Text page

Como executar corretamente a higienização de sistemas de condicionamento de ar

A NBR 14679, editada em 2012, estabelece os procedimentos e diretrizes mínimas para execução dos serviços de higienização corretiva de sistemas de tratamento e distribuição de ar caracterizados como contaminados por agentes microbiológicos, físicos ou químicos.


06/08/2012 - Equipe Target

Os problemas de saúde dos sistemas de condicionamento de ar

O ser humano ao respirar cerca de 20 mil vezes por dia em um ar climatizado artificialmente pode ter problemas de saúde, principalmente quando não são tomados os cuidados necessários. O funcionamento adequado do seu ar condicionado depende diretamente da sua manutenção apropriada. A norma NBR 14679 estabelece os procedimentos e diretrizes mínimas para execução dos serviços de higienização corretiva de sistemas de tratamento e distribuição de ar caracterizados como contaminados por agentes microbiológicos, físicos ou químicos.

Dessa forma, o fornecedor do serviço de higienização dos sistemas de condicionamento de ar e ventilação deve: apresentar o escopo detalhado dos serviços de acordo com as conclusões do relatório da vistoria prévia, incluindo metodologia de execução, equipamentos e produtos a serem utilizados,bem como o método de avaliação dos resultados; ter responsável técnico com registro no Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA) para atuar em sistemas de ventilação e tratamento de ar; apresentar os seguintes documentos: Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO) conforme legislação vigente; Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) conforme legislação vigente, incluindo certificado de treinamento de trabalho em altura (NR18) e certificado de treinamento em espaços confinados (NR 33) para serviços de higienização de dutos, quando aplicável; Certificados de treinamento dos profissionais qualificados; Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do serviço a ser executado, emitida junto ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia; possuir e fornecer todos os equipamentos especializados para execução adequada dos serviços de higienização requeridos; empregar mão de obra qualificada e assegurar que seus funcionários tenham recebido treinamento para utilizar os equipamentos e os produtos especializados necessários à execução dos serviços e também respeitando as normas de segurança do trabalho vigentes; utilizar produtos químicos adequados, devidamente registrados ou notificados no Ministério da Saúde e de acordo com as recomendações do fabricante, fornecendo ficha técnica e Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ).

Antes do início dos trabalhos de higienização, o fornecedor deve efetuar uma análise dos desenhos fornecidos pelo cliente, para determinar os métodos a serem utilizados, as ferramentas e os equipamentos necessários para a realização adequada dos serviços. Deve ser estabelecido, em comum acordo com o cliente, um cronograma determinando o início e o fim de cada fase da higienização. Todos os registros de vazão de ar, adotados para fins de balanceamento, devem ter suas posições originais identificadas para serem reposicionadas como originalmente, após as intervenções de higienização. Os profissionais qualificados devem executar a remoção das sujidades e depósitos presentes nos equipamentos, acessórios e componentes das redes de distribuição de ar, desde que sejam acessíveis para higienização, como: difusores, grelhas e outros acessórios; tomadas de ar exterior, incluindo venezianas e registros; salas de máquinas, quando utilizadas como plenum de retorno e/ou tomada de ar exterior do sistema; filtros de ar, providenciando a sua substituição se necessária; registros corta-fogo, verificando especialmente se há depósitos de sujeira no batente de encosto das lâminas; caixas de volume de ar variável (VAV) e atenuadores de ruído; interior dos gabinetes de tratamento de ar, incluindo revestimento interno dos painéis, serpentinas, volutas e rotores de ventiladores e bandeja de condensados; sistema de drenagem de condensados, verificando se está com caimento adequado e selos hídricos suficientes para impedir a retenção da água na bandeja e qualquer aspiração de contaminantes; superfícies úmidas, como aletas e bandeja. A eficácia do trabalho executado deve ser comprovada por laudos microbiológicos do ar ambiente e da água da bandeja, emitidos por laboratório legalmente habilitado, independente do fornecedor e pela observação visual do sistema.

As salas de máquinas e os equipamentos devem ser limpos, não sendo admissíveis sinais de umidade, mofo, bolor ou fungos nas paredes, pisos e tetos. As tomadas de ar exterior devem ser limpas, eliminando-se qualquer acúmulo de poeira e detritos. Os filtros de ar saturados devem ser substituídos ou regenerados, de acordo com as instruções do fabricante. Deve-se verificar se estão firmemente assentados nas suas molduras, sem possibilidade de vazamentos. As serpentinas devem ser limpas por métodos que possibilitem remover totalmente os depósitos de biofilme ou sujeira, sem ocasionar danos mecânicos ou corrosão e sem prejudicar a troca térmica. Após a limpeza, as serpentinas devem ser enxaguadas com água limpa, a fim de remover qualquer resíduo. As bandejas de recolhimento de água devem ser limpas de forma a remover todo e qualquer acúmulo de lodo ou sujeira. Após a limpeza, as bandejas devem ser enxaguadas com água limpa, a fim de remover qualquer resíduo.

Mais informações sobre a norma, clique no link NBR 14679 de 06/2012 - Sistemas de condicionamento de ar e ventilação - Execução de serviços de higienização

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Instalações de ar-condicionado - Sistemas centrais e unitários - Parte 3: Qualidade do ar interior
NBR16401-3 de 08/2008

Instalações de ar-condicionado - Sistemas centrais e unitários - Parte 3: Qualidade do ar interior

Sistemas de refrigeração, condicionamento de ar, ventilação e aquecimento — Manutenção programada
NBR13971 de 01/2014

Sistemas de refrigeração, condicionamento de ar, ventilação e aquecimento — Manutenção programada

Equipamentos de fluxo unidirecional (EFU) — Requisitos e métodos de ensaio
NBR15767 de 10/2009

Equipamentos de fluxo unidirecional (EFU) — Requisitos e métodos de ensaio

Sistemas de ar condicionado e ventilação – Procedimentos e requisitos relativos às atividades de construção, reformas, operação e manutenção das instalações que afetam a qualidade do ar interior (QAI)
NBR15848 de 06/2010

Sistemas de ar condicionado e ventilação – Procedimentos e requisitos relativos às atividades de construção, reformas, operação e manutenção das instalações que afetam a qualidade do ar interior (QAI)