Text page

Os ensaios em aquecedores de água a gás tipo acumulação

Como deve ser realizado o ensaio de estanqueidade? Para a realização dos ensaios práticos, quais as instalações e os equipamentos devem ser disponibilizados? Como devem ser feitos os ensaios de determinação da capacidade de produção? Quais os valores da pressão de ensaio? Essas dúvidas estão sendo mostradas na NBR 10542 de 11/2015 - Aquecedores de água a gás tipo acumulação – Ensaios.

18/03/2020 - Equipe Target

NBR 10542 de 11/2015 - Aquecedores de água a gás tipo acumulação - Ensaios

Confirmada em dezembro de 2019, a NBR 10542 de 11/2015 - Aquecedores de água a gás tipo acumulação – Ensaios especifica um método de ensaio para aquecedores de água, tipo acumulação, nos quais são utilizados combustíveis gasosos.

Acesse algumas questões relacionadas a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser realizado o ensaio de estanqueidade?

Para a realização dos ensaios práticos, quais as instalações e os equipamentos devem ser disponibilizados?

Como devem ser feitos os ensaios de determinação da capacidade de produção?

Quais os valores da pressão de ensaio?

Para a realização dos ensaios práticos, descritos na Seção 3, deve-se dispor das instalações e equipamentos descritos em seguida. Uma sala de ensaio arejada, com circulação de ar equilibrada, provida de um sistema que evite o acúmulo dos produtos da combustão. Um banco de ensaio, equipado com os aparelhos descritos em seguida, instrumentos, etc.

Regulador de pressão de gás ou equipamento equivalente. Medidor de consumo de gás úmido, aferido, equipado com termômetro com precisão com sensibilidade de 0,1 °C. Manômetro com sensibilidade de 19,6 Pa (2 mm de coluna d’água/mm A.A.) para a medição de pressão de gás. Regulador ou redutor de pressão de água. Termômetro de precisão, com escala de 0 °C a + 50 °C e sensibilidade de 0,1 °C, para a medição da temperatura da água fria.

Além disso, deve ter um termômetro de precisão, com escala de 0 °C a + 100 °C e sensibilidade de 0,1 °C, para a medição da temperatura da água quente. Manômetros para campos de medição entre 19,6 kPa e 1 470 kPa (0,2 kgf/cm² e 15 kgf/cm²), com precisão de ± 5%, para a medição da pressão de água. Tubo de medição, balança com sensibilidade de 0,5 g e dispositivo de aspiração, para ensaio das características higiênicas.

Deve-se ter uma chaminé secundária com 500 mm de comprimento, do mesmo diâmetro da gola do aquecedor, para os ensaios de aferição da qualidade da combustão e determinação da taxa de rendimento. Dispositivo para medição da fuga de gás nos ensaios de estanqueidade, conforme figuras abaixo. Uma bomba para funcionar com o dispositivo de aspiração.

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

 

Deve-se incluir um aparelho para determinação de CO, que permita leituras de aproximadamente 0,0005% em volume, um insuflador para ensaio de reversão de corrente de ar, dispondo de medidor de velocidade de ar, com sensibilidade de 0,1 m/s e um calorímetro com precisão de 2,1 kJ/m3 normalizado (0,5 kcal/m3 normalizado). Um barômetro com precisão de 6,5 Pa (0,05 mm de coluna de mercúrio) e um densímetro, para medição comparativa de densidade de gases, com precisão de 0,002.

Acrescentar uma bomba de ar com manômetro para ensaio de estanqueidade, um dispositivo de medição para temperaturas de superfície, um equipamento para produzir misturas de gases e compartimentos de ensaio. Para as pressões de ensaio, para gás, os valores da pressão de ensaio, medidos na conexão do tubo de admissão de gás do aquecedor, devem obedecer aos valores estabelecidos na tabela abaixo.

 

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

 

 

Para a verificação de avarias de transporte, antes do início dos ensaios, o aquecedor deve ser examinado quanto à existência de evidentes avarias de transporte que possam influir no seu funcionamento. Para o ensaio de conformidade com as especificações, deve-se verificar a conformidade do aparelho com as características descritas nas especificações, bem como se as instalações de ensaio correspondem às exigências da Seção 2.

O ensaio de estanqueidade para gás deve ser realizado com o aquecedor no estado em que foi fornecido pelo fabricante, com o emprego de ar à pressão de 14,7 kPa (1 500 mm C.A.), utilizando-se os equipamentos de medição conforme figuras acima. Após regulagem da pressão de ar, deve-se manter, antes de cada leitura, um tempo de espera de pelo menos 5 min para a estabilização da temperatura da instalação de medição.

Nos ensaios, o dispositivo de regulagem a ser ensaiado deve estar fechado, porém com a sua saída comunicando-se com o ambiente. A estanqueidade do registro de controle de gás deve ser verificada nas posições aberta e fechada separadamente do aquecedor. O registro deve ser imerso em água e submetido a uma pressão de ensaio de 49 kPa (0,5 kgf/cm²).

Para água, antes do início do ensaio, deve-se eliminar o ar de peças destinadas à circulação de água, mediante repetidas aberturas e fechamentos do registro de água quente. As peças destinadas à circulação de água devem ser submetidas a uma pressão mínima de ensaio de 588 kPa (6 kgf/cm²), durante 30 min, não podendo ocorrer vazamento em qualquer das peças no transcorrer do ensaio.

O ensaio de temperatura da capa é realizado por ocasião do ensaio das características higiênicas, com potência nominal e corrente de ascensão, com o emprego do gás de referência. 3.7.2 O aquecedor deve funcionar durante aproximadamente 15 min, antes de serem determinadas as temperaturas.

O ensaio de estabilidade de queima é realizado por ocasião do ensaio das características higiênicas, com corrente de ascensão e com os valores-limites de potência nominal indicados nas especificações, com o emprego de todos os gases de ensaio. A estabilidade de queima da chama-piloto é ensaiada em uma corrente de ar horizontal com velocidade de 2 m/s, dirigida de várias direções para a abertura de observação das chamas na capa do aquecedor.

Deve-se medir a velocidade de ar em uma distância de aproximadamente 0,5 m do aquecedor, e a saída de ar do insuflador deve estar pelo menos 1 m distante do aquecedor. Para os ensaios de determinação da capacidade de produção, o aquecedor deve ser colocado em funcionamento, operando com vazões de água ajustadas para 3 L/min, 5 L/min, 7 L/min; 4 L/min, 7 L/min, 10 L/min e 6 L/min, 10 L/min, 14 L/min, respectivamente, para aparelhos de porte pequeno, médio e grande.

A capacidade de produção do aquecedor é medida pela quantidade de energia fornecida pelo aquecedor em 1 h de operação. Para a realização dos ensaios, usar bancos de prova semelhantes aos das Figuras A.5 a e A.5 b) – disponíveis na norma, com o emprego do gás de referência.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas — Determinação do consumo de energia elétrica
NBR14015 de 05/2016

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas — Determinação do consumo de energia elétrica

Aquecedores de água a gás tipo acumulação — Terminologia
NBR10540 de 01/2016

Aquecedores de água a gás tipo acumulação — Terminologia

Sistemas centralizados de suprimento de gases medicinais, de gases para dispositivos médicos e de vácuo para uso em serviços de saúde
NBR12188 de 03/2016

Sistemas centralizados de suprimento de gases medicinais, de gases para dispositivos médicos e de vácuo para uso em serviços de saúde

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Determinação da corrente de fuga - Método de ensaio
NBR14016 de 12/2015

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Determinação da corrente de fuga - Método de ensaio

Aquecedor de água a gás instantâneo
NBR5899 de 03/1995

Aquecedor de água a gás instantâneo

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas — Determinação do incremento máximo de temperatura
NBR14014 de 05/2016

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas — Determinação do incremento máximo de temperatura

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Requisitos gerais
NBR14011 de 12/2015

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Requisitos gerais

Aparelho eletrodoméstico fixo de aquecimento instantâneo de água - Determinação da eficiência energética
NBR15001 de 11/2003

Aparelho eletrodoméstico fixo de aquecimento instantâneo de água - Determinação da eficiência energética

Aquecedores de ambiente domésticos não ligados à chaminé (inluindo os de combustão catalítica difusiva), que utilizam exclusivamente gases liquefeitos de petróleo (GLP) - Especificações
NBR15203 de 02/2005

Aquecedores de ambiente domésticos não ligados à chaminé (inluindo os de combustão catalítica difusiva), que utilizam exclusivamente gases liquefeitos de petróleo (GLP) - Especificações

Aquecedores de água a gás tipo acumulação - Ensaios
NBR10542 de 11/2015

Aquecedores de água a gás tipo acumulação - Ensaios

Tubos de aço inoxidável austenítico, soldados, para caldeiras, aquecedores, trocadores de calor e condensadores
NM275 de 01/2002

Tubos de aço inoxidável austenítico, soldados, para caldeiras, aquecedores, trocadores de calor e condensadores

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Verificação da resistência ao desgaste ou remoção da marcação - Método de ensaio
NBR14012 de 11/1997

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Verificação da resistência ao desgaste ou remoção da marcação - Método de ensaio

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Determinação da potência elétrica - Métodos de ensaio
NBR14013 de 12/2015

Aquecedores instantâneos de água e torneiras elétricas - Determinação da potência elétrica - Métodos de ensaio

Vasos de pressão - Inspeção de segurança em serviço
NBR15417 de 01/2007

Vasos de pressão - Inspeção de segurança em serviço

Tubos sem costura de aço ligado ferrítico e austenítico para caldeiras, aquecedores e trocadores de calor
NM234 de 01/2002

Tubos sem costura de aço ligado ferrítico e austenítico para caldeiras, aquecedores e trocadores de calor

Aquecedor de água a gás tipo instantâneo - Requisitos e métodos de ensaio
NBR8130 de 06/2004

Aquecedor de água a gás tipo instantâneo - Requisitos e métodos de ensaio

Sistemas de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos — Requisitos
NBR10897 de 09/2020

Sistemas de proteção contra incêndio por chuveiros automáticos — Requisitos

Aparelhos elétricos fixos de aquecimento instantâneo de água — Requisitos de desempenho e segurança
NBR16305 de 09/2014

Aparelhos elétricos fixos de aquecimento instantâneo de água — Requisitos de desempenho e segurança

Segurança de aparelhos eletrodomésticos e similares - Parte 2-102: Requisitos particulares para aparelhos de combustão a gás, óleo ou combustíveis sólidos providos de conexões elétricas (IEC 60335-2-102:2009 - edição 1.1, MOO)
NBRNM60335-2-102 de 03/2013

Segurança de aparelhos eletrodomésticos e similares - Parte 2-102: Requisitos particulares para aparelhos de combustão a gás, óleo ou combustíveis sólidos providos de conexões elétricas (IEC 60335-2-102:2009 - edição 1.1, MOO)