Text page

NBR 16104: a detecção de alimentos irradiados usando a técnica de epifluorescência

Essa norma especifica um método de varredura microbiológico para a detecção do tratamento por radiação de ervas e especiarias, usando a técnica de epifluorescência direta em filtro (DEFT) e a contagem padrão em placas (APC).


04/10/2012 - Equipe Target

A detecção de alimentos irradiados

A NBR 16104 de 09/2012 - Produtos alimentícios - Detecção de alimentos irradiados usando a técnica de epifluorescência direta em filtro e contagem-padrão em placas de microrganismos aeróbios viáveis (DEFT/APC) - Método de varredura (clique no link para mais informações) descreve um método de varredura microbiológico para a detecção do tratamento por radiação de ervas e especiarias, usando a técnica de epifluorescência direta em filtro (DEFT) e a contagem padrão em placas (APC). A técnica DEFT/APC não é específica para radiação, portanto, é recomendada a confirmação de resultados positivos usando um método normalizado para provar especificamente o tratamento por radiação de um alimento suspeito.

O método está baseado na comparação da contagem padrão em placas (APe) com a contagem obtida usando DEFT. A APC fornece o número de microrganismos viáveis na amostra após uma possível irradiação e a contagem DEFT indica o número total de microrganismos, incluindo células não viáveis, presentes na amostra. A diferença entre a contagem DEFT e a APC em especiarias tratadas com doses de 5 kGy a 10 kGy é geralmente ao redor ou maior que três a quatro unidades logarítmicas.

Diferenças similares entre as contagens DEFT e APC podem ser induzidas por outros tratamentos de alimentos que acarretam a morte dos microrganismos, como, por exemplo, o calor; assim, resultados positivos devem ser confirmados. Um volume conhecido de amostra é filtrado através de uma membrana de filtro à pressão reduzida para concentrar os microrganismos no filtro. Os microrganismos são corados com um fluorocromo, o alaranjado de acridina , resultando em uma fluorescência laranja ou laranja amarelada sob iluminação com luz azul de 450 nm a 490 nm. Estes microrganismos são contados usando um microscópio de epifluorescência para dar a contagem DEFT. Entretanto, aqueles microrganismos que estavam não viáveis antes da irradiação mostram uma fluorescência verde e não são contados. Em paralelo, a APC é determinada com uma segunda porção da mesma amostra de ensaio.

São necessários os equipamentos e materiais habituais de laboratório de acordo com a ISO 7218 e, em particular, os descritos em 4.1 a 4.24: 4.1 Equipamento para filtração em membrana das suspensões de amostra, feito de aço inoxidável ou vidro, com a parte inferior de vidro sinterizado ou aço inoxidável, destinados para membranas de filtro de policarbonato com um diâmetro de 25 mm (4.5), e com volume da torre do filtro de pelo menos 10 mL; 4.2 Funil de filtro e frascos de sucção apropriados, feitos de vidro para a filtração estéril de reagentes e diluentes; 4.3 Membranas de filtro de éster celulose ou similares, com tamanho de poro de 0,2 !1m, por exemplo, de 30 mm e/ou 47 mm de diâmetro, para a filtração estéril de reagentes; 4.4 Membrana de filtro de polipropileno (prefiltro), com diâmetro 25 mm e tamanho de poro de 10 !1m para a prefiltração de amostras; 4.5 Membrana de filtro de policarbonato branco, com diâmetro 25 mm e tamanho de poro de 0,6 !1m para a filtração de membrana de uma solução da amostra de ensaio; 4.6 Papel para filtração rápida, para amostras de especiarias; 4.7 Microscópio de epifluorescência, com combinação de filtros e luz apropriada (450 nm a 490 nm); 4.8 Lentes, objetiva de imersão de 100 x e ocular com aumento de 10 x (usando um tubo com aumento de 1,25, um aumento total de 1 250 x é conseguido); 4.9 Lâminas de microscópio, por exemplo, de 76 mm x 26 mm; 4.10 Lamínulas, por exemplo, de 25 mm x 50 mm, com uma espessura correspondente às necessidades da lente objetiva; 4.11 Óleo de imersão não fluorescente, com índice de refração de 1,515 a 1,518; 4.12 Micrômetro de plataforma, com graduações de 0,01 mm, para medição do diâmetro do campo de visão do microscópio; 4.13 Autoclave, para esterilização dos diluentes e meio de cultura; 4.14 Forno, para esterilização por calor seco das vidrarias; 4.15 Vórtex, para mistura da suspensão de amostra e diluentes; 4.16 Recipiente para banho-maria, para manutenção do meio de cultura na temperatura adequada; 4.17 Incubadora, capaz de manter a temperatura de 30°C ± 1°C; 4.18 Garrafas de vidro, com tampas de rosca, para armazenamento de reagentes (DEFT); 4.19 Tubos de ensaio para APC, para diluição seriada da solução da amostra de ensaio; 4.20 Pipetas, de 1 mL, 2 mL, 5 mL e 20 mL; 4.21 Placas de Petri para APC, com diâmetro de 90 mm; 4.22 Contador de colônias para APC; 4.23 Pinças; 4.24 Instrumentos opcionais e equipamentos para contagem DEFT semiautomática ou automática, consistem em um analisador de imagens, videocâmara para microscópio, monitor de TV, teclado e impressora, microscópio autofoco (automático), charriot (automático).

FONTE: Equipe Target

Anúncio fixo da norma NBRISO9001 Chegou o novo app Target GEDWeb!
Busque e visualize suas normas ABNT NBR NM
Recursos exclusivos de busca, leitura por voz,
acesso off-line, navegação por setor e muito mais!
Produto/Serviço relacionado à NBRISO9001

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Produtos alimentícios – Detecção de alimentos irradiados que contém gordura – Método de análise de hidrocarbonetos por cromatografia gasosa
NBR15913 de 01/2011

Produtos alimentícios – Detecção de alimentos irradiados que contém gordura – Método de análise de hidrocarbonetos por cromatografia gasosa

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados utilizando luminescência fotoestimulada
NBR15886 de 10/2010

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados utilizando luminescência fotoestimulada

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados que contêm celulose — Método por espectroscopia de ressonância paramagnética eletrônica (RPE)
NBR15887 de 10/2010

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados que contêm celulose — Método por espectroscopia de ressonância paramagnética eletrônica (RPE)

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados que contêm açúcar cristalizado por espectrometria de ressonância paramagnética eletrônica (RPE)
NBR15851 de 06/2010

Produtos alimentícios — Detecção de alimentos irradiados que contêm açúcar cristalizado por espectrometria de ressonância paramagnética eletrônica (RPE)