Text page

NBR 14565: cabeamento estruturado para edifícios comerciais e data centers

Essa norma especifica um sistema de cabeamento estruturado para uso nas dependências de um único ou um conjunto de edifícios comerciais em um campus, bem como para a infraestrutura de cabeamento estruturado de data centers.

19/12/2013 - Equipe Target

Cabeamento estruturado

A NBR 14565 de 11/2013 - Cabeamento estruturado para edifícios comerciais e data centers especifica um sistema de cabeamento estruturado para uso nas dependências de um único ou um conjunto de edifícios comerciais em um campus, bem como para a infraestrutura de cabeamento estruturado de data centers. Ela cobre os cabeamentos metálico e óptico.

Aplica-se a redes locais (LAN) e redes de campus (CAN), quando aplicada a edifícios comerciais e data centers. Nos ambientes de data centers, a aplicação desta norma limita-se ao cabeamento interno para a conexão dos equipamentos de tecnologia da informação (TI), segurança e automação usados nos data centers. O cabeamento especificado suporta uma ampla variedade de serviços, incluindo voz, dados, imagem e automação.

Especifica diretamente ou via referência: a estrutura e configuração mínima para o cabeamento estruturado; as interfaces para tomadas de telecomunicações (TO) e tomadas de equipamentos (EO); os requisitos de desempenho para enlaces e canais individuais de cabeamento; as recomendações e requisitos gerais; os requisitos de desempenho para o cabeamento para as distâncias mínimas e máximas especificadas nesta norma; e os requisitos de conformidade e procedimentos de verificação. Traz ainda recomendações para: melhores práticas para projeto e instalação de infraestrutura para data centers; cabeamento para sistemas de automação e controle em edifícios; e a simbologia para projetos de cabeamento estruturado.

Esta norma leva em consideração os requisitos especificados nas aplicações listadas no Anexo D. Não se aplica aos requisitos de proteção e segurança elétrica, proteção contra incêndio e compatibilidade eletromagnética, que são cobertos por outras normas e regulamentos. Entretanto, as recomendações desta norma podem ser úteis.

Para os efeitos desta Norma, consideram-se as seguintes aplicações: a configuração e a estrutura do cabeamento devem estar em conformidade com as especificações descritas na Seção 5; o desempenho dos canais balanceados deve ser medido conforme os requisitos especificados na Seção 6. Isto deve ser obtido por uma das seguintes condições: 1) um canal projetado e implementado deve assegurar o desempenho previsto; 2) os componentes apropriados utilizados para um enlace permanente ou enlace do CP são especificados por classe de desempenho na Seção 6 e no Anexo A. O desempenho do canal deve ser assegurado inclusive com o acréscimo de patch cords nas terminações de um enlace permanente, conforme os requisitos da Seção 6 e do Anexo A; 3) usando as implementações referenciadas na Seção 7 e os componentes do cabeamento compatíveis com os requisitos da NBR 14703, bem como as Seções 10 e 13, com base em uma aproximação estatística do modelo de desempenho; os requisitos específicos de infraestrutura do cabeamento estão descritos na ISO/IEC 18010; a implementação e o desempenho do cabeamento óptico devem atender aos requisitos da Seção 8; as interfaces com o cabeamento na tomada de telecomunicações devem estar em conformidade com os requisitos da Seção 10; todo e qualquer hardware de conexão do cabeamento, incluindo a tomada de telecomunicações, deve atender aos requisitos da Seção 10; se presentes, as blindagens devem ser tratadas de acordo com a Seção 11; a administração do sistema deve atender aos requisitos da Seção 12; os regulamentos de segurança e compatibilidade eletromagnética aplicáveis no local da instalação devem ser atendidos.

Os ensaios da Seção 6 devem ser utilizados nos seguintes casos: enlaces ou canais com comprimentos superiores aos especificados em 7.2 ou com mais componentes que o especificado na Seção 7; enlaces ou canais que usam componentes cujo desempenho de transmissão seja inferior àquele descrito na NBR 14703 e na Seção 10; avaliação de um cabeamento instalado para determinar sua capacidade de suportar as aplicações descritas no Anexo D; verificação de desempenho de um sistema instalado conforme a ABNT NBR 14703 e nas Seções 7 e 10.

A Seção 5 identifica os elementos funcionais do cabeamento para edifícios comerciais e data centers, descrevendo como são interconectados para formar subsistemas, e identifica interfaces com as quais componentes de aplicações específi cas são conectados ao cabeamento. As aplicações listadas no Anexo D desta norma são suportadas conectando-se equipamentos ativos às interfaces de redes externas, tomadas de telecomunicações, tomadas de equipamentos e distribuidores.

O sistema de cabeamento estruturado especificado nesta norma restringe o uso de patch cords para conexões ponto a ponto, por ser prejudicial à sua administração e operação. Em data centers, exceções são permitidas em condições especiais: entre equipamentos localizados próximos ou que não podem se comunicar utilizando o sistema de cabeamento definido nesta norma.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Sistemas de dutos corrugados de polietileno (PE) para infraestrutura de cabos de energia e telecomunicações — Requisitos e métodos de ensaio
NBR15715 de 07/2020

Sistemas de dutos corrugados de polietileno (PE) para infraestrutura de cabos de energia e telecomunicações — Requisitos e métodos de ensaio

Cabos de telemática de 100 O para redes internas estruturadas — Especificação
NBR14703 de 08/2012

Cabos de telemática de 100 O para redes internas estruturadas — Especificação

Rede de distribuição de energia elétrica - Compartilhamento de infra-estrutura com redes de telecomunicações
NBR15214 de 04/2005

Rede de distribuição de energia elétrica - Compartilhamento de infra-estrutura com redes de telecomunicações