED — Requisitos de desempenho
NBR16026 de 01/2012

Dispositivo de controle eletrônico c.c. ou c.a. para módulos de LED — Requisitos de desempenho

Iluminação pública — Procedimento
NBR5101 de 10/2018

Iluminação pública — Procedimento

Lâmpada fluorescente com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de desempenho
NBR14539 de 06/2000

Lâmpada fluorescente com reator integrado à base para iluminação geral - Requisitos de desempenho