Text page

IEC 61125: os ensaios para avaliar a estabilidade à oxidação de líquidos isolantes

Essa norma, editada em 2018 pela International Electrotechnical Commission (IEC), descreve os métodos de ensaio para avaliar a estabilidade à oxidação de líquidos isolantes no estado liberados sob condições aceleradas, independentemente de estarem ou não presentes aditivos antioxidantes. A duração do ensaio pode ser diferente dependendo do tipo de líquido isolante.

04/04/2018 - Equipe Target

A oxidação de líquidos isolantes

A IEC 61125:2018 - Insulating liquids - Test methods for oxidation stability - Test method for evaluating the oxidation stability of insulating liquids in the delivered state descreve os métodos de ensaio para avaliar a estabilidade à oxidação de líquidos isolantes no estado liberados sob condições aceleradas, independentemente de estarem ou não presentes aditivos antioxidantes. A duração do ensaio pode ser diferente dependendo do tipo de líquido isolante e é definida nos padrões correspondentes (por exemplo, na IEC 60296, IEC 61099, IEC 62770).

O método pode ser utilizado para medir o período de indução, sendo o ensaio continuado até a acidez volátil exceder significativamente 0,10 mg KOH/g no caso de óleos minerais. Este valor pode ser significativamente maior no caso de líquidos ésteres.

Métodos adicionais de teste, como os descritos na IEC TR 62036 com base na calorimetria diferencial de varredura, também podem ser usados como ensaios de triagem, mas estão fora do escopo deste documento. Esta segunda edição cancela e substitui a primeira edição publicada em 1992 e a Emenda 1: 2004. Esta edição constitui uma revisão técnica.

Esta edição inclui as seguintes alterações técnicas significativas em relação à edição anterior: o título foi modificado para incluir líquidos isolantes diferentes dos óleos minerais isolantes (hidrocarbonetos); o método se aplica a líquidos isolantes no estado de entrega; o antigo Método C é agora o principal método normativo; os dados de precisão do principal método normativo foram atualizados quanto ao fator de dissipação; o antigo método A foi eliminado; o antigo método B foi transferido para o Anexo B; e um novo método avaliando o comportamento termo-oxidativo de ésteres está incluído no Anexo C.

Conteúdo da norma

PREFÁCIO.......... 5

1 Escopo.............. 7

2 Referências normativas.......... ..... 7

3 Termos e definições.................. ...... 8

4 Aparelhos. ...................... 9

4.1 Princípio geral do método................................. 9

4.2 Equipamentos.................. ............ 9

4.2.1 Arranjo de aquecimento.................. 9

4.2.2 Vasos de ensaio.................................. ... 10

4.2.3 Tubos de absorção............................ 10

4.2.4 Cadinhos filtrantes........................... 10

4.2.5 Vasos de porcelana.............................. 11

4.2.6 Medidor de vazão...................... ...... 11

4.2.7 Temporizador................... ............. 11

4.2.8 Fornecimento de gás.......................... 11

4.2.9 Balanço analítico.................. 11

4.2.10 Bureta............... .......... 11

4.2.11 Pipeta volumétrica................ 11

4.2.12 Balão volumétrico.................... 12

4.2.13 Cilindro graduado................... 12

4.2.14 Termômetro........................ 12

4.2.15 Balão de Erlenmeyer....................... 12

4.3 Reagentes.......................... ............ 12

4.3.1 Heptano normal................................... 12

4.3.2 Indicador de azul álcali 6B de acordo com a IEC 62021-2 .... 12

4.3.3 Indicador de fenolftaleína ................................. 12

4.3.4 Hidróxido de potássio de acordo com a IEC 62021-2....... ...... 12

4.3.5 Gás oxidante............................................ .... 12

4.3.6 Acetona............................................ ......... 12

4.4 Limpeza dos recipientes de ensaio..................... 12

4.5 Catalisador.................................... .............. 13

4.6 Condicionamento da amostra com líquido isolante..................... 13

4.7 Preparação do ensaio.... ............................................. 13

4.8 Determinações sobre o líquido isolante oxidado... ......... 13

4.8.1 Formação de lodo .............................................. 13

4.8.2 Acidez solúvel (soluble acidity - SA) ....................... 14

4.8.3 Acidez volátil (volatile acidity - VA) ..................... 14

4.8.4 Acidez Total (total acidity - TA) ........................ 15

4.8.5 Fator de dissipação dielétrica (dielectric dissipation fator - DDF)...... 15

4.8.6 Taxa de oxidação com ar.................. 15

4.8.7 Período de indução com ar (IP com ar) (opcional) ...... 15

4.9 Relatório........................... ................. 15

4.10 Precisão................................. ............. 16

4.10.1 Geral..................... ......... 16

4.10.2 Repetibilidade (r) (95% de confiança) .............. 16

4.10.3 Reprodutibilidade (R) (95% de confiança) ................ 16

Anexo A (normativo) Especificações do termômetro............ 20

Anexo B (informativo) Método para avaliação da estabilidade à oxidação de líquidos isolantes no estado de entrega pela medição do período de indução com oxigênio................................... 21

B.1 Esboço do método........................... 21

B.2 Reagentes e condições de ensaio..................... 21

B.3 Procedimento............................ ................ 21

B.3.1 Geral......................................... ......... 21

B.3.2 Preparação do ensaio.............................. 21

B.3.3 Oxidação.................................... ....... 22

B.3.4 Determinação do período de indução com oxigênio...... 22

B.3.5 Determinações no óleo oxidado (opcional) ... ........... 22

B.4 Relatório............. ................... 23

B.5 Precisão............ ................ 23

B.5.1 Geral...................... ......... 23

B.5.2 Repetitividade relativa (r) (95% de confiança) ............. 23

B.5.3 Reprodutibilidade relativa (R) (95% de confiança) ........ 23

Anexo C (informativo) Método para avaliação do comportamento termo-oxidativo de líquidos isolantes de ésteres....................... 24

C.1 Esboço do método........................................ 24

C.2 Equipamentos................................ ............ 24

C.2.1 Arranjo de aquecimento........................ 24

C.2.2 Vasos de ensaio............................. 24

C.2.3 Reagentes................................. 24

C.3 Procedimento de ensaio................................. 24

C.3.1 Condicionamento e preparação de amostras.......... 24

C.3.2 Procedimento de envelhecimento............................... 25

C.4 Determinação do líquido isolante oxidado................ 25

C.4.1 Acidez solúvel................................................. 25

C.4.2 Fator de dissipação dielétrica (DDF) a 90 ° C............... 25

C.4.3 Aparência....................................... ... 25

C.4.4 Viscosidade cinemática........................... 25

C.5 Relatório......................... ................... 25

C.6 Precisão............................. ............... 26

Bibliografia..................... ....................... 27

A amostra líquida isolante é mantida a 120 ° C na presença de um catalisador de cobre sólido, enquanto se borbulha ar a um fluxo constante. O grau de estabilidade à oxidação é estimado por medição da acidez volátil, da acidez solúvel, do lodo, do fator de dissipação dielétrico ou o tempo para desenvolver uma determinada quantidade de acidez volátil (período de indução com ar).

No Anexo B informativo, há um método de ensaio para avaliar a estabilidade à oxidação de minerais dos óleos isolantes no estado fornecido pela medição do período de indução com oxigênio. O método destina-se apenas a fins de controle de qualidade. Os resultados não necessariamente fornecem informações sobre o desempenho em serviço.

A amostra de óleo é mantida a 120 ° C na presença de um catalisador de cobre sólido enquanto borbulha através de um fluxo constante de oxigênio. O grau de estabilidade à oxidação é estimado pelo tempo que o óleo leva para desenvolver a quantidade determinada de acidez volátil (período de indução com oxigênio). Critérios adicionais, tais como acidezes solúveis e voláteis, o lodo e o fator de dissipação dielétrica também podem ser determinados após uma duração especificada.

No Anexo C informativo, há um método de ensaio destinado a simular o comportamento termo-oxidativo dos líquidos isolantes de éster (espaço livre do ar a 150 ° C durante 164 h). Métodos de teste adicionais, tais como aqueles descritos no IEC TR 62036 com base no diferencial da calorimetria de varredura, também podem ser usados como ensaios de triagem, mas estão fora do escopo deste documento.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Líquidos isolantes — Determinação da rigidez dielétrica à frequência industrial — Método de ensaio
NBRIEC60156 de 08/2019

Líquidos isolantes — Determinação da rigidez dielétrica à frequência industrial — Método de ensaio

Recebimento, armazenagem, instalação e manutenção de transformadores de distribuição até a classe de tensão de 36,2 kV, imersos em líquido isolante
NBR7036 de 02/2022

Recebimento, armazenagem, instalação e manutenção de transformadores de distribuição até a classe de tensão de 36,2 kV, imersos em líquido isolante

Líquido isolante elétrico - Determinação do teor de água
NBR10710 de 05/2006

Líquido isolante elétrico - Determinação do teor de água

Líquidos isolantes sintéticos à base de hidrocarbonetos aromáticos para equipamentos elétricos
NBR16446 de 10/2015

Líquidos isolantes sintéticos à base de hidrocarbonetos aromáticos para equipamentos elétricos

Líquidos isolantes elétricos — Determinação do teor de passivador em óleo mineral isolante
NBR16270 de 01/2020

Líquidos isolantes elétricos — Determinação do teor de passivador em óleo mineral isolante

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do fator de perdas dielétricas e da permissividade relativa (constante dielétrica) - Método de ensaio
NBR12133 de 12/1991

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do fator de perdas dielétricas e da permissividade relativa (constante dielétrica) - Método de ensaio

Líquidos isolantes elétricos - Determinação da rigidez dielétrica (eletrodos de disco)
NBR6869 de 12/1989

Líquidos isolantes elétricos - Determinação da rigidez dielétrica (eletrodos de disco)

Amostragem de líquidos isolantes - Requisitos
NBR8840 de 04/2021

Amostragem de líquidos isolantes - Requisitos

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do teor de bifenilas policloradas (PCB)
NBR13882 de 09/2021

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do teor de bifenilas policloradas (PCB)

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do teor de água em materiais celulósicos impregnados com líquidos isolantes
NBR16611 de 08/2017

Líquidos isolantes elétricos - Determinação do teor de água em materiais celulósicos impregnados com líquidos isolantes

Líquidos isolantes elétricos - Determinação de enxofre corrosivo
NBR10505 de 05/2017

Líquidos isolantes elétricos - Determinação de enxofre corrosivo