Text page

Piscinas devem ser construídas obrigatoriamente conforme as normas técnicas

O Brasil está em segundo lugar no ranking mundial de nações com piscinas em residência, mas poucos sabem ao certo quais os riscos de uma piscina mal construída. Por isso, o importante é que todos os projetos sejam feitos de acordo com as normas técnicas.

16/01/2014 - Equipe Target

As normas para a construção de piscinas

Atualmente, as piscinas de alvenaria, feitas com base de concreto, custam até quatro vezes mais do que as de outros materiais, porém são infinitamente mais duráveis. O tempo de duração da construção também é mais demorado, mas em compensação a piscina pode ser totalmente de acordo com o gosto do cliente, desde o formato em si às bordas. Um detalhe importante é que, se mal construídas, os reparos podem ser bem trabalhosos e difíceis.

As piscinas de fibra ou vinil são fabricadas por dezenas de empresas diferentes e isso faz com que os seus preços sejam variados, além de suas formas e modelos. As piscinas deste material são bem mais baratas e muito duráveis. A única desvantagem delas é a possibilidade zero de customização: não há como decorar bordas, fundo ou até mesmo o formato. O ponto positivo das piscinas de fibra ou vinil é a rapidez na sua instalação: com uma mão de obra especializada, este tipo de piscina pode ser rapidamente instalado, com o mínimo de dor de cabeça para o futuro proprietário.

A NBR 10819 de 11/1989 - Projeto e execução de piscina (casa de máquinas, vestiários e banheiros) fixa as condições exigíveis para projeto e construção de casas de máquinas, vestiários e banheiros de piscinas. Segundo a norma, a casa de máquinas deve ter fácil acesso, para possibilitar livre entrada e retirada de equipamentos; ser iluminada e ventilada; dispor de espaço suficiente para todos os equipamentos; e permitir a circulação para manutenção e operação.

Os pisos devem ser laváveis, não absorventes, e possuir sistema de drenagem. As paredes devem ser tratadas, a fim de não absorver umidade. As portas devem abrir para o exterior e ter suas dimensões compatíveis com as dos equipamentos, tendo a largura mínima de 0,80 m. O pé direito deve adequar-se ao equipamento, não podendo ser inferior a 2,30 m.

Os compartimentos da casa de máquinas devem ter área de ventilação permanente mínima para o exterior igual a 1/4 da área do piso, ou ser dotados de sistema mecânico equivalente de ventilação. Deve ser prevista iluminação artificial que permita nível de iluminamento não inferior a 250 lux. Quando construída abaixo do nível do solo, a casa de máquinas deve ter sua estrutura impermeabilizada e protegida contra inundações. Deve possuir poço ou caixa de captação, abaixo do nível do piso, que permita a sucção da água acumulada.

Quando houver utilização de cloro na forma de gás, os cilindros de cloro e o clorador devem ser instalados em compartimento exclusivo. Além da ventilação natural, deve haver a forçada, produzida por exaustor ou insuflador, o qual deve ter a capacidade de atravessar, rente ao piso, todo o ar necessário para ventilar e renovar o ambiente, no tempo máximo de 4 min. À entrada do compartimento devem existir máscara autônoma, kit para eventuais reparos dos cilindros de cloro e cartaz contendo instruções de procedimentos em caso de vazamento.

As instalações elétricas e o seu aterramento devem ser dimensionados de acordo com a NBR 5410 - de 09/2004 - Instalações elétricas de baixa tensão que estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens. Aplica-se principalmente às instalações elétricas de edificações, qualquer que seja seu uso (residencial, comercial, público, industrial, de serviços, agropecuário, hortigranjeiro, etc.), incluindo as pré-fabricadas. Os quadros de força e de comando devem ser instalados próximos à porta de acesso. No compartimento de cloro gás, os interruptores devem ser instalados externamente.

Quanto aos vestiários, o piso deve ser de material resistente, lavável, não absorvente, antiderrapante e não agressivo ao contato com a pele, e possuir declividade mínima de 2% nos boxes e de 1% nas demais áreas, impossibilitando o empoçamento de água. É vedado o uso de estrados de madeira. A iluminação artificial deve assegurar um nível de iluminamento mínimo de 250 lux.

Outra norma técnica a ser cumprida é a NBR 10339 de 06/1988 - Projeto e execução de piscina - sistema de recirculação e tratamento que fixa as condições exigíveis quanto à maneira e aos critérios pelos quais devem ser projetados e construídos os sistemas de recirculação e tratamento de água de piscinas, para atender às exigências técnicas de higiene, segurança e conforto dos usuários.

Enfim, um detalhe importante na construção é a contratação dos serviços de mão de obra para a instalação da piscina. O consumidor deve deixar explícito no contrato quem será o responsável em cavar o buraco no terreno e fornecer o material para concretizar a obra. A responsabilidade de instalação da piscina é da empresa revendedora. Porém, deve estar em contrato de quem é a responsabilidade da contratação da mão de obra.

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Assentamento de azulejos - Procedimento
NBR8214 de 10/1983

Assentamento de azulejos - Procedimento

Qualidade da água de piscina - Procedimento
NBR10818 de 01/2016

Qualidade da água de piscina - Procedimento

Segurança e higiene de piscinas
NBR11238 de 09/2018

Segurança e higiene de piscinas