Text page

No envidraçamento de sacadas, quando permitido, é obrigatório o cumprimento da norma técnica

Na sua definição, um sistema de envidraçamento de sacadas é composto por painéis deslizantes, pivotantes e/ou fixos de vidro de segurança, que tem como objetivo possibilitar a proteção parcial contra intempéries de uma sacada ou varanda.

10/04/2014 - Equipe Target

Envidraçamento de sacada

Mauricio Ferraz de Paiva

No caso do envidraçamento de sacadas em prédios novos, o sistema já faz parte do projeto e as construtoras trabalham de acordo com a norma. Em prédios antigos, deve-se haver a aprovação em assembleia, já que tal intervenção, dependendo de como for feita, pode ser caracterizada como alteração de fachada. Também, deve-se aproveitar a votação para definir uma padronização da estrutura que será aplicada, como caixilhos, vidros, modelo, etc., evitando-se assim, que cada um faça do seu jeito.

Importante é que os sistemas de envidraçamento de sacadas têm uma norma NBR que estabelece os requisitos e métodos de ensaio que asseguram o desempenho dos vidros em sacadas de edifício de uso público ou privado. Isso permite ao consumidor ter em mãos os parâmetros de qualidade e segurança para selecionar seu fornecedor de acordo com os quesitos aprovados. Entre os procedimentos fundamentais da norma estão a fixação, ancoragem e resistência do sistema de envidraçamento de sacadas. Outra questão importante é que o cliente deve exigir que toda empresa que fornece o sistema de envidraçamento apresente um certificado aprovando o equipamento de acordo com a norma.

A NBR 16259:2014 – Sistemas de envidraçamento de sacadas — Requisitos e métodos de ensaio estabelece os requisitos e os métodos de ensaio que asseguram o desempenho dos sistemas de envidraçamento de sacadas, em edificações de uso público ou privado. Um sistema de envidraçamento de sacadas é composto por painéis deslizantes, pivotantes e/ou fixos de vidro de segurança, que tem como objetivo possibilitar a proteção parcial contra intempéries de uma sacada ou varanda. Este sistema não exerce as funções de guarda-corpo ou de estanqueidade, sendo um sistema auxiliar do fechamento do vão.

Se o sistema utilizar painéis de vidro, estes devem ser: vidro de segurança laminado, conforme NBR 14697; vidro de segurança temperado, conforme NBR 14698. O tipo de vidro utilizado deve atender aos valores de pressão de vento e os critérios estabelecidos para cada região do país onde o sistema será instalado, conforme estabelecido no item 5.6 e avaliado visualmente, por meio da sua ruptura. A espessura deve ser calculada de acordo com o estabelecido pela NBR 7199.

A fixação do vidro ao perfil pode ser mecânica, normalmente por meio de parafusos, ou química, por meio de adesivos. Para a fixação química, é necessário atender a alguns requisitos. A limpeza do perfil e do vidro de qualquer substância desengraxante e sujeira, sendo que a limpeza do vidro deve ser feita com álcool isopropílico 90 % ou um ativador de superfície indicado pelo fabricante do adesivo.

O adesivo não pode ser aplicado no perfil sem acabamento. O acabamento não pode ter falhas, pois isto pode comprometer o desempenho do adesivo. Igualmente, no caso de adesivos à base de poliuretano, o adesivo não pode ser exposto aos raios ultravioleta e, em caso de uma parte do adesivo ficar exposto, este deve ser selado.

A área de aplicação do adesivo deve ser de acordo com o peso do vidro e tamanho do perfil, devendo-se obedecer à orientação do fabricante com relação às cargas suportadas por quantidade aplicada do adesivo, de acordo com NBR 15737. Por fim, deve-se obedecer ao tempo de cura do adesivo estipulado pelo fabricante antes da instalação do sistema e, quando utilizados selantes à base de silicone, estes devem ser de cura neutra e utilizados para colagem estrutural.

Em todos os casos, seja qual for à base do adesivo, deve-se seguir as orientações do fabricante do adesivo em relação aos cuidados antes da aplicação, quantidade do adesivo e tempo de cura. Deve-se estabelecer o peso total do conjunto de cargas, quando o sistema estiver totalmente aberto e a carga concentrada em pontos determinados, podendo ser em um ou vários pontos. Neste caso, deve-se considerar as cargas eventuais que a sacada envidraçada pode suportar.

Deve-se consultar, na elaboração do projeto, o engenheiro calculista do edifício onde o sistema deve ser instalado ou a construtora do prédio, sendo o mesmo envolvido na elaboração e aprovação do projeto. Caso não haja possibilidade de acesso às informações dos cálculos estruturais, o responsável pelo projeto deve seguir os parâmetros exigidos na NBR 6120 e/ou executar prova de carga, descrita na NBR 9607, para definição da resistência do elemento estrutural.

Deve-se levar em consideração que o ponto crítico de carga é a área de recolhimento dos painéis quando o sistema encontra-se aberto. O sistema de envidraçamento de sacadas, quando ensaiado conforme descrito no Anexo A e submetido à pressão de vento de acordo com a Tabela 1 (disponível na norma), para a região em que ele é utilizado, não pode: apresentar ruptura, colapso total ou parcial de qualquer de seus componentes, incluindo o vidro; ter o seu desempenho, quanto às condições de abertura e fechamento, deteriorado; e apresentar destacamento parcial ou total de componentes e dos elementos de fixação.

Na norma, citam-se os seguintes indicativos do prédio e sua localização: PR – Curitiba: região IV, de acordo com o gráfico, e pressão de segurança: 2.210 Pa, de acordo com a tabela, para um edifício de 27 andares. Neste caso, qualquer sistema de envidraçamento de sacadas, incluindo todos os seus componentes, como vidro, perfis e acessórios, para atender aos requisitos exigidos pela norma, devem suportar a pressão de ensaio positiva e negativa de 1.480 Pa e a pressão de segurança de 2.210 Pa, tanto positiva quanto negativa. Para verificar se o sistema suporta as pressões de vento exigidas pela norma, deve-se submetê-lo ao ensaio de determinação da resistência às cargas uniformemente distribuídas, previsto no Anexo A. Neste exemplo, o sistema deve suportar as pressões mínimas e atender a todos os requisitos estabelecidos no item 5.6 (resistência às cargas uniformemente distribuídas).

Mauricio Ferraz de Paiva é engenheiro eletricista, especialista em desenvolvimento em sistemas, presidente do Instituto Tecnológico de Estudos para a Normalização e Avaliação de Conformidade (Itenac) e presidente da Target Engenharia e Consultoria - mauricio.paiva@target.com.br

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Elementos construtivos envidraçados resistentes ao fogo para compartimentação
NBR14925 de 03/2019

Elementos construtivos envidraçados resistentes ao fogo para compartimentação

Redes de proteção para edificações - Parte 1: Fabricação da rede de proteção
NBR16046-1 de 04/2012

Redes de proteção para edificações - Parte 1: Fabricação da rede de proteção

Redes de proteção para edificações - Parte 2: Corda para instalação da rede de proteção
NBR16046-2 de 04/2012

Redes de proteção para edificações - Parte 2: Corda para instalação da rede de proteção

Redes de Proteção para Edificações - Parte 3: Instalação
NBR16046-3 de 04/2012

Redes de Proteção para Edificações - Parte 3: Instalação