Text page

Uma sistemática para a melhoria contínua do desempenho energético

Qual a melhor orientação para uma empresa ter um sistema de gestão de energia? Como deve ser feita a análise crítica do sistema de gestão de energia de uma empresa? Como deve ser feito o planejamento estratégico da empresa em relação à energia? Como a empresa pode monitorar medir e analisar seu desempenho energético? Quais são as correspondências entre a NBR ISO 50001, NBR ISO 9001, NBR ISO 14001 e NBR ISO 22000? Como deve ser definida a política energética da empresa? Como deve ser feita a determinação da duração da auditoria em SGE? Como deve ser feita a medição do desempenho energético? Quais os desafios da coleta de dados de energia? Essas questões estão sendo apresentadas no texto sobre os sistemas de gestão de energia.

25/04/2018 - Equipe Target

Série NBR ISO 50001: os requisitos para os sistemas de gestão de energia

A NBR ISO 50001 de 06/2011 - Sistemas de gestão da energia - Requisitos com orientações para uso especifica os requisitos de um sistema de gestão da energia (SGE) para uma organização desenvolver e implementar uma política energética, estabelecer objetivos, metas e planos de ação que considerem requisitos legais e informações relativas ao uso significativo de energia. Um SGE habilita uma organização a atender sua política energética, tomar as devidas ações de melhoria de seu desempenho energético e demonstrar conformidade aos requisitos desta Norma. Pode-se ajustar a aplicação desta norma a requisitos específicos de uma organização – incluindo complexidade do sistema, grau de documentação e recursos – e abrange as atividades sob o controle da organização.

A NBR ISO 50002 de 11/2014 - Diagnósticos energéticos - Requisitos com orientação para uso especifica os requisitos de processo para a realização de um diagnóstico energético em relação ao desempenho energético. É aplicável a todos os tipos de estabelecimentos e organizações, e a todas as formas de energia e seus usos. Especifica os princípios da realização de diagnósticos energéticos, requisitos para os processos comuns durante os diagnósticos energéticos e produtos a serem entregues pelos diagnósticos energéticos.

A NBR ISO 50003 de 06/2016 - Sistemas de gestão de energia - Requisitos para organismos de auditoria e certificação de sistemas de gestão de energia especifica os requisitos de competência, consistência e imparcialidade em auditorias e certificação de sistemas de gestão de energia (SGE) para organismos que prestam estes serviços. Para garantir a eficácia da auditoria de SGE, esta norma aborda o processo de auditoria, os requisitos de competência para o pessoal envolvido no processo de certificação para sistemas de gestão de energia, a duração das auditorias e amostragem para multi-instalações.

A NBR ISO 50004 de 03/2016 - Sistemas de gestão da energia — Guia para implementação, manutenção e melhoria de um sistema de gestão da energia fornece orientação prática e exemplos para estabelecer, implementar, manter e aperfeiçoar um sistema de gestão de energia (SGE), de acordo com a abordagem sistemática da NBR ISO 50001. As diretrizes desta norma aplicam-se a qualquer organização, independentemente do seu tamanho, tipo, local ou nível de maturidade.

A NBR ISO 50006 de 03/2016 - Sistemas de gestão de energia — Medição do desempenho energético utilizando linhas de base energética (LBE) e indicadores de desempenho energético (IDE) — Princípios gerais e orientações fornece orientações para organizações de como estabelecer, utilizar e manter indicadores de desempenho energéticos (IDE) e linhas de base energética (LBE) como parte do processo de medição de desempenho energético. As orientações nesta norma são aplicáveis a qualquer organização, independentemente do seu tamanho, tipo, localização ou nível de maturidade na área de gestão de energia.

Acesse algumas questões relacionadas a essas normas GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Qual a melhor orientação para uma empresa ter um sistema de gestão de energia?

Como deve ser feita a análise crítica do sistema de gestão de energia de uma empresa?

Como deve ser feito o planejamento estratégico da empresa em relação à energia?

Como a empresa pode monitorar medir e analisar seu desempenho energético?

Quais são as correspondências entre a NBR ISO 50001, NBR ISO 9001, NBR ISO 14001 e NBR ISO 22000?

Como deve ser definida a política energética da empresa?

Como deve ser feita a determinação da duração da auditoria em SGE?

Como deve ser feita a medição do desempenho energético?

Quais os desafios da coleta de dados de energia?

A NBR ISO 50001 se baseia na estrutura de melhoria contínua do Plan-Do-Check-Act e incorpora a gestão da energia nas práticas organizacionais diárias, melhoria da competitividade e redução de emissões de gases de efeito estufa e outros impactos ambientais relacionados. Esta norma é aplicável independentemente dos tipos de energia utilizados. Pode ser utilizada para certificação, registro ou autodeclaração do SGE de uma organização.

Ela não estabelece requisitos absolutos para o desempenho energético além daqueles estabelecidos na política energética da organização e de sua obrigação de conformidade a requisitos legais aplicáveis ou outros requisitos. Assim, duas organizações realizando operações semelhantes, mas com desempenhos energéticos distintos, podem ambas estar em conformidade com seus requisitos.

Especificamente em seu item 4.3 Política energética: deve declarar o comprometimento da organização para atingir a melhoria do desempenho energético. A alta direção deve definir a política energética e garantir que esta: seja apropriada à natureza e escala do uso e consumo de energia da organização; inclua um comprometimento para melhoria contínua de desempenho energético; inclua um comprometimento para garantir a disponibilidade de informações e de recursos necessários para atingir objetivos e metas; inclua um comprometimento para cumprir com os requisitos legais aplicáveis e outros requisitos aos quais a organização subscreve em relação à eficiência, uso e consumo de energia; forneça uma estrutura para estabelecer e revisar objetivos e metas energéticas; apoie a aquisição de produtos energeticamente eficientes, assim como de serviços e projetos para melhoria do desempenho energético; seja documentada e comunicada em todos os níveis da organização; e seja regularmente revisada e atualizada se necessário.

Para o planejamento energético, a organização deve conduzir e documentar o processo de planejamento energético. O planejamento energético deve ser consistente com a política energética e deve levar a atividades que melhorem continuamente o desempenho energético. O planejamento energético deve envolver uma revisão das atividades da organização que possam afetar o desempenho energético.

Um diagrama ilustrando o planejamento energético está incluso no Anexo A. Em outras normas nacionais ou regionais, conceitos tais como a identificação e a revisão dos aspectos energéticos ou do perfil energético estão inclusos no conceito da revisão energética. Assim, a organização deve identificar, implementar e ter acesso aos requisitos legais aplicáveis e outros requisitos aos quais a organização subscreve, relacionados ao seu uso e consumo de energia e eficiência energética. A organização deve determinar como estes requisitos se aplicam ao uso e consumo de energia e eficiência energética e deve assegurar que estes requisitos legais e outros requisitos aos quais a organização subscreve são considerados no estabelecimento, implementação e manutenção do SGE. Requisitos legais e outros requisitos devem ser revisados a intervalos definidos.

A organização deve desenvolver registrar e manter uma revisão energética. A metodologia e os critérios utilizados para desenvolver a revisão energética devem ser documentados. Para desenvolver a revisão energética a organização deve: analisar uso e consumo de energia com base em medições e outros dados: identificar fontes de energia atuais; avaliar o uso e consumo de energia atual e passado. Com base no uso e consumo de energia, identificar as áreas de uso significativo de energia: identificar as instalações, equipamentos, sistemas, processos e pessoal trabalhando para a organização ou em seu nome que afetam significativamente o uso e consumo de energia; identificar outras variáveis relevantes que afetam significativamente o uso de energia; determinar o desempenho energético atual de instalações, equipamentos, sistemas e processos relacionados aos usos significativos de energia identificados; e estimar o uso e consumo de energia futuros. Também, deve identificar, priorizar e registrar oportunidades de melhoria de desempenho energético.

Em seu anexo A, a norma detalha que a implementação de um sistema de gestão da energia especificado tem a intenção de obter melhorias de desempenho energético. Portanto, essa norma é baseada na premissa de que a organização revisará e avaliará periodicamente seu sistema de gestão da energia para identificar oportunidades de melhoria e a implementação destas. A organização tem flexibilidade sobre como implementar seu SGE. Por exemplo: o ritmo, extensão e duração dos processos de melhoria contínua são determinados pela organização.

Energia

Clique na imagem acima para uma melhor visualização

Os diagnósticos energéticos são planejados e conduzidos como parte da identificação e priorização das oportunidades de melhoria no desempenho energético, na redução de desperdício de energia e na obtenção de benefícios ambientais relacionados. Os resultados do diagnóstico incluem informações sobre o uso e o desempenho atuais, e listam as recomendações por prioridade para melhorias em termos do desempenho energético e dos benefícios financeiros.

Um diagnóstico energético pode auxiliar uma revisão energética e facilitar o monitoramento, medição e análise, como descrito na NBR ISO 50001, ou pode ser usado independentemente. Esta norma permite diferenças em abordagem e em termos de escopo, fronteira e objetivo do diagnóstico e bem como procura harmonizar aspectos comuns do diagnóstico energético, a fim de torná-lo mais claro e transparente.

O processo de diagnóstico energético é apresentado como uma simples sequência cronológica, mas isso não impede iterações repetidas de certas etapas. O texto principal desta norma cobre os requisitos gerais e estrutura comuns a todos os diagnósticos energéticos, que podem ser suplementados por normas nacionais de diagnósticos equivalentes.

Para o diagnóstico de tipos específicos de instalações, processos ou equipamentos, deve-se consultar as normas internacionais, nacionais e locais relevantes e diretrizes, sendo algumas das quais citadas na Bibliografia. Nesta norma as seguintes formas verbais são utilizadas: “deve” indica um requisito; “convém que” indica uma recomendação; e “pode” às vezes indica uma permissão, às vezes indica uma possibilidade ou uma capacidade.

Um diagnóstico energético é fundamentado em alguns princípios. Esses princípios auxiliam a fazer do diagnóstico energético uma ferramenta eficaz e confiável para auxiliar a gestão em tomadas de decisões e controles, provendo informação sobre a qual a organização pode agir a fim de melhorar seu desempenho energético.

O escopo da certificação deve definir as fronteiras do SGE incluindo atividades, instalações, processos e decisões relacionados ao SGE. O escopo pode ser toda a organização com multilocais, uma instalação dentro da organização, ou um subconjunto ou subconjuntos dentro de uma instalação, como uma edificação, instalação ou processo.

Quando definir as fronteiras, uma organização não pode excluir as fontes de energia. Na determinação do tempo da auditoria, o organismo de certificação deve incluir os seguintes fatores: fontes de energia; usos significativos de energia; consumo de energia; e o número do pessoal efetivo no SGE.

A duração da auditoria inclui o tempo no local da organização, planejamento da auditoria, revisão de documentos e produção de relatórios de auditoria. As tabelas de duração da auditoria no Anexo A devem ser utilizadas para determinar a duração da auditoria.

Já a NBR ISO 50006 fornece às organizações orientações práticas sobre como atender aos requisitos da NBR ISO 50001 relacionados ao estabelecimento, uso e manutenção dos indicadores de desempenho energético (IDE) e linhas de base energética (LBE) para a medição e alterações no desempenho energético. O IDE e a LBE são dois elementos-chave inter-relacionados da NBR ISO 50001 que permitem a medição, e, logo, a gestão do desempenho energético em uma organização.

O desempenho energético é um conceito amplo relacionado ao uso e consumo de energia e eficiência energética. Para gerenciar efetivamente o desempenho energético de suas instalações, sistemas, processos e equipamentos, as organizações precisam saber como a energia é utilizada e quanto é consumida ao longo do tempo.

Um IDE é um valor ou medida que quantifica resultados relacionados à eficiência energética, uso e consumo de energia em instalações, sistemas, processos e equipamentos. As organizações utilizam IDE como medida de seus desempenhos energéticos.

A LBE é uma referência que caracteriza e quantifica o desempenho energético de uma organização durante um período específico. A LBE permite que uma organização avalie alterações do desempenho energético entre dois períodos selecionados. A LBE também é utilizada para cálculos de economia de energia, como uma referência antes e depois da implementação de ações de melhoria do desempenho energético.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos
NBRISO9001 de 09/2015

Sistemas de gestão da qualidade - Requisitos

Sistemas de gestão de segurança de alimentos - Requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos
NBRISO22000 de 03/2019

Sistemas de gestão de segurança de alimentos - Requisitos para qualquer organização na cadeia produtiva de alimentos

Sistemas de gestão de energia — Medição do desempenho energético utilizando linhas de base energética (LBE) e indicadores de desempenho energético (IDE) — Princípios gerais e orientações
NBRISO50006 de 03/2016

Sistemas de gestão de energia — Medição do desempenho energético utilizando linhas de base energética (LBE) e indicadores de desempenho energético (IDE) — Princípios gerais e orientações

Sistema de gestão da energia - Guia para implementação, manutenção e melhoria do sistema de gestão da energia da ABNT NBR ISO 50001
NBRISO50004 de 09/2021

Sistema de gestão da energia - Guia para implementação, manutenção e melhoria do sistema de gestão da energia da ABNT NBR ISO 50001

Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário
NBRISO9000 de 09/2015

Sistemas de gestão da qualidade - Fundamentos e vocabulário

Sistemas de gestão da energia - Requisitos com orientações para uso
NBRISO50001 de 08/2018

Sistemas de gestão da energia - Requisitos com orientações para uso

Diagnósticos energéticos - Requisitos com orientação para uso
NBRISO50002 de 11/2014

Diagnósticos energéticos - Requisitos com orientação para uso

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão
NBRISO19011 de 12/2018

Diretrizes para auditoria de sistemas de gestão

Sistemas de gestão ambiental - Requisitos com orientações para uso
NBRISO14001 de 10/2015

Sistemas de gestão ambiental - Requisitos com orientações para uso

Sistemas de gestão de energia - Requisitos para organismos de auditoria e certificação de sistemas de gestão de energia
NBRISO50003 de 06/2016

Sistemas de gestão de energia - Requisitos para organismos de auditoria e certificação de sistemas de gestão de energia