Text page

NBR 11675 (MB3256) de 08/2016: a resistência aos impactos das divisórias leves internas moduladas (DLIM)

Como deve ser o dispositivo para registro gráfico dos deslocamentos transversais da DLIM? Quais devem ser os pontos destinados à aplicação dos impactos de corpo mole? Essas questões estão sendo respondidas no texto sobre as DLIM.

17/08/2016 - Equipe Target

As divisórias leves internas moduladas

A NBR 11675 (MB3256) de 08/2016 - Divisórias leves internas moduladas - Verificação da resistência aos impactos estabelece o método para verificação da resistência aos impactos das divisórias leves internas moduladas (DLIM).

Acesse algumas perguntas relacionadas com essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Como deve ser o dispositivo para registro gráfico dos deslocamentos transversais da DLIM?

Quais devem ser os pontos destinados à aplicação dos impactos de corpo mole?

A aparelhagem necessária ao ensaio inclui uma estrutura vertical em forma de quadro com altura e vãos reguláveis, apta a receber no seu contorno interno DLIM. Esta estrutura vertical, mediante enrijecimento e/ou contraventamento, deve atender aos seguintes requisitos: sob a ação de impactos de corpo mole com energia de 240 J, aplicados perpendicularmente ao plano do quadro e à meia altura dos seus montantes, os deslocamentos horizontais medidos nas regiões de aplicação dos impactos e nas extremidades dos montantes não podem ultrapassar h/2000, sendo “h” a altura livre do quadro; sob a ação de impactos de corpo mole com energia de 240 J, aplicados perpendicularmente ao plano do quadro e ao meio comprimento de suas travessas, os deslocamentos horizontais medidos nas regiões de aplicação dos impactos e nas extremidades das travessas não podem exceder a L/2000, sendo “L” o vão livre do quadro; sob a ação de seu peso próprio, a travessa superior do quadro não pode apresentar deslocamento vertical superior a L/1000, sendo “L” o vão livre do quadro; sob a ação de seu peso próprio e do peso próprio da divisória, a travessa inferior do quadro não pode apresentar deslocamento vertical superior a L/500, sendo “L” o vão livre do quadro.

Um saco cilíndrico de couro, com diâmetro aproximado de 350 mm e altura aproximada de 900 mm, contendo no seu interior areia seca e serragem, com peso total de (400 ± 4) N, para ser usado como corpo mole. Uma esfera maciça de aço, com diâmetro de aproximadamente 50 mm e peso de (5 ± 0,05) N, para ser usada como corpo duro.

Um sistema pendular constituído de um suporte com altura superior à altura da divisória e um fio de aço destinado à sustentação do saco cilíndrico e da esfera de aço. Um dispositivo para registro gráfico dos deslocamentos transversais da DLIM. Um paquímetro de profundidade com resolução igual ou inferior a 0,1 mm.

Cada corpo de prova é constituído por uma DLIM, contendo três painéis e uma porta (em um módulo extremo), montada com todos os seus componentes, de acordo com as especificações do fabricante. Em função da modulação dos painéis e da largura da porta, o corpo de prova deve ter largura de 4 L ou 5 L (sendo L a modulação da DLIM) e altura (h) de 2,45 m a 2,55 m, Em caso de DLIM que contenha em sua composição qualquer espécie de material, que, após aplicação, necessite de um período de cura, aguardar, entre o final da montagem da DLIM e o início de qualquer ensaio, o período de tempo estabelecido pelo fabricante.

Na montagem do corpo de prova, a porta deve ser instalada com a fechadura posicionada no sentido do centro da DLIM, e a complementação do módulo que a contém deve ser feita do seu lado direito. Ao órgão responsável pela execução do ensaio compete adequar a estrutura de reação às características da DLIM (dimensões, natureza dos dispositivos de fixação etc.), tentando reproduzir da melhor maneira possível as condições de contorno que são verificadas em obra.

A montagem deve ser efetuada por montadores indicados pelo solicitante do ensaio, no interior do quadro especificado em 4.1, utilizando-se todos os componentes típicos do sistema, como elementos de junta, dispositivos de fixação, peças de arremate, etc. Todos os elementos de projeto devem ser obedecidos, como folgas entre DLIM e estrutura, localização de dispositivo de fixação etc. Recomenda-se que os projetos de DLIM atendam às regras de coordenação modular da construção, quanto ao dimensionamento dos módulos padrão que fazem parte da divisória, atendendo, quando aplicável, a NBR 15873.

O módulo básico recomendado (M) é de 100 mm. Recomenda-se que quando os projetos arquitetônicos não forem coordenados modularmente, os módulos divisórios adotados sejam objeto das necessidades de cada obra e estabelecidos pelo projetista.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Móveis para escritório - Divisória tipo painel
NBR13964 de 07/2003

Móveis para escritório - Divisória tipo painel

Móveis para escritório - Divisória modular tipo piso-teto
NBR15141 de 01/2008

Móveis para escritório - Divisória modular tipo piso-teto

Divisórias leves internas moduladas - Perfis metálicos - Especificação
NBR11673 de 09/1990

Divisórias leves internas moduladas - Perfis metálicos - Especificação

Portas de madeira para edificações - Parte 1: Terminologia e simbologia
NBR15930-1 de 11/2011

Portas de madeira para edificações - Parte 1: Terminologia e simbologia

Divisórias leves internas moduladas - Verificação da resistência aos impactos
NBR11675 de 08/2016

Divisórias leves internas moduladas - Verificação da resistência aos impactos

Paredes divisórias sem função estrutural - Determinação da resistência ao fogo - Método de ensaio
NBR10636 de 05/2022

Paredes divisórias sem função estrutural - Determinação da resistência ao fogo - Método de ensaio

Coordenação modular para edificações
NBR15873 de 09/2010

Coordenação modular para edificações

Portas de madeira para edificações - Parte 2: Requisitos
NBR15930-2 de 07/2018

Portas de madeira para edificações - Parte 2: Requisitos