Text page

NBR ISO/IEC 17043: os requisitos para os ensaios de proficiência

Essa norma especifica os requisitos gerais para a competência de provedores de ensaio de proficiência e para o desenvolvimento e a operação de programas desses ensaios.


05/11/2012 - Equipe Target

Ensaios de proficiência

A NBR ISO/IEC 17043 de 08/2011 - Avaliação de conformidade - Requisitos gerais para ensaios de proficiência especifica requisitos gerais para a competência de provedores de ensaio de proficiência e para o desenvolvimento e operação de programas de ensaio de proficiência. Estes requisitos gerais se aplicam a todos os tipos de programas de ensaios de proficiência e podem ser utilizados como base para requisitos técnicos específicos em campos específicos de aplicação. Na verdade, as comparações interlaboratoriais são amplamente utilizadas para vários propósitos e seu uso vem crescendo internacionalmente.

Os propósitos típicos para comparações interlaboratoriais incluem: avaliação do desempenho de laboratórios para ensaios ou medições específicas e monitoramento do desempenho contínuo de laboratórios; identificação de problemas em laboratórios e início de ações de melhoria que podem estar relacionadas, por exemplo, a ensaios ou procedimentos de medição inadequados, à efetividade do treinamento da equipe e supervisão ou calibração de equipamentos; estabelecimento da efetividade e comparabilidade de métodos de ensaio ou métodos de medição; provimento de confiança adicional aos clientes do laboratório; identificação de diferenças interlaboratoriais; educação de laboratórios participantes baseada em resultados das comparações interlaboratoriais; validação da incerteza declarada; avaliação das características de desempenho de um método - geralmente descritos como estudos colaborativos; atribuição de valores para materiais de referência e avaliação de sua adequação para uso em ensaios ou procedimentos de medição específicos; e embasamento das declarações da equivalência de medições dos Institutos Nacionais de Metrologia através de comparações chave e comparações suplementares conduzidas em nome do Bureau Internacional de Pesos e Medidas (BIPM) e organizações regionais de metrologia associadas.

Os ensaios de proficiência envolvem o uso de comparações interlaboratoriais para a determinação do desempenho do laboratório. Geralmente, não cobrem algumas especificações porque a competência do laboratório é assumida para essas aplicações, mas estas podem ser utilizadas para fornecer demonstrações independentes da competência do laboratório. Os requisitos dessa norma podem ser aplicados a várias atividades de planejamento técnico e atividades operacionais.

A necessidade da contínua confiança no desempenho do laboratório é essencial não apenas para os laboratórios e os seus clientes, mas também para outras partes interessadas, como órgãos reguladores, organismos de acreditação de laboratórios e outras organizações que especificam requisitos para laboratórios. A NBR ISO/IEC 17011 exige dos organismos de acreditação que levem em consideração a participação e o desempenho dos laboratórios em ensaios de proficiência. Existe uma demanda crescente por ensaios de proficiência para outras atividades de avaliação de conformidade, como inspeção ou certificação de produto.

A maioria dos requisitos dessa norma aplica-se a essas áreas em expansão, especialmente em relação à gestão, planejamento e modelo, pessoal, garantia da qualidade, confidencialidade e outros aspectos, conforme o caso. Ela foi elaborada para fornecer uma base consistente a todas as partes interessadas, para determinar a competência de organizações provedoras de ensaios de proficiência. Ao fazê-lo, substitui ambas as partes do Guia ISO/IEC 43:1997.

O ABNT ISO/IEC Guia 43 incluía não apenas orientação no desenvolvimento, operação, seleção e uso de ensaios de proficiência pelos organismos de acreditação de laboratórios, mas também descrições úteis de tipos típicos de ensaios de proficiência. Essa norma preservou e atualizou os princípios para a operação dos ensaios de proficiência descritos no ABNT ISO/IEC Guia 43 e manteve nos Anexos A a C as informações sobre os tipos típicos de programas de ensaios de proficiência, orientação sobre os métodos estatísticos apropriados, seleção e uso de programas de ensaios de proficiência pelos laboratórios, organismos de acreditação, organismos reguladores e outras partes interessadas.

Assim, o desenvolvimento e a operação dos programas de ensaio de proficiência devem ser conduzidos por provedores de ensaio de proficiência que tenham competência para realizar comparações interlaboratoriais e acesso ao conhecimento especializado para o tipo específico de itens de ensaio de proficiência. Os provedores de ensaio de proficiência ou seus subcontratados devem também ter competência na medição das propriedades a serem determinadas.

A NBR ISO/IEC 17025 ou NM ISO 15189 podem ser utilizadas para demonstrar a competência do laboratório do provedor de ensaio de proficiência, ou do laboratório subcontratado para realizar ensaios ou medições relacionadas aos programas de ensaio de proficiência. O ABNT ISO Guia 34 pode ser utilizado para demonstrar a competência dos produtores de materiais de referência que proveem itens de ensaio de proficiência.

Quanto ao pessoal, o provedor de ensaio de proficiência deve ter pessoal gerencial e técnico com autoridade e recursos necessários e competência técnica requerida para desempenhar suas atribuições. A direção do provedor de ensaio de proficiência deve definir os níveis mínimos de qualificação e experiência necessários para as funções chave dentro de sua organização e assegurar que estas qualificações sejam atendidas. O provedor de ensaio de proficiência deve utilizar pessoal que seja empregado ou contratado por ele. Quando for utilizado pessoal técnico ou pessoal chave de apoio, adicional ou contratado, o provedor de ensaio de proficiência deve assegurar que estes sejam supervisionados e competentes e que trabalhem de acordo com o sistema de gestão.

Os programas de ensaio de proficiência de participação simultânea geralmente envolvem subamostras selecionadas aleatoriamente de uma fonte de material, distribuídas simultaneamente aos participantes para ensaios concomitantes. Em alguns programas, os participantes são requisitados a retirar as amostras, que assim são consideradas itens de ensaio de proficiência para análise. Após a conclusão do ensaio, os resultados retornam ao provedor de ensaio de proficiência e são comparados com o(s) valor(es) designado(s) para fornecer uma indicação do desempenho dos participantes individuais e do grupo como um todo.

Exemplos de itens de ensaio de proficiência utilizados neste tipo de programa incluem alimentos, fluidos corporais, produtos agrícolas, água, solos, minerais e outros materiais ambientais. Em alguns casos, porções separadas de materiais de referência previamente estabelecidos são distribuídas. Orientações ou comentários educacionais são comumente incluídos no relatório disponibilizado aos participantes pelo provedor do ensaio de proficiência, com o objetivo de promover melhoria do desempenho.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Avaliação da conformidade - Requisitos gerais para marcas de conformidade de terceira parte
NBRISO/IEC17030 de 09/2005

Avaliação da conformidade - Requisitos gerais para marcas de conformidade de terceira parte

Avaliação da conformidade - Vocabulário e princípios gerais
NBRISO/IEC17000 de 06/2021

Avaliação da conformidade - Vocabulário e princípios gerais

Avaliação de conformidade - Vocabulário e princípios gerais
NM-ISO/IEC17000 de 08/2006

Avaliação de conformidade - Vocabulário e princípios gerais

Avaliação da conformidade - Declaração de conformidade de fornecedor - Parte 1: Requisitos gerais
NBRISO/IEC17050-1 de 09/2005

Avaliação da conformidade - Declaração de conformidade de fornecedor - Parte 1: Requisitos gerais