Text page

NBR 15830: a classificação, terminologia e identificação dos amortecedores da suspensão

Essa norma estabelece a classificação, a terminologia e a identificação de amortecedores da suspensão utilizados em veículos rodoviários automotores.

07/05/2014 - Equipe Target

Amortecedores de suspensão

A NBR 15830 de 04/2014 - Veículos rodoviários automotores - Amortecedor da suspensão - Classificação, terminologia e identificação estabelece a classificação, terminologia e identificação de amortecedores da suspensão utilizados em veículos rodoviários automotores. Um amortecedor é um dispositivo, geralmente hidráulico, utilizado para amortecer ou reduzir as oscilações da suspensão durante sua movimentação, com o objetivo de manter os pneus em contato com o solo, para proporcionar maior estabilidade, conforto e segurança.

Os amortecedores são classificados basicamente quanto a alguns itens. Quanto à sua forma física: amortecedor convencional - que não tem função estrutural na suspensão do veículo, sendo comum que os amortecedores traseiros de moto tenham mola externa ao corpo da peça; amortecedor estrutural, que é parte integrante do sistema de suspensão e rígido o suficiente para resistir às forças laterais, elevadas nas situações dinâmicas de curvas, aceleração e frenagem, sendo geralmente utilizado nas suspensões dianteiras nos veículos; amortecedor semiestrutural que possui características tanto do amortecedor convencional, como do amortecedor estrutural, sendo é parte integrante do sistema de suspensão, porém com menor resistência às forças laterais; amortecedor tipo cartucho que, quando montado na carcaça da suspensão, transforma-se em um amortecedor estrutural.

Quanto à pressurização, existe o amortecedor hidráulico não pressurizado, que possui internamente apenas óleo e ar à pressão atmosférica; o amortecedor hidráulico pressurizado que possui internamente óleo e gás (geralmente nitrogênio) em uma pressão superior à pressão atmosférica. Esta pressão interna varia de acordo com a especificação de cada fabricante.

Podem ser construído como monotubo, que é um amortecedor telescópico, com apenas um tubo, onde o pistão flutuante e o pistão, que é fixo à extremidade da haste, trabalham. Neste mesmo tubo também fica localizada uma das fixações do amortecedor. O bitubo é um amortecedor telescópico, com um tubo reservatório e um tubo de pressão, onde o pistão trabalha. Uma das fixações do amortecedor é localizada no tubo reservatório.

O tritubo é um amortecedor telescópico, com dois tubos reservatórios e um tubo de pressão, onde o pistão trabalha. Uma das fixações do amortecedor é localizada no tubo reservatório externo. Os amortecedores especiais adotam basicamente as mesmas características já mencionadas, mas existem as seguintes classes: amortecedor eletrônico; amortecedor com fluidos especiais (por exemplo, fluido magneto-reológico); amortecedor nivelador de suspensão.

Os amortecedores devem estar identificados, na parte externa, de forma clara, visível e indelével, com as seguintes informações: nome do fabricante ou distribuidor; código da data de fabricação da peça; código da peça; e em caso de amortecedor pressurizado, deve ser incluída a nota que especifique: COM GÁS, NÃO AQUECER, NÃO ABRIR, ou terminologia ou simbologia com o mesmo significado, preferencialmente em português e opcionalmente em espanhol ou inglês.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Veículos rodoviários automotores — Amortecedor da suspensão — Verificação de desempenho e durabilidade — Método de ensaio
NBR13308 de 04/2014

Veículos rodoviários automotores — Amortecedor da suspensão — Verificação de desempenho e durabilidade — Método de ensaio

Amortecedores da direção - Verificação do desempenho e durabilidade
NBR7330 de 09/2012

Amortecedores da direção - Verificação do desempenho e durabilidade