Text page

BS 7910: um guia para avaliar a aceitabilidade de falhas em estruturas metálicas

Essa norma, revisada pelo BSI em 2013, oferece orientações e recomendações para a avaliação da aceitabilidade de falhas em todos os tipos de estruturas e componentes.

27/03/2014 - Equipe Target

A aceitação de falhas em estruturas metálicas

A BS 7910:2013 - Guide to methods for assessing the acceptability of flaws in metallic structures é uma norma britânica recém-revisada que dá orientações e recomendações para a avaliação da aceitabilidade de falhas em todos os tipos de estruturas e componentes. Embora a ênfase seja colocada nas fabricações soldadas em aços ferríticos e austeníticos e ligas de alumínio, os procedimentos podem ser utilizados para a análise de falhas em estruturas feitas a partir de outros materiais metálicos e de componentes ou estruturas não soldadas.

Os métodos descritos são aplicáveis ??ao projeto, fabricação e as fases operacionais da vida de uma estrutura. Quando for necessário examinar criticamente a integridade das estruturas novas ou existentes, o uso de testes não destrutivos (non-destructive testing - NDT) para os níveis de aceitação são necessários para todas as falhas que poderiam ser reveladas. Estas, muitas vezes, já existem nos níveis de controle de qualidade (por exemplo, em um código de construção), no entanto, nesta norma a derivação de níveis de aceitação para falhas é baseada no princípio da aptidão por serviço.

Por este princípio, uma estrutura é considerada adequada para a sua finalidade, desde que as condições para causar a falha não são atingidos. A distinção tem de ser feita entre a aceitação com base em controle de qualidade e aceitação com base na aptidão por serviço.

A qualidade dos níveis de controle são geralmente tanto arbitrária como conservadora, mas é de valor considerável no monitoramento e na manutenção da qualidade durante a produção. As falhas que são menos graves do que tais níveis de controle de qualidade, por exemplo nos códigos de construção vigentes, são aceitáveis, sem uma análise mais aprofundada.

Se as falhas são mais graves do que os níveis de controle de qualidade, a rejeição não é necessariamente automática. As decisões sobre se a rejeição, uma queda de classificação e/ou reparos são necessários podem ser baseadas em serviço de adequação, seja em função da experiência adquirida anteriormente documentada com material similar, stress e ambientais ou combinações com base em uma avaliação crítica da engenharia.

É com este último que este documento está em causa. É de realçar, no entanto, que a proliferação de defeitos, mesmo que tenham sidos considerados aceitáveis pela engenharia, é considerada como uma indicação de que a qualidade é a necessidade de melhoria.

O uso de uma avaliação da engenharia não se destina a ser considerada como uma alternativa ao bom acabamento. A resposta a falhas que não correspondam aos critérios de acabamento deve ser a correção da falha no processo fazendo com que a não conformidade. Os métodos abrangidos por esta norma britânica são complementares, e não um substituto para um acabamento de boa qualidade.

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Materiais metálicos revestidos e não-revestidos - Corrosão por exposição à névoa salina cuproacética - Método de ensaio
NBR8824 de 04/1985

Materiais metálicos revestidos e não-revestidos - Corrosão por exposição à névoa salina cuproacética - Método de ensaio

Desenho técnico - Representação simplificada em estruturas metálicas
NBR14611 de 10/2000

Desenho técnico - Representação simplificada em estruturas metálicas

Elementos de fixação dos componentes das estruturas metálicas
NBR9971 de 05/2015

Elementos de fixação dos componentes das estruturas metálicas

Ensaios não destrutivos — Terminologia - Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas
NBR16079-1 de 07/2012

Ensaios não destrutivos — Terminologia - Parte 1: Descontinuidades em juntas soldadas

Materiais metálicos - Parte 1: Ensaio de impacto por pêndulo Charpy
NM281-1 de 03/2019

Materiais metálicos - Parte 1: Ensaio de impacto por pêndulo Charpy