Text page

Equipamentos de infraestrutura de serviços de saúde

A norma NBR 15943:2011 - Diretrizes para um programa de gerenciamento de equipamentos de infraestrutura de serviços de saúde e de equipamentos para a saúde entrará em vigor a partir de 28 de maio de 2011 e estabelece os componentes mínimos de um programa de gerenciamento de equipamentos de saúde.

07/06/2011 - Equipe Target

Gerenciando os equipamentos de infraestrutura de serviços de saúde

Os equipamentos para saúde são componentes essenciais dos serviços de saúde. O gerenciamento adequado destes equipamentos é vital para garantir que eles permaneçam seguros ao uso pretendido e para que sua vida útil seja maximizada. Sabe-se que muitos dos programas existentes possuem padrões de qualidade que excedem os aqui descritos. Espera-se que essa norma NBR15943 promova o entendimento claro das expectativas mínimas de um programa de gerenciamento de equipamentos e dos recursos necessários para atingi-las.

3.1 Requisitos gerais

O serviço de saúde deve estabelecer e implementar um plano de gerenciamento de equipamentos que atenda às disposições desta Norma. Os serviços de saúde e as empresas que prestam serviços de apoio técnico, logístico e gerenciamento de equipamentos devem:

a) prever e prover os recursos necessários ao cumprimento das disposições desta norma;

b) assegurar recursos humanos e materiais prontamente disponíveis para a realização das atividades descritas nos procedimentos de inspeção e manutenção, equipamentos de proteção exigidos em legislação específica voltada à segurança e saúde do trabalhador, entre outros. Os serviços de apoio técnico, logístico e gerenciamento de equipamentos, quando terceirizados pelos serviços de saúde, devem constar em contrato formal de prestação de serviços.

3.2 lnfraestrutura

A infraestrutura física para a realização dos procedimentos de gerenciamento de equipamentos deve ser dimensionada e compatível com as atividades desenvolvidas, conforme os requisitos contidos nesta Norma e nas regulamentações definidas pelo órgão governamental competente. As áreas destinadas à intervenção técnica devem, ainda:

a) ser mantidas em bom estado de conservação, higiene e limpeza;

b) possuir instalações elétricas, iluminação e sistemas de climatização necessários a conservação dos equipamentos para saúde e as atividades desenvolvidas, de acordo com a recomendação do fabricante e demais regulamentações pertinentes;

c) estar protegidas contra a entrada de insetos, roedores e outros animais.

3.3 Gestão de pessoal

As atividades de gerenciamento de equipamentos são de responsabilidade de profissional de nível superior, com registro no respectivo conselho de classe, de acordo com as competências profissionais definidas na legislação vigente, com conhecimento comprovado na áreas. As atribuições e responsabilidades profissionais devem estar formalmente descritas, divulgadas e compreendidas pelos envolvidos nas atividades de gerenciamento de equipamentos. Todos os profissionais envolvidos nas atividades descritas nesta Norma devem receber educação permanente, em conformidade com as atividades desenvolvidas, com registro de sua realização e da participação destes profissionais. Todo profissional deve ser orientado quanto às práticas de higiene pessoal e ao uso de equipamento de proteção individual (EPI) e equipamento de proteção coletiva (EPC). Todo profissional deve utilizar EPI e EPG compatíveis com as atividades por ele desenvolvidas, em conformidade com as normas regulamentadoras do órgão governamental competente. As atividades descritas nessa norma devem ter procedimentos operacionais escritos, aprovados por profissional designado e disponíveis aos envolvidos na realização destas atividades. Os procedimentos operacionais devem estar datados, assinados e atualizados. O serviço de saúde e as empresas que prestam serviços de gerenciamento de equipamentos, apoio técnico e logístico devem:

a) estabelecer e registrar os métodos que garantam a utilização dos procedimentos operacionais;

b) dispor de mecanismos que permitam gerar, armazenar e disponibilizar informações técnicas e gerenciar acerca dos equipamentos, bem como sobre os procedimentos utilizados pelo serviço de saúde;

c) possuir histórico de incidentes e falhas dos equipamentos;

d) estabelecer e manter documento escrito para controle dos procedimentos operacionais para assegurar que estes satisfaçam os requisitos desta Norma e estejam corretos e adequados para o uso pretendido;

e) manter registro de alteração em procedimentos operacionais, incluindo sua descrição, análise crítica, assinatura do responsável, data de aprovação e data de vigência das alterações;

f) ter as atividades do gerenciamento descritas, registradas, analisadas, datadas e assinadas pelo executor.

O plano de gerenciamento de equipamentos deve permitir a rastreabilidade dos equipamentos desde sua incorporação no serviço de saúde até seu descarte final, incluindo o uso. A documentação de um equipamento deve incluir os seus documentos acompanhantes.

Para mais informações clique no link:

NBR 15943:2011 - Diretrizes para um programa de gerenciamento de equipamentos de infraestrutura de serviços de saúde e de equipamentos para a saúde

FONTE: Equipe Target

Baseado nos documentos visitados

Normas recomendadas para você

Informática em saúde — Cartões de saúde — Características gerais
NBR20301 de 11/2010

Informática em saúde — Cartões de saúde — Características gerais

Avaliação biológica de dispositivos médicos - Parte 1: Avaliação e ensaios dentro de um processo de gerenciamento de risco
NBRISO10993-1 de 05/2022

Avaliação biológica de dispositivos médicos - Parte 1: Avaliação e ensaios dentro de um processo de gerenciamento de risco

Avaliação biológica de produtos para saúde - Parte 7: Resíduos da esterilização por óxido de etileno
NBRISO10993-7 de 04/2012

Avaliação biológica de produtos para saúde - Parte 7: Resíduos da esterilização por óxido de etileno

Avaliação biológica de produtos para a saúde - Parte 12: Preparação de amostras e materiais de referência
NBRISO10993-12 de 08/2016

Avaliação biológica de produtos para a saúde - Parte 12: Preparação de amostras e materiais de referência