Text page

A tecnologia LED usada na iluminação pública

Já vem sendo aplicada a tecnologia LED na iluminação pública, com o objetivo de avaliar uma possível substituição das luminárias com lâmpadas a vapor de sódio de 70 W por uma luminária a LED. Um dos grandes benefícios que possivelmente decorrerá da utilização em larga escala desse tipo de iluminação será a diminuição do consumo de energia elétrica.

14/05/2014 - Equipe Target

Lâmpadas LED para iluminação pública

O LED (do inglês Light Emission Diode, diodo emissor de luz) é um dispositivo eletrônico semicondutor, que quando polarizado diretamente, dentro do semicondutor ocorre a recombinação de lacunas e elétrons. Essa recombinação exige que a energia armazenada por esses elétrons sejam liberadas na forma de calor ou luz devido à passagem da corrente elétrica na junção anodo para o catodo.

Diferente de uma lâmpada comum, o LED não possui filamento, o grande responsável por converter a maior parte da energia elétrica em energia térmica (calor) que significa desperdício, pois o objetivo é iluminar e não aquecer. Este é capaz de produzir muito mais luz visível do que calor ao ser comparado com uma lâmpada incandescente, o que o torna mais eficiente chegando a economizar 50% da energia comparada às fontes tradicionais.

A estrutura básica de um LED é uma pastilha semicondutora sob uma superfície refletora em forma de concha, envolvida por uma resina que direciona o feixe luminoso. Existem várias normas que estabelecem os requisitos das Lâmpadas LED (clique no link para conhecer e pesquisar).Por isso a tecnologia está em franca expansão, ficando melhor e mais barata.

Na cidade de São Paulo, já há locais onde foram instalados esse tipo de iluminação. Os primeiros locais escolhidos são os que costumam ter circulação de pessoas à noite, para que a tecnologia seja testada pela população. Atualmente, São Paulo possui 510 mil pontos de iluminação pública, com 560 mil lâmpadas.

A intenção é trocar as 260 mil lâmpadas de vapor de mercúrio ainda existentes por lâmpadas de vapor metálico, de vapor de sódio e por LEDs. Uma das vantagens é que a necessidade de manutenção é bem menor. E, apesar de os sistemas com LED responderem hoje por apenas 10% do mercado de iluminação no Brasil, a tendência é de grande crescimento.

Os LEDs – diodos emissores de luz – não contêm mercúrio nem materiais a base de chumbo e cádmio, que podem contaminar. Além disso, podem ser reciclados. Esse tipo de iluminação consome até 80% menos energia e dura 25 vezes mais que as lâmpadas incandescentes e 5 vezes mais que as fluorescentes compactas. Em aplicações residenciais, podem durar até 25 anos.

Na verdade, os sistemas de iluminação pública no Brasil têm recebido investimentos para ampliar o acesso da população a este serviço e elevar a sua qualidade, com níveis adequados de iluminação e viabilizando mais conforto e segurança aos usuários dos logradouros públicos. Além disso, outra motivação para estes investimentos está na necessidade da utilização de sistemas cada vez mais eficientes, proporcionando uma redução no consumo de energia quando comparado aos antigos equipamentos instalados.

Como uma das tecnologias que permitem aliar conforto, segurança e redução de consumo de energia quando aplicada à iluminação pública, o LED tem sido considerado como uma das possibilidades mais promissoras atualmente. Nesse sentido, diversas instalações têm sido implantadas visando mostrar os benefícios que esta tecnologia pode proporcionar. O que se percebe, no entanto, é que não têm sido desenvolvido estudos mais aprofundados quanto aos resultados efetivos da aplicação da tecnologia LED nessas instalações.

Segundo os especialistas, há vários benefícios com a implantação desses novos sistemas: aspectos econômicos: redução de consumo de energia e consequente dispêndio financeiro; redução de custos de operação, manutenção e descarte; possibilidade de fácil monitoramento e gestão do sistema; aspectos qualitativos: melhor qualidade de luz (temperatura de cor, índice de reprodução de cor); elementos esteticamente mais agradáveis e adequados ao mobiliário urbano; e aspectos quantitativos: níveis adequados de iluminância; pouco ofuscamento; pouca luz intrusiva; baixa poluição luminosa.

Igualmente, os cidadãos receberão benefícios diretos da nova tecnologia, pois a uniformidade da luz e a melhor identificação das cores contribuem para aumentar a visibilidade e a sensação de segurança, tanto para o trânsito de carros como para as pessoas. Nas vias de tráfego de veículos, a iluminação LED facilita a identificação de obstáculos e da presença de pedestres, além de ampliar a visão do entorno e o tempo de reação do motorista para paradas seguras. Somam-se a tudo isso as características positivas como conforto visual, valorização do local, redução nos gastos com manutenção, recuperação de áreas degradadas, atração de novas oportunidades para o comércio, garantia de maior segurança para a sociedade e diminuição do impacto ao meio ambiente.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Iluminação pública — Procedimento
NBR5101 de 10/2018

Iluminação pública — Procedimento

Luminárias para iluminação pública — Requisitos particulares
NBR15129 de 07/2012

Luminárias para iluminação pública — Requisitos particulares

Sistemas de iluminação de túneis — Requisitos
NBR5181 de 04/2013

Sistemas de iluminação de túneis — Requisitos