Text page

A conformidade das canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas

Como deve ser executado o ensaio de flexão linear? Por que fazer o ensaio de compressão para os SENC? Quais são os tipos e utilizações dos SC/SENC para instalação na parede ou no teto? Qual é a disposição para o ensaio de suporte dos cabos? Essas perguntas estão sendo respondidas na NBR IEC 61084-2-1 de 02/2021 - Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-1: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e sistemas de eletrodutos não circulares previstos para serem montados em paredes e tetos.

17/03/2021 - Equipe Target

NBR IEC 61084-2-1 de 02/2021 - Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-1: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e sistemas de eletrodutos não circulares previstos para serem montados em paredes e tetos

A NBR IEC 61084-2-1 de 02/2021 - Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-1: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e sistemas de eletrodutos não circulares previstos para serem montados em paredes e tetos especifica os requisitos e os ensaios para os sistemas de canaletas (SC) e os sistemas de eletrodutos não circulares (SENC) destinados à acomodação de condutores isolados, cabos e eventuais dispositivos elétricos e, se necessário, à sua separação para a proteção elétrica, nas instalações elétricas e/ou de sistemas de comunicação. A tensão máxima destas instalações é de 1.000 V em corrente alternada e de 1.500 V em corrente contínua.

Estes sistemas são destinados a serem montados em paredes e/ou em tetos. Eles podem ser incorporados, embutidos, semiembutidos, montados na superfície ou montados espaçados da superfície, utilizando dispositivos de fixação. Este documento não é aplicável aos sistemas de eletrodutos circulares, sistemas de bandejas, sistemas de leitos para cabos (sistema escada), sistemas de linhas elétricas pré-fabricadas ou equipamentos abrangidos por outras normas.

Confira algumas perguntas relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser executado o ensaio de flexão linear?

Por que fazer o ensaio de compressão para os SENC?

Quais são os tipos e utilizações dos SC/SENC para instalação na parede ou no teto?

Qual é a disposição para o ensaio de suporte dos cabos?

O fabricante deve fornecer em sua documentação todas as informações necessárias para a instalação e utilização corretas e seguras. Deve incluir os componentes do sistema; a função dos componentes do sistema e seus conjuntos; a classificação do sistema de acordo com a Seção 6; para SC/SENC do tipo 1, a lista de funções; a impedância linear, em ohm/m, de canaleta ou de eletroduto não circular de um sistema declarado; a tensão nominal do SC/SENC declarada; a seção do SC/SENC utilizável para os cabos, em mm².

Certos componentes do sistema, quando forem montados, podem reduzir a seção utilizável para os cabos. As instruções necessárias para obter a classificação e as funções declaradas do sistema. Estas instruções devem incluir o posicionamento recomendado de instalação para os SC/SENC, para assegurar que a classificação IP declarada seja mantida após a instalação. A conformidade é verificada por inspeção.

Os SC/SENC declarados devem impedir que os líquidos entrem em contato com os condutores isolados e com as partes vivas durante o tratamento de umidade do piso. A conformidade é verificada por inspeção e por medição, quando a área prevista para receber os condutores isolados estiver situada a pelo menos 10 mm acima do piso, devido aos seguintes motivos: projeto, ou instruções do fabricante que restrinjam a posição de instalação do SC/SENC, ou instruções do fabricante, que permitam todas as posições de instalação do SC/SENC, mas que restrinjam a posição dos condutores isolados e das partes vivas no CTS/CDS.

Em todos os outros casos, a conformidade é verificada pelo seguinte ensaio, realizado em um ou mais conjuntos. Um conjunto é constituído por uma ou mais canaletas ou por eletrodutos não circulares e, se existir, pelo componente do sistema apropriado, para realizar as diferentes funções do sistema, e é preparado de acordo com as instruções do fabricante.

Mais de um conjunto pode ser necessário para realizar as diferentes funções do sistema. Em cada direção, o comprimento L de canaleta ou de eletroduto não circular que sai da área funcional associada à função do sistema é igual à largura W de canaleta ou de eletroduto não circular, ou igual a 250 mm, o que for maior. A tolerância de L é ± 25 mm. A área funcional se refere, por exemplo, a um acessório, a um suporte de montagem de um dispositivo elétrico e a uma junção, como representado na figura abaixo.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

O conjunto é fixado, de acordo com as instruções do fabricante, em um suporte apropriado. As extremidades do conjunto são fechadas de acordo com as instruções do fabricante. Uma tira de papel absorvente, com largura de (5 ± 1) mm, é colocada na superfície interna mais baixa do SC/SENC, destinada a receber os condutores isolados.

Se esta superfície interna mais baixa for horizontal, a tira de papel absorvente é colocada aproximadamente na linha de centro da superfície. O papel absorvente tem altura de absorção de água longitudinal de 75 mm por 10 min, de acordo com a ISO 535, e gramatura de 250 g/m², de acordo com a ISO 536. O comprimento da tira de papel absorvente é de maneira que abranja todo o comprimento do conjunto.

Quando o ensaio da função do sistema compreender uma mudança de direção, o comprimento do papel absorvente pode ser constituído por várias tiras. Disposições são tomadas de maneira que o papel absorvente esteja em contato com a superfície interna mais baixa do SC/SENC, destinada a receber os condutores isolados ao longo de todo o comprimento do conjunto. Estas disposições não podem influenciar a absorção realizada pelo papel.

O conjunto é cuidadosamente colocado em um recipiente contendo água, para simular uma altura de água de (10, 0/-1) mm do piso. Água colorida pode ser utilizada para facilitar a medição da área úmida. Após (15 ± 1) s, o conjunto é retirado do recipiente e o exterior do conjunto é imediatamente limpo. Após a retirada cuidadosa das tampas de acesso, se existirem, o papel absorvente é retirado.

Dentro de 5 min após a retirada do conjunto do recipiente, os comprimentos das áreas úmidas são medidos na linha de centro das tiras. Para cada função ensaiada, o comprimento medido de qualquer área úmida, na tira de papel absorvente, deve ser inferior a 50 mm. Cada ensaio de suporte do cabo é realizado em uma amostra nova de canaleta ou de eletroduto não circular, com comprimento de 250 mm ± 5 mm.

As canaletas ou os eletrodutos não circulares com seção utilizável inferior ou igual a 500 mm² não são ensaiados. A amostra é solidamente fixada, utilizando-se arruelas metálicas planas com 10 mm de diâmetro externo e parafusos metálicos, em um suporte rígido plano, como uma placa de madeira compensada com 16 mm de espessura.

Quando o diâmetro externo de 10 mm for muito grande, uma arruela menor adequada é utilizada. A (s) fixação (ões) é (são) posicionada (s) ao longo do comprimento da amostra espaçada (s) em (200 ± 5) mm. Na largura da amostra, a fixação é disposta o mais próximo possível de cada parede lateral. Para os SC/SENC de seções retas triangulares ou similares, a amostra é fixada somente na parede.

Se as instruções do fabricante requererem a utilização de dispositivos de retenção de cabos, o ensaio é realizado utilizando os dispositivos de retenção de cabos, se possível, fixados simetricamente ao longo do comprimento. A amostra é submetida a uma carga uniformemente distribuída de 1,0 g/ mm² da seção utilizável para os cabos informados, por metro de comprimento.

A carga é distribuída entre os compartimentos proporcionalmente à seção utilizável informada. A carga é constituída por condutores isolados de cobre ou por cabos de acordo com a classe 5, da IEC 60228:2004, Tabela 3, ou por condutores isolados flexíveis ou por cabos flexíveis de massa por metro similar.

Para permitir uma estabilização da amostra, uma pré-carga de 10 % de carga é aplicada e retirada após 5 min ± 30 s. O aparelho de medição é então calibrado a zero. Nenhuma pré-carga é necessária para os SC/SENC.

As canaletas não metálicas e compostas ou os eletrodutos não circulares não metálicos e compostos são ensaiados à temperatura máxima de utilização informada pelo fabricante, com tolerância de ±2 °C. Os condutores isolados ou os cabos com seção nominal de 25 mm² são colocados na amostra de maneira que aproximadamente 50% da carga seja atingida. Se as dimensões do compartimento não permitirem o alojamento de condutores isolados ou de cabos de 25 mm², condutores isolados ou cabos de seção nominal de 2,5 mm² são utilizados.

Os condutores isolados ou os cabos de seção nominal de 2,5 mm² são colocados sobre os cabos maiores para atingir a carga total com tolerância de ± 5 g. A carga é aplicada durante 120 min (+5/0) min. Após este período, a deflexão é medida aproximadamente no meio do comprimento.

O ensaio adicional para os SC/SENC fixados na parede é aplicável aos SC/SENC. A canaleta ou o eletroduto não circular é montado como indicado nessa norma. A deflexão vertical F é medida da seguinte maneira: para os SC/SENC de seção reta retangular ou similar, na borda inferior; para os SC/SENC de seção reta não retangular.

A deflexão vertical F não pode exceder 10% da dimensão externa horizontal X, com um máximo de 10 mm. Este critério de deflexão não é aplicável aos SC/SENC fixados na parede e suportados pelo piso.

As tampas de acesso do SC, os separadores de cabos não removíveis, os dispositivos de retenção de cabos e similares devem permanecer adequadamente fixados, de modo a cumprir a sua função prevista. O ensaio adicional para os SC/SENC fixados na parede com separador removível é aplicável aos SC/SENC fornecidos com separador removível. A canaleta e o eletroduto não circular são montados como mostrado nessa norma, com um separador inserido na posição mais desfavorável.

A posição mais desfavorável para o separador é geralmente a posição mais baixa prevista. As tampas de acesso do SC, os separadores de cabos removíveis, os dispositivos de retenção de cabos e similares devem permanecer adequadamente fixados, de modo a cumprir a sua função prevista.

A canaleta ou o eletroduto não circular é montado como mostrado nessa norma. A deflexão vertical F é medida da seguinte maneira: para os SC/SENC de seção reta retangular ou similar, na borda inferior; para os SC/SENC de seção reta não retangular, como indicado nessa norma.

A deflexão vertical F não pode exceder 10% da dimensão externa horizontal X com um máximo de 10 mm. As tampas de acesso do SC, os separadores de cabos não removíveis, os dispositivos de retenção de cabos e similares devem permanecer adequadamente fixados, de modo a cumprir a sua função prevista.

A canaleta ou o eletroduto não circular é montado conforme representado nessa norma, com um separador inserido na posição mais desfavorável. A posição mais desfavorável para o separador é geralmente a posição mais baixa prevista. As tampas de acesso do SC, os separadores de cabos removíveis, os dispositivos de retenção de cabos e similares devem permanecer adequadamente fixados, de modo a cumprir a sua função prevista.

O ensaio de impacto para a instalação e utilização é realizado em um conjunto constituído por uma ou mais canaletas ou eletrodutos não circulares, se existir, do componente do sistema apropriado, para atender às diferentes funções do sistema, e é preparado de acordo com as instruções do fabricante.

Pode ser necessário mais de um conjunto para atender às diferentes funções do sistema. Em cada direção, o comprimento L da canaleta ou do eletroduto não circular que sai da área funcional associada à função do sistema é igual à largura W de canaleta ou do eletroduto não circular, ou igual a 250 mm, o que for maior. A tolerância de L é ± 25 mm.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Sistemas de eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa tensão — Requisitos de desempenho
NBR15465 de 06/2020

Sistemas de eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa tensão — Requisitos de desempenho

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-2: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e de eletrodutos não circulares previstos para serem montados embaixo do piso, embutidos no piso ou acima do piso
NBRIEC61084-2-2 de 02/2022

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-2: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e de eletrodutos não circulares previstos para serem montados embaixo do piso, embutidos no piso ou acima do piso

Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura, com revestimento protetor e rosca ABNT NBR 8133 — Requisitos
NBR5624 de 12/2011

Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura, com revestimento protetor e rosca ABNT NBR 8133 — Requisitos

Sistemas de canaletas e de eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-3: Requisitos particulares — Sistemas de canaletas para cabeamento destinados a serem instalados em quadros de distribuição
NBRIEC61084-2-3 de 05/2019

Sistemas de canaletas e de eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-3: Requisitos particulares — Sistemas de canaletas para cabeamento destinados a serem instalados em quadros de distribuição

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 1: Requisitos gerais
NBRIEC61084-1 de 11/2020

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 1: Requisitos gerais

Eletroduto de aço-carbono e acessórios, com revestimento protetor e rosca BSP — Requisitos
NBR5598 de 09/2013

Eletroduto de aço-carbono e acessórios, com revestimento protetor e rosca BSP — Requisitos

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-1: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e sistemas de eletrodutos não circulares previstos para serem montados em paredes e tetos
NBRIEC61084-2-1 de 02/2021

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-1: Requisitos particulares - Sistemas de canaletas e sistemas de eletrodutos não circulares previstos para serem montados em paredes e tetos

Conduletes metálicos roscados e não roscados para sistemas de eletrodutos
NBR15701 de 09/2016

Conduletes metálicos roscados e não roscados para sistemas de eletrodutos

Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura, zincado eletroliticamente e com rosca ABNT NBR 8133 — Requisitos
NBR13057 de 12/2011

Eletroduto rígido de aço-carbono, com costura, zincado eletroliticamente e com rosca ABNT NBR 8133 — Requisitos

Cossinete redondo para roscar — Roscas Pg 7 até Pg 48 para eletrodutos rígidos — Requisitos
NBR14678 de 03/2017

Cossinete redondo para roscar — Roscas Pg 7 até Pg 48 para eletrodutos rígidos — Requisitos

Macho-máquina para roscar com haste passante - Roscas Pg 7 até Pg 48 para conexões de eletrodutos rígidos - Requisitos
NBR14516 de 03/2017

Macho-máquina para roscar com haste passante - Roscas Pg 7 até Pg 48 para conexões de eletrodutos rígidos - Requisitos

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-4: Requisitos particulares - Colunas e colunetes
NBRIEC61084-2-4 de 02/2022

Sistemas de canaletas e eletrodutos não circulares para instalações elétricas - Parte 2-4: Requisitos particulares - Colunas e colunetes

Macho para roscar - Jogo de duas peças para roscas Pg 7 até Pg 48 para conexões de eletrodutos rígidos - Requisitos
NBR14515 de 03/2017

Macho para roscar - Jogo de duas peças para roscas Pg 7 até Pg 48 para conexões de eletrodutos rígidos - Requisitos