Text page

NBR 9452 (NB1018) de 04/2016: a inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto

O que é uma inspeção cadastral? Quais os parâmetros de avaliação das obras de arte especial (OAE)? Como deve ser feita a classificação da condição da OAE? Qual o roteiro básico e ficha para uma inspeção cadastral? Essas questões estão sendo respondidas no texto sobre a inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto.

27/04/2016 - Equipe Target

A inspeção de obras de arte especial (OAE)

A NBR 9452 (NB1018) de 04/2016 - Inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto – Procedimento especifica os requisitos exigíveis na realização de inspeções em pontes, viadutos e passarelas de concreto e na apresentação dos resultados destas inspeções. A inspeção de estruturas de concreto é um conjunto de procedimentos técnicos e especializados que compreendem a coleta de dados necessários à formulação de um diagnóstico e prognóstico da estrutura, visando manter ou reestabelecer os requisitos de segurança estrutural, de funcionalidade e de durabilidade. A norma cita a sigla OAE - Obra de Arte Especial, uma estrutura classificada como ponte, pontilhão, viaduto ou passarela.

Acesse algumas questões relacionadas com essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

O que é uma inspeção cadastral?

Quais os parâmetros de avaliação das obras de arte especial (OAE)?

Como deve ser feita a classificação da condição da OAE?

Qual o roteiro básico e a ficha para uma inspeção cadastral?

Os tipos de inspeções considerados nesta norma são: cadastral; rotineira; especial; e extraordinária. A inspeção rotineira é a de acompanhamento periódico, visual, com ou sem a utilização de equipamentos e/ou recursos especiais para análise ou acesso, realizado em prazo não superior a um ano.

Na inspeção rotineira deve ser verificada a evolução de anomalias já observadas em inspeções anteriores, bem como novas ocorrências, reparos e/ou recuperações efetuadas no período. A inspeção rotineira deve conter: introdução contendo informações básicas, como rodovia e trecho inspecionado no caso de um lote de OAEs; a classificação da OAE, conforme Seção 5; os comentários quanto a eventuais alterações do estado geral da OAE detectadas em relação à inspeção anterior; ficha de inspeção rotineira contendo registro de anomalias de acordo com o Anexo B; registro fotográfico, conforme 4.1; e demais informações consideradas importantes para a inspeção.

A inspeção especial deve ter uma periodicidade de cinco anos, podendo ser postergada para até oito anos, desde que se enquadre concomitantemente aos seguintes casos: obras com classificação de intervenção de longo prazo (notas de classificação 4 e 5, conforme Tabela 1 na norma); obras com total acesso a seus elementos constituintes na inspeção rotineira.

A inspeção especial deve ser pormenorizada e contemplar mapeamento gráfico e quantitativo das anomalias de todos os elementos aparentes e/ou acessíveis da OAE, com o intuito de formular o diagnóstico e prognóstico da estrutura. Pode ser necessária a utilização de equipamentos especiais para acesso a todos os componentes da estrutura, lateralmente e sob a obra e, se for o caso, internamente, no caso de estruturas celulares. Para elementos submersos, a inspeção subaquática deve ser realizada conforme Anexo F.

A inspeção especial deve ser feita antecipada quando: a inspeção anterior indicar uma classificação de intervenção em curto prazo (notas de classificação 1 e 2, conforme Tabela 1) nos seus parâmetros de desempenho estrutural e de durabilidade; forem previstas adequações de grande porte, como alargamentos, prolongamentos, reforços e elevação de classe portante. O procedimento para a inspeção especial deve seguir o roteiro apresentado no Anexo D.

A inspeção extraordinária é gerada por uma das demandas não programadas a seguir, associadas ou não: necessidade de avaliar com mais critério um elemento ou parte da OAE, podendo ou não ser gerada por inspeção anterior; ocorrência de impacto de veículo, trem ou embarcação na obra; ocorrência de eventos da natureza, como inundação, vendaval, sismo e outros.

A inspeção extraordinária deve ser apresentada em relatório específico, com descrição da obra e identificação das anomalias, incluindo mapeamento, documentação fotográfica e terapia recomendada. Pode ser necessária a utilização de equipamentos especiais para acesso ao elemento ou parte da estrutura.

Para elementos submersos, a inspeção subaquática deve ser realizada conforme Anexo F. O fluxograma de do Anexo C orienta os passos decisórios para as inspeções a serem realizadas. As OAEs devem ser classificadas segundo os parâmetros estrutural, funcional e de durabilidade e a gravidade dos problemas detectados, respeitando as Normas Brasileiras aplicáveis em cada caso.

Os parâmetros estruturais são aqueles relacionados à segurança estrutural da OAE, ou seja, referentes à sua estabilidade e capacidade portante, sob o critério de seus estados limites último e de utilização, conforme NBR 6118. Sob o ponto de vista de prioridades de ações de recuperação, é frequente estes parâmetros serem objeto de maior atenção, notadamente quando a obra apresenta sintomatologia já visualmente detectável de desempenho estruturalmente anômalo.

Por parâmetros funcionais entendem-se aqueles aspectos da OAE relacionados diretamente aos fins a que ela se destina, devendo, para tanto, possuir requisitos geométricos adequados, como: visibilidade, gabaritos verticais e horizontais. Deve proporcionar também conforto e segurança a seus usuários, apresentando, por exemplo, guarda-corpos íntegros, ausência de depressões e/ou buracos na pista de rolamento e sinalização adequada.

Designam-se por parâmetros de durabilidade aquelas características das OAE diretamente associadas à sua vida útil, ou seja, com o tempo estimado em que a estrutura deve cumprir suas funções em serviço. A inspeção subaquática é a detalhada dos elementos submersos da OAE, com o intuito de detectar e identificar as anomalias eventualmente existentes.

As inspeções subaquáticas devem ser consideradas como parte integrante das inspeções especiais, quando realizadas em intervalos regulares, ou extraordinárias, quando realizadas em situações excepcionais decorrentes de alterações ambientais ou acidentes. As anomalias detectadas na inspeção subaquática devem ser registradas por recursos de mídia, além de toda documentação descrita no Anexo D. Na execução da inspeção subaquática devem ser observadas as recomendações das normas regulamentadoras de segurança pertinentes ao assunto.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Concreto - Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto - Parte 2: Resistência à tração na flexão
NBR7680-2 de 02/2015

Concreto - Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto - Parte 2: Resistência à tração na flexão

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 2: Elementos inertes para enchimento e fôrma — Requisitos
NBR14859-2 de 01/2016

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 2: Elementos inertes para enchimento e fôrma — Requisitos

Forças devidas ao vento em edificações
NBR6123 de 06/1988

Forças devidas ao vento em edificações

Projeto de estruturas resistentes a sismos - Procedimento
NBR15421 de 10/2006

Projeto de estruturas resistentes a sismos - Procedimento

Ações para o cálculo de estruturas de edificações
NBR6120 de 09/2019

Ações para o cálculo de estruturas de edificações

Concreto para fins estruturais - Classificação pela massa específica, por grupos de resistência e consistência - Concrete for structural use - Density, strength and consistence classification
NBR8953 de 01/2015

Concreto para fins estruturais - Classificação pela massa específica, por grupos de resistência e consistência - Concrete for structural use - Density, strength and consistence classification

Concreto de cimento Portland - Preparo, controle, recebimento e aceitação - Procedimento
NBR12655 de 02/2022

Concreto de cimento Portland - Preparo, controle, recebimento e aceitação - Procedimento

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 3: Armadura treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas — Requisitos
NBR14859-3 de 12/2017

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 3: Armadura treliçadas eletrossoldadas para lajes pré-fabricadas — Requisitos

Concreto — Determinação da resistência à tração na flexão de corpos de prova prismáticos
NBR12142 de 10/2010

Concreto — Determinação da resistência à tração na flexão de corpos de prova prismáticos

Cimento Portland branco
NBR12989 de 07/2018

Cimento Portland branco

Concreto - Determinação dos módulos estáticos de elasticidade e de deformação à compressão
NBR8522 de 08/2021

Concreto - Determinação dos módulos estáticos de elasticidade e de deformação à compressão

Concreto endurecido - Determinação da velocidade de propagação de onda ultrassônica
NBR8802 de 02/2019

Concreto endurecido - Determinação da velocidade de propagação de onda ultrassônica

Ações e segurança nas estruturas - Procedimento
NBR8681 de 03/2003

Ações e segurança nas estruturas - Procedimento

Projeto de estruturas de concreto em situação de incêndio
NBR15200 de 04/2012

Projeto de estruturas de concreto em situação de incêndio

Avaliação da conformidade — Requisitos gerais para organismos que certificam pessoas
NBRISO/IEC17024 de 11/2013

Avaliação da conformidade — Requisitos gerais para organismos que certificam pessoas

Inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto - Procedimento
NBR9452 de 09/2019

Inspeção de pontes, viadutos e passarelas de concreto - Procedimento

Cimento Portland de baixo calor de hidratação
NBR13116 de 07/2018

Cimento Portland de baixo calor de hidratação

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis - Requisitos
NBR14859-1 de 01/2016

Lajes pré-fabricadas de concreto - Parte 1: Vigotas, minipainéis e painéis - Requisitos

Concreto - Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto - Parte 1: Resistência à compressão axial
NBR7680-1 de 01/2015

Concreto - Extração, preparo, ensaio e análise de testemunhos de estruturas de concreto - Parte 1: Resistência à compressão axial

Concreto endurecido — Avaliação da dureza superficial pelo esclerômetro de reflexão — Método de ensaio
NBR7584 de 12/2012

Concreto endurecido — Avaliação da dureza superficial pelo esclerômetro de reflexão — Método de ensaio

Inspeção de estruturas de concreto — Qualificação e certificação de pessoal — Requisitos
NBR16230 de 10/2013

Inspeção de estruturas de concreto — Qualificação e certificação de pessoal — Requisitos

Projeto de estruturas de concreto — Procedimento
NBR6118 de 04/2014

Projeto de estruturas de concreto — Procedimento